quarta-feira, 3 de outubro de 2012


"O único modo de descobrir os limites do possível, é de se aventurar um pouco para além deles, para o impossível"
(Segunda Lei de Clarke)

No início do Século XX as doenças eliminavam grande parte da população mundial. Um simples gripe podia matar! Tuberculose, sífilis, lepra, febre amarela e outras tantas coisas hoje facilmente identificáveis e curadas mediante os extraordinários avanços da Medicina, tinham as suas verdadeiras causas ignoradas, uma vez que era desconhecida a existência das bactérias e dos vírus. Os médicos de então atribuiam essas doenças aos "miasmas que andavam pelo ar" e sua terapia consistia no emprego de chás, pomadas e beberagens inócuas, aliados ao emprego largamente disseminado dos repelentes vermes sanguessugas que, aplicados em grande quantidade nas peles dos pobres pacientes, drenavam o seu sangue, causando ainda mais doenças e infecções. Apesar da dedicação e do estoicismo, os médicos daqueles tempos, muito embora acreditasem no contrário, na verdade NADA SABIAM!

Pode-se dizer o mesmo de alguns modernos cientistas; Igualmente de certos astrônomos; de alguns escritores; de outros obliterados meios religiosos e também de um grande grupo de céticos que egocentricamente se acreditam a obra-prima de todo o Universo, negando a possibilidade da existência de vida na sua insondável imensidão. Portanto, pela "lei dos sanguessugas", o que eles hoje acreditam ser verdade tornar-se-á a grande mentira de amanhã. Bilhões e bilhões de galáxias, cada uma delas contendo bilhões e bilhões de estrelas, juntamente com seus sistemas planetários associados, não podem ter sido criadas como enfeites ou mero deleite para a visão humana. Tudo isso decididamente não aconteceu por simples obra do acaso e teve certamente um propósito, uma grande finalidade!

Aqui vemos um conglomerado de estrelas situado na Constelação de Órion. Obviamente, em meio à infinidade de sistemas estelares e planetários tais como esses, vivem diversas humanidades diferentes, cada uma devidamente adaptada às condições do seu habitat - algumas delas certamente evoluídas milhares, ou talvez milhões de anos à nossa própria frente! A Terra em que vivemos, um miséro grão de pó em meio à imensidão, orbita uma estrela anã-amarela de quinta grandeza - nada menos do que um humílimo fósforo se comparado às coisas infinitamente grandiosas que se espalham pelo Cosmos. Se em pouco menos de 100 anos a humanidade terrestre já obteve grandes progressos, passando das carroças aos foguetes, até mesmo viajando pelo espaço e atingindo outros corpos celestes, o que não seriam capazes de fazer seres alienígenas ultra-evoluídos, tanto mental quanto científica e tecnologicamente?

Essa foto era o que se dispunha até o momento da distante Constelação de Pegasus, situada a 150 milhões de anos-luz da Terra. Com o lançamento do Telescópio Hubble pela NASA, vários sistemas planetários têm sido descobertos. Em novembro de 2001, por exemplo, foi divulgada por aquele órgão espacial a extraordinária existência nessa distante constelação de um planeta com tamanho do nosso Júpiter, orbitando em torno de uma estrela semelhante ao nosso sol e batizada de HD 209458. Nada demais, a não ser pelo fato de que o tal planeta POSSUI ATMOSFERA. E isso, na pior das hipóteses, significaria que ele abriga a VIDA!

Na foto, o curioso formato da Galáxia NGC4594, também conhecida como "Sombrero". Hoje, a Astronomia e a Física de Vanguarda já têm a mais plena certeza de que a vida é uma condição matemática do Universo. Oxigênio puríssimo foi descoberto na Supernova Puppies-A, resíduo de uma massa estelar que explodira há cerca de 10 mil anos! Deve-se essa descoberta aos astrônomos Frank Winkler e Robert Kirshner. Por outro lado, os doutores Paul Davies e John Wheeler, físicos norte-americanos, descobriram que existe, de fato, um OBSERVAÇÃO PARTICIPANTE (na falta de um nome melhor conhecida como DEUS) que inteligentemente planejou, planeja e rege o Universo!

(Na foto, a galáxia espiralada de Cygnus). O cientista Paul Davies igualmente descobriu que existe uma Isotropia Inteligente, isto é, sintonizada em todas as direções do espaço sideral, através de uma constante matemática equivalente a 1 SEGUIDO DE QUARENTA ZEROS e especificamente direcionada com o propósito de criar a VIDA! Outros cientistas, precisamente B.J. Carr e M.J. Rees, foram mais longe descobrindo que todo o Universo ainda é banhado com os restos arrefecidos da sua longínqua criação extremamente quente (o chamado Big-Bang) - uma corrente ionizada batizada de "Radiação de 3 Graus Kelvin", isotropica e uniformemente dirigida. Tal corrente permeia todos os corpos celestes e o seu abençoado calor verdadeiramente fecunda, fazendo surgir a vida onde quer que existam condições propícias!

(Foto: Nebulosa Keyhole). Hugh Everett III, outro notável cientista de vanguarda, foi ainda mais longe e descobriu que essa Diretriz Inteligentemente Ordenada que controla tudo, através daquilo que seria a aplicação pura e simples da mais fabulosa de toda Mecânica Quântica, bifurcou o Universo! Precisamente como os galhos de uma árvore, criando também uma infinidade de mundos paralelos e descontínuos...... TALVEZ NÃO MENOS HABITADOS DO QUE O NOSSO!

(Foto: Nebulosa NGC2264). Hoje, portanto, os sábios e os cientistas, colidem com verdades muito antigas, já ensinadas desde milênios pelas antigas civilizações orientais, e de certo tempo para cá devidamente pressentidas. Exatamente como há muito tempo Voltaire já dizia: "Não posso conceber que o relógio exista e não haja o Relojoeiro". Da mesma forma como pensavam Pitágoras, Einstein e o engenheiro francês René-Jacques Moutton: "Deus é Essencialmente Matemático e Portanto Absolutamente Justo". E, por síntese, assim como magnificamente se expressou o grande filósofo Rosacruz Balzac: "Deus é Um Número Dotado de Movimento, que É Sentido, Porém Nunca Demonstrado".

(Foto: a resplandecente Antares). Aliás, os Antigos Místicos ensinavam que Todo o Universo é Mental. Que vivemos e nos movemos em uma Consciência Luminosa porque toda a Criação não passa de uma visualização de Deus! Ensinavam que no Princípio era apenas a Mente, que através de um mistério profundíssimo residia em Si mesma. E essa Mente Maravilhosa sonhava: apesar de Perfeita, aspirava por uma Perfeição maior ainda. E nos seus sonhos indescritíveis e sublimes, visualizava miríades de mundos, habitados pelas mais exóticas criaturas. Então, em um dado momento, essa Força Mental Maravilhosa, saturada de Amor, sentiu necessidade imperiosa de CRIAR. E se fragmentou, tornando-se maravilhosamente o Pai e também a Mãe, expandindo-se em um movimento progressivo e contínuo que perdura até os dias atuais, dando forma a todos os Universos e também a todos os demais seres sensíveis que neles habitam. E será através das múltiplas experiências dessas criaturas - encarnações após encarnações; evoluções após evoluções; de mundos para mundos; da matéria bruta para o Espírito Puro - que Ela aprenderá por um simples processo de delegação, quando todos os seus filhos, centelhas Dela mesma, a Si retornarem..... Onde então, cessando a expansão e iniciando-se a contração, o processo estará completo e tudo voltará de forma maravilhosa a residir no Absoluto que meditará sobre as Suas experiências e novamente se expandirá, criando um outro e inefável ciclo - contendo, ainda uma vez, novos e muitos promissores Universos!

Assim sendo, já que também Ciência destemida e verdadeiramente sábia atesta a existência da vida espalhada por todos os quadrantes do incomensurável Universo, obviamente não se pode negar a possibilidade das ruínas em certos corpos celestes, uma vez que as civilizações, assim como os planetas, nascem, crescem, evoluem e morrem. Nós mesmos, quando a Terra exaurir todas as suas condições de vida, teremos que buscar no espaço exterior a salvação. Enfim, procurar outros planetas para dar prosseguimento à nossa sobrevivência! Da mesma forma, não se pode negar que civilizações alienígenas muito antigas e evoluídas tenham dominado fantásticas formas de tecnologia, utilizando-se de técnicas com as quais não podemos sequer sonhar, possibilitando assim a locomoção através do espaço sideral ou - por que não? - através dos misteriosos meandros do próprio tempo!

(Foto: Quasars duplos Q50). Hoje, a Física de Vanguarda já admite que os Quasars e também os "Buracos Negros" podem se constituir em verdadeiros "atalhos" nas viagens espacias - túneis vertiginosos além da nossa limitada compreensão, talvez mesmo utilizados pelos tripulantes dos OVNI nas suas locomoções através das incomensuráveis distâncias siderais. Nessas regiões misteriosas e fantásticas atuam de forma maravilhosa a antimatéria e também o antitempo!

Será preciso, pois, para velejar rumo às novas e muito surpreendentes conquistas do amanhã, que o homem terrestre se redima, reconhecendo o quão pequeno é diante da esplendorosa imensidão estrelada e, em contrapartida, se dê conta do seu importante papel no Glorioso Esquema Cósmico. Reorientar seus pensamentos; rejeitar velhos e ultrapassados dogmas; unir-se em coração e mente às maravilhas da Criação de Deus; crer sinceramente que não está só em meio a esta grande comunidade planetária, sintonizando-se maravilhosamente com a vastidão estrelada da qual faz parte integrante. Participar de uma tomada geral de consciência nestes tempos críticos do Terceiro Milênio, amando e respeitando o planeta em que vive, bem como os minerais, os vegetais e os animais - todos seres vivos e sensíveis, almas em diferentes estágios evolutivos assim como ele próprio - praticando, enfim, sob todos os aspectos o maior de todos os sentimentos que é precisamente o AMOR. Portanto, Prezado Visitante deste Site, para Você que pelo simples fato de aqui estar é uma pessoa muito especial, deixamos como reflexão essa obra-prima de um grande escritor italiano do gênero Realismo Fantástico:
"O amor não conhece fronteiras ou barreiras, precisamente porque Ele reside no não-tempo e no não-espaço. Somente Ele é eterno. E se nos amarmos verdadeiramente por aquele Um que somos, poderemos vir a ser detentores do maior de todos os tesouros. Exatamente como pássaros, que a qualquer tempo que emigram encontram sempre um ninho que alguém edificou, sem nada pretender"
(Quixe Cardinale)

Nenhum comentário:

Postar um comentário