terça-feira, 24 de julho de 2012

Um erro de um quadro que manchou a história .


Um erro de um quadro que manchou a história
Antes de mais nada devemos reconhecer 
que o quadro Pollice Verso (1872), 
do pintor francês Jean-Léon Gérôme,
 é de uma espetaculosidade singular,
 mas... tem um erro vergonhoso. 
O quadromostra a a cena do circo
 anfiteatro no qual um gladiador espera 
a decisão do imperador: morte ou vida 
do gladiador caído. O povo, sedento de sangue,
estica o braço e estende o dedo polegar para 
baixo  e devido a uma tradução errônea do título 
interpreta-se "pollice verso" como "polegar para baixo".


Um erro de um quadro que manchou a história
Você já deve ter se lembrado de algumas cenas do cinema que
 imitam o quadro, inclusive podemos acrescentar o mais famoso: 
Ridley Scott teve a mesma ideia em mente quando dirigia o filme 
Gladiador, onde o gesto do polegar para baixo ficou marcado como a "morte".

Só que a realidade é bem diferente: "pollice verso" significa "polegar estendido"
 não "polegar para baixo". E tem mais. Este gesto nunca foi utilizado
 pelos romanos. O gesto que significava morte era realizado com 
o polegar para cima (nosso sinal de positivo, representando a espada
 desembainhada) e o gesto que significava vida era feito com a mão
 fechada e o polegar oculto  (representando a espada embainhada). 
 fato, a expressão latina que define este gesto (o polegar oculto) é
 "pollice compresso favor iudicabatur" que significa "a boa vontade é 
decidida pelo polegar comprimido".

De forma que a próxima vez que assistir um filme romano e ver o 
gesto se lembrará de um grande erro histórico proporcionado graças 
ao famoso quadro de Jean-Léon Gérôme. Como meu finado pai sempre dizia: 
- "Menos TV e mais leitura".

Nenhum comentário:

Postar um comentário