sábado, 28 de julho de 2012

As Bruxas e a Wicca hoje



Picture
Quando falamos em bruxas, a primeira imagem que a pessoa associa é aquela mulher velha, feia, nariguda, que tem um gato preto como única companhia e faz todo tipo de feitiço capaz de prejudicar quem quer que seja. Essa é a bruxa que a Igreja Católica nos impôs na Idade Média. Qualquer mulher que vivesse sozinha, fosse solteira, ou ainda, que tentasse aprender a ler e a escrever era considerada bruxa. Vejam que absurdo! E naquela época, as mulheres tinham que saber um pouco sobre a cura, sobre ervas, elas é que faziam os partos, pois os homens eram proibidos de tocar no corpo das mulheres.   E como não podiam se instruir, muitos bebês morriam, sendo a parteira, muitas vezes acusada de ter matado a criança devido a um pacto com o demônio... Qualquer coisa fora do que era considerado normal já fazia com que suspeitassem de alguém. E o final de milhares de mulheres foi a morte na fogueira. A maioria, inocentes, eram mulheres comuns: parteiras, curandeiras, solitárias.... Foi uma face muito triste da Idade Média.

Entretanto, mesmo com a perseguição implacável da Igreja e da Inquisição, as antigas tradições e costumes continuaram a ser transmitidos oralmente, de geração a geração. Por causa disso, muita coisa se perdeu, e não podemos dizer que a Wicca que temos hoje é a mesma de séculos atrás. Aliás, Wicca é um termo moderno para designar a Arte, a Bruxaria de hoje, porém sua essência é a mesma da antiga religião. A história da bruxaria vai muito mais além, chega até o início dos tempos, quando os homens viviam em completa harmonia com os ciclos da natureza.    

E, hoje, vendo a situação em que se encontram as pessoas, muitos de nós começamos a perceber que há algo de errado; buscamos um sentido para nossas vidas, e então nos deparamos com algo que estava meio esquecido e apagado com o tempo, mas que agora começa a ressurgir: a Wicca. 

Hoje já existem muitos livros e sites na internet que falam sobre o assunto, porém não se pode acreditar e seguir à risca tudo o que eles dizem. Muitas pessoas querem se tornar bruxas de um dia para o outro, simplesmente porque acham "legal", ou porque a Wicca é algo que está "virando moda". Ser bruxa não é apenas ter um altar em casa, usar um pentagrama pendurado no pescoço, e ter todos os instrumentos que são usados como símbolos. Ser bruxa é um estado de espírito, é algo muito mais profundo e antigo. É preciso sentir com o coração, amar a natureza, tentar se sintonizar com ela e viver em harmonia com o mundo, com as pessoas. É querer fazer sempre o bem, não importando a quem. 

Muitas pessoas acham que na Wicca, as bruxas fazem rituais de magia negra. Isso é uma idéia errada, pois a Wicca trabalha apenas com a magia branca, jamais fazendo algo que vá prejudicar alguém. Inclusive, a principal lei da Wicca é a seguinte: "Faça o que quiseres, desde que não prejudiques o outro". Porém, se há pessoas mal-intencionadas que usam o poder para prejudicar alguém, há uma outra lei da Wicca, a Lei Tríplice, que diz: "Tudo o que fizeres voltará a ti multiplicado por três". Ou seja, se a pessoa fizer algo de ruim, ela receberá em dose tripla o que fez. Se ela fizer coisas boas, somente coisas boas voltarão para elas e ainda multiplicadas por três! Essas são as leis da Wicca, que devem ser seguidas por quem deseja viver em paz consigo mesmo e com os outros.

Os bruxos de hoje reúnem-se em grupos chamados coven, onde realizam os rituais de adoração à Deusa, e também os rituais que marcam as passagens das estações, tentando seguir um calendário que esteja de acordo com os ciclos da natureza. Entretanto, não é obrigatório fazer parte de um coven, há muitos bruxos que preferem trabalhar sozinhos, cada um escolhe o que achar melhor para si. Muitos bruxos também estão diretamente ligados a movimentos de proteção ao meio ambiente e aos animais, pois tudo o que faz parte do mundo e da natureza é considerado sagrado e deve ser preservado.

Enfim, como pode se ver, bruxos ou bruxas são pessoas normais, como qualquer um. Não há nada que os diferenciem dos outros, a não ser a consciência da vida em harmonia com a natureza, que muitas pessoas hoje não possuem. Qualquer um pode se tornar bruxa, basta sentir-se como tal. Não é necessário ter um altar em casa, ou todos os instrumentos, como dizem os "manuais", o importante é sentir. Faça da natureza seu mais belo altar. Ame a natureza, sintonize-se com ela. A verdadeira bruxa não precisa dizer quem é, nem carregar símbolos para se diferenciar; a verdadeira bruxa descobre-se através de seus mais puros e sinceros sentimentos que afloram de dentro de seu coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário