domingo, 14 de outubro de 2012

O que é a Matrix?

“Apenas os segredos pequenos precisam ser protegidos. Os grandes são mantidos em segredo pela incredulidade pública”
(Marshall McLuhan)







Matrix é a dualidade. Nós estamos tão aprisionados na matrix do intelecto, que achamos que é a realidade, mas ela é só uma criação da mente, criada através de nossas percepções.
Tudo está dentro de nós, mas nós vemos como se tudo estivesse fora. Este é o truque da percepção humana. Dentro da matrix criada pela mente ou pela ilusão, estamos constantemente fugindo de nós mesmos, em busca de amor e tudo o que nos satisfaça, quando na realidade, tudo o que precisamos fazer é estar com nós mesmos, porque somos a fonte de todo amor. Parece que, para o ser humano é a coisa mais difícil de fazer, simplesmente estar consigo mesmo, porque nós temos uma aversão arraigada e um descontentamento sobre quem realmente somos. Nós acreditamosque há alguma coisa terrivelmente errada!

O que é inocência?


Ser inocente é estar aberto a ver cada momento como uma novidade. Ser inocente é não ter uma idéia preconcebida do que vai acontecer, de como alguma coisa deve parecer ou qual deve ser o resultado. Ser inocente é acolher cada momento como se fosse magia, em vez de ver as coisas com uma percepção exaurida do que aconteceu antes.
Ser inocente é se dar cem por cento ao momento, é amar sem máscaras, é deixar para trás nossas imagens e falsidades e ser como uma criança: sem apegos e sem julgamentos. Simplesmente existir na alegria do momento. Esta é uma pequena parte da inocência, mas é uma parte que falta na vida de muitos adultos.

O que é o perdão?


Para mim, o perdão é ver além. Eu sempre cito Jesus como exemplo. Ele disse: ''Perdoe-os, pai, porque eles não sabem o que fazem.''
Ele disse isso porque o pai é a consciência e a consciência pode ver que os seres humanos se comportam como robôs. A consciência pode ver que, na realidade, as pessoas não sabem o que fazem. Em outras palavras: a consciência vê que, na verdade, não há nada a perdoar!
Quando você está ancorado no amor incondicional do eu, é fácil ver a perfeição dentro do drama da vida das outras pessoas. Você simplesmente vê o UM, vivendo uma experiência humana e voltando, eternamente, ao lar, ao amor.
Por isso o perdão vem do amor do eu. Mas, na verdade, não é perdão. É simplesmente ver além e descobrir a verdade.

Fonte: ISHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário