terça-feira, 24 de julho de 2012

Horácios versus Curiácios, a batalha dos trigêmeos


05
Jul
Horácios versus Curiácios, a batalha dos trigêmeos
Na antiguidade e na Idade Média, em contadas
 ocasiões, imperava a sensatez e para evitar
 banhos de sangue desnecessários algumas 
batalhas não eram decididas com hordas 
se enfrentando no campo de batalha senão
 que mediante um duelo entre os campeões da cada bando.

Assim, quando Túlio Hostílio, o terceiro rei de Roma, declarou a
 guerra à cidade de Alba Longa lembrou de arranjar uma disputa
 mediante um destes combates, mas de uma forma mais peculiar 
e espetacular: Hostílio ficou sabendo da existência dos trigêmeos
 Curiácios de Alba Longa e como contava com os bravos trigêmeos
 Horácios acordou com que as duas tríades lutariam por 
cada um dos bandos.
Horácios versus Curiácios, a batalha dos trigêmeos

Juramento dos Horácios
Os Horácios, em defesa de Roma, e os Curiácios por Alba Longa.
 O começo do duelo foi muito igualado mas, pouco a pouco, os
 Curiácios foram encurralando os romanos até que conseguiram
 matar dois deles. 
O terceiro dos Horácios, Públio, fugiu e os Curiácios, 
consideravelmente feridos, 
perseguiram-no para por fim à batalha. Quando já 
estavam bem cansados, 
extenuados e bastante feridos, Públio vingou os dois
 irmãos e os matou... um a um.

A entrada em Roma do Horácio foi triunfal, digna de
louros e pessoas
 aplaudindo, mas algo parecia desgraçadamente errado
 neste dia de celebração: 
sua própria irmã chorava desconsolada. O regresso
triunfal de seu irmão 
significava que todos os Curiácios estavam mortos. 
A verdade é que, sem ninguém
 saber, em segredo, ela havia noivado com um deles.
 Quando seu irmão compreendeu o que estava acontecendo, 
trespassou o peito da irmã com sua espada,
 silenciando as comemorações e dizendo:

- "Assim morrem as mulheres romanas que choram pelo inimigo".
Horácios versus Curiácios, a batalha dos trigêmeos
Morte da irmã dos Horácios
Este último parágrafo seria o melhor e dramático desfecho para,
 mas há que contar, essa história: Pelo assassinato cometido,
Públio foi condenado a morte, mas salvou sua vida pelo apelo 
popular e sua pena foi comutada pelo sororium tigillum:
 se mostrar publicamente submisso à vontade de alguém sob uma
 viga especialmente erigida para tal propósito.
Fonte: T


Nenhum comentário:

Postar um comentário