quinta-feira, 26 de julho de 2012

A Guerra Santa





A idéia da "guerra santa" surgiu quando Maomé se encontrava em Medina, depois da fuga de Meca (Maomé, no início de sua pregações, em Meca, foi perseguido e obrigado a fugir para Medina). Ele precisava defender-se dos habitantes de Meca e para isso necessitava organizar um exército, algo que exigia dinheiro.
Segundo a tradição, então lhe apareceu o anjo Gabriel, que sugeriu que assaltasse caravanas. Sendo bem sucedido, viu nisso uma aprovação divina. Conseguiu levantar dinheiro e montar seu exército. Depois combateu e venceu os habitantes de Meca, impondo-lhes sua religião. Maomé viu nisso a aprovação de Alá e formulou a promessa: quem morre nessa guerra santa vai direto para o céu. Os outros deverão esperar até o fim dos tempos.
Você sabia que...
... os ensinamentos contidos no Alcorão têm força de lei.
... os muçulmanos acreditam na ressurreição dos mortos, no inferno e no paraíso.
... o Deus do Islã pode ser identificado por 99 adjetivos expressos no Alcorão, entre eles, pacificador, misericordioso, clemente.
... um ditado conhecido entre os muçulmanos fala que "Deus está mais perto de nós do que nossa veia jugular".
... a mesquita é lugar sagrado de oração. Nela não há imagens nem cadeiras para sentar, apenas tapetes.
... os muçulmanos têm em comum com os cristãos não apenas o monoteísmo. No Corão Jesus é citado 25 vezes, seja como filho de Maria, ou o messias Jesus, filho de Maria. Mas "o Messias, filho de Maria, é apenas um profeta" (Corão 5, 75) entre os demais, um enviado de Deus aos filhos de Israel (3,49). É um servo de Deus.
... Maria, mãe de Jesus, é a única mulher que o Corão chama pelo nome.



Nenhum comentário:

Postar um comentário