sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Confira 10 dicas para deixar sua memória afiada.


Quando nossa capacidade de se lembrar de detalhes importantes despenca, surgem dificuldades no trabalho, na escola e até mesmo na vida social.
Quem, numa conversa, tentou se lembrar de determinados detalhes e ficou com a lembrança ali na ponta da língua e nada! Nomes de ruas, pessoas, números, a memória vive pregando peças em nós. Com o ritmo intenso que levamos nas cidades grandes, ter o corpo e a mente cansados é algo cada vez mais frequente.
Quando nossa capacidade de se lembrar de detalhes importantes despenca, surgem dificuldades no trabalho, na escola e até mesmo na vida social. Na maioria das vezes, essas dificuldades não são causadas por doenças cerebrais específicas. Segundo o neurologista Leandro Telles, essa dificuldade em memorizar é uma queixa muito comum entre pessoas jovens.
“Na maioria das vezes, tais dificuldades não são causadas por doenças cerebrais específicas. Conhecendo o processo de fixação e evocação, é possível melhorar muito a capacidade de memória de uma pessoa”, explica o neurologista. Mas o cérebro, se exercitado e estimulado, pode ampliar sua capacidade de fixar melhor as coisas.
O processo de memorização é mais simples do que parece e não envolve terapias de outro mundo. Este processo inicia-se com a percepção de um estímulo. Devemos prestar atenção nele e destacá-lo dos demais estímulos. Dessa maneira, o cérebro vai atribuir relevância a este estímulo para, enfim, memorizá-lo. O que acontece é que nem tudo é fixado, mas somente aquilo que o cérebro achar importante. E o processo não termina por aí.
“Depois de fixar, é preciso trazer a lembrança de volta, um processo que nós chamamos de evocação. Para evocar, o cérebro precisa do rastro da memória. É comum nós gravarmos as coisas e não conseguirmos evocar na hora certa”, esclarece o especialista.
CONFIRA 10 DICAS PARA DEIXAR SUA MEMÓRIA AFIADA
Uma dica preciosa para a memória é trabalhar ou estudar em ambientes apropriados que são aqueles bem silenciosos, iluminados e organizados. Assim, o estímulo que interessa se destaca e a memorização ocorre com mais facilidade. Outra dica importante é fazer sempre uma coisa de cada vez. “Fazemos várias coisas ao mesmo tempo. Pensamos em diversos problemas e deixamos passar os dados que seriam relevantes. Identifique as prioridades do momento, entre para resolver aquele problema e se desligue do resto”, recomenda o neurologista.
Outra recomendação é que, se essa dificuldade em memorizar ocorrer em pessoas de maior idade com intensidade e frequência suficiente para atrapalhar as atividades diárias, é necessário uma consulta com um médico neurologista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário