domingo, 19 de agosto de 2012

Humanos são geneticamente mais próximos dos gorilas do que chimpanzés




Os cientistas descobriram que os seres humanos se aproximam muito mais dos gorilas em seu DNA do que com os chimpanzés.

Um estudo mostrou que 15% do código genético dos gorilas são parecidos com os seres humanos; uma taxa superior a encontrada nos chimpanzés. Em ambos, certos genes também evoluíram à mesma taxa, foi o que revelou o estudo.

Os genes descobertos colocam em dúvida a ligação com o desenvolvimento da audição e a linguagem humana. Os resultados surgem a partir do sequenciamento parcial do genoma dos gorilas. A pesquisa fez uma comparação entre o DNA do ser humano com os gorilas, chimpanzés e orangotangos.

Os cientistas do Wellcome Trust Sanger Institute in Hinxton, Inglaterra, pesquisaram 11.000 genes de primatas em busca de semelhanças evolutivas com os humanos. Em todas as três espécies, genes relacionados à percepção auditiva sensorial e ao desenvolvimento do cérebro mostraram uma evolução bem acelerada. Mas isso ficou mais evidente em gorilas e humanos.

O Dr. Chris Tyler-Smith, autor sênior do estudo publicado na revista Nature, comentou: “Nossas descobertas mais significativas não revelam as únicas diferenças entre as espécies no DNA, mas revela as diferenças que refletem milhões de anos de divergência evolutiva, bem como semelhanças nas mudanças paralelas ao longo do tempo desde o ancestral comum”.

“Descobrimos que os gorilas compartilham muitos paralelos nas mudanças genéticas com os seres humanos. Os cientistas sugerem que a rápida evolução dos genes da audição humana está ligada diretamente à evolução da linguagem. Nossos resultados lançam dúvida sobre este fato, pois os mesmos genes evoluíram nos gorilas em uma taxa semelhante à dos humanos”, comentou Tyler-Smith.

O estudo mostrou que os gorilas se separaram dos humanos no caminho evolutivo há 10 milhões de anos. Isso pode ser comparado com a divisão entre os humanos modernos e Neandertais ou chimpanzés e bonobos, disseram os cientistas.

A co-autora do estudo, Aylwyn Scally, também do Instituo Sanger, disse: “O genoma do gorila é importante porque lança luz sobre o momento em que nossos ancestrais divergiram de nossos primos mais próximos. Isso nos permite explorar as semelhanças e diferenças entre nossos genes e os do gorila, o maior primata vivo".

Jornal Ciência

Nenhum comentário:

Postar um comentário