sábado, 17 de novembro de 2012

Deus não é, e nunca foi grande.


A religião nos ensinou algumas coisas, inclusive a noção de o Catolicismo não teria sobrevivido sem concessões. Foram elas (as concessões) que salvaram o Catolicismo de uma deserção maciça. Foi necessário extinguir o Tribunal do Santo Ofício, foi imperativo a divulgação primária de supostos milagres e abandonar o geocentrismo cosmográfico bem como outras concepções medievais.
Galileu poderia ter ficado fazendo em paz o seu trabalho telescópico se não tivesse sido imprudente o bastante para admitir que ele tinha implicações cosmológicas, assim como Darwin com seu microscópio. Quantos cientistas tiveram dúvidas, ausência ou falta de um iniciador. Nunca foi difícil ver que a religião foi motivo de ódios e conflitos (e ainda é) e que sua preservação dependia da ignorância e superstição. As demais religiões livraram-se da pecha de infernais heresias. Os discípulos de Cristo, Maomé têm hoje alvarás de livre trânsito que há alguns séculos seriam impensáveis.
As últimas duas décadas vem registrando um estado de profundo avanço em todos os aspectos relacionados à ciência, saúde, meio ambiente, economia, nanotecnologia e política. Na geofísica, as placas tectônicas foram descobertas – um conjunto de correias transportadoras sob a superfície da Terra levando os continentes à morte e movendo-se a uma velocidade de aproximadamente uma polegada por ano. As placas tectônicas são essenciais para se compreender a natureza e a história das formas terrestres e a topografia do fundo dos mares.
Surgiu uma nova área de geologia planetária em que as formas terrestres e o interior da Terra podem ser comparados com os de outros planetas e suas luas, e a química das rochas em outros mundos – determinadas remotamente ou pelas amostras trazidas por naves espaciais ou por meteoritos que agora se reconhecem terem vindo de outros mundos – pode ser comparada com a das rochas da Terra.
A sismologia sondou a estrutura do interior profundo da Terra e descobriu-se embaixo da crosta um manto semilíquido, um núcleo de ferro líquido e um núcleo interno sólido – e todos devem ser explicados, se quisermos conhecer os processos pelos quais nosso planeta veio a existir.
No caso da ciência médica, a descoberta da penicilina precipitou a era da medicina moderna dos antibióticos, da insulina e a descoberta da cortisona como um potente agente antiinflamatório. Importante salientar o estudo dos hormônios sexuais através da endocrinologia com o desenvolvimento da pílula anticoncepcional (condenada até hoje pela igreja católica) , dos antibióticos contra infecções, transplantes de órgãos.
O estudo do genoma humano e função do DNA, a molécula-chave responsável pela hereditariedade nos humanos e na maioria das outras plantas e animais. Aprendemos a ler o código genético, e num número cada vez maior de organismos mapeamos todos os genes e sabemos que as funções do organismo a maioria deles se encarrega. Pesquisas com células tronco retiradas de embriões. Nenhuma força de vida, nenhum espírito, nenhuma alma parece estar envolvida no processo. Assim como novas tecnologias médicas apoiadas pela farmacoterapias no combate ao câncer e doenças degenerativas, cardiopatias, sistema imunológico.
Cientistas paulistas, conforme estudo publicado em revista científica americana, estão perto de encontrar o tratamento da Epilepsia ( três milhões de pessoas no Brasil sofrem desse mal).
Graig Venter do J. Graig Venter Institute, criaram a chamada “célula sintética”. Esta célula será, uma espécie de robô; poderá ser programada para fabricar substâncias medicamentosas, vacinas ou outros produtos. Uma quase vida criada em laboratório. Um enorme avanço e progresso para a humanidade com mais expectativa de vida. Propaganda enganosa e ultrajante para um crente que acredita que : só Deus é Deus, só Deus pode criar vida. Nada de modificar a narrativa da Bíblia para algo do tipo: “No começo criou Graig Venter os céus e a terra” etç. Este sim é o verdadeiro milagre da natureza humana, a religião é o veneno e a ciência é a cura dela.
A civilização continuará a crescer se houver um estado de equilíbrio. Grandes inovações trarão meios de salvar, prolongar e intensificar a vida e do nosso planeta. O ritmo, a transformação e mudanças são mais céleres que no passado. Nos primeiros 20 anos do século 20, vimos mais avanços que todo o século 19. E neste século 21 veremos 1000 vezes mais avanços tecnológicos que no século passado. Tudo é mais amplo.
A transição de antigos costumes ensinados e transmitidos por nossos avós no tempo em que os cultos religiosos eram rezados em latim, são para nossos pais agora totalmente diferentes. Vivemos em um novo mundo globalizado, onde temos acesso a informações imediatas e instantâneas, quando o fato acontece, recebidas através dos meios de comunicação, neste rico campo da ciência, medicina e tecnologia virtual.
Todo mundo cresce fisicamente, mas psicologicamente permanece uma criança. Sua idade psicológica nunca é superior a treze anos, até menos que isso. Foi um choque quando descoberto pela primeira vez na Primeira guerra Mundial que a idade média psicológica média é somente doze ou treze anos no máximo. Isso significa que você pode ter setenta anos, mas sua mente tem somente treze anos. Então se alguém olha para o seu corpo, você parece tão velho, tão experiente, mas se alguém olha para dentro da sua mente você ainda está carregando a mesma mente infantil. Seu Deus não é nada além de um pai projetado; é uma fixação do pai. Você não pode viver sem a idéia de um pai. Você precisa de um pai imaginário no céu que tome conta de você. E, certamente, o pai biológico está fadado a morrer um dia ou outro. Então você precisa de um pai celestial que é eterno, que nunca morrerá; então ele se tornará sua segurança , sua muleta, seu apoio e garantia. Deus passa a ser o grande pai; vocês são somente pequenas crianças procurando um pai perdido, procurando uma infância perdida, procurando a segurança da infância. Seu comportamento é infantil.

Os jovens estão conectados no mundo via internet, embora não tenham descoberto ainda o enorme potencial de estudo e pesquisa disponível na rede. Eles podem ter muitas coisas como forma de lazer e entretenimento, além de jogar videogame, navegar na internet, escrever um blog e bater papo no MSN com novos amigos. A única coisa que os adolescentes não podem deixar de fazer é de ler. Sempre colocado em segundo plano, porque ler é demorado, exige imaginação e há palavras desconhecidas. Precisam estar atentos e conscientes à oportunidade de amadurecer, conhecer mais sobre artes ou História e se libertar dos grilhões e obscurantismos e pensar positivamente para querer e poder acreditar nas possibilidades que são infinitas para vencer. Os jovens agora estão muito mais preparados do que fomos, para atuarem na sua vida adulta de um jeito mais livre no que concerne a seus papeis sociais, mesmo que acabem por escolher as formas de casamento não tradicionais. Acreditando, não necessariamente no Divino, mas sendo autênticos para fazer, a sua história e conquistar o progresso, a luz, a liberdade, a independência, o prazer da vida e a própria felicidade.
Via de regra , as pessoas crentes em Deus tentam a ser boas, buscam fazer o bem, se livram de vícios, promovem a paz, solidarizam-se, assim como outros benefícios mútuos e também nem sempre como modelos de comportamento. Mas acreditar, por acreditar, acreditar porque os outros acreditam e disseram para fazê-lo, é perigoso. Quem quiser acreditar, que acredite. É bom? Mas que acredite por suas convicções, não pelo que se lhes impôs desde a infância. Quem assim agir, corre o risco de não viver a vida. Abarrota-se o ser humano, faz-se nele uma lavagem cerebral, deturpam-se os valores, os conceitos, a realidade, o razoável. Invertem-se a natureza e o natural. Muda-se, modifica-se, cria-se, educa-se, cabresteia-se, não raro caça-se pura e simplesmente até o direito à própria liberdade de pensamento e impõe-se a infalível, a incontestável e, por isso, arbitrária norma fatal. Ou se renuncia aos valores mundanos, ou não haverá lugar no reino dos céus, ao lado de um Deus, santos e anjos.
É absolutamente proibido viver a vida intensamente, ou, em outras palavras, a vida terrena deve ser obrigatoriamente dedicada a um Deus. Só assim será possível conquistar um lugar na vida eterna celestial ou seja, quem quiser salvar a própria “alma” deve renunciar ao que representar bem material, prazer, dinheiro, patrimônio de qualquer espécie,… a riqueza é coisa simplesmente abominável e do demônio. O prazer, então cruzes ! Deve se passar sempre ao largo dele. Isso já aparece com impressionante nitidez na passagem bíblica relativa à criação. Com efeito, uma vez tendo Deus descoberto que no Éden (jardim das delícias ou paraíso) onde habitavam Adão e Eva haviam desobedecido e cometido o primeiro pecado, dirigiu-se ao varão e lhe disse: “porque pecaste, ganharás o pão com o suor do teu rosto”. O que temos aí ? Temos que trabalhar é castigo. Na ótica Dele, Adão e Eva desobedeceram, transgrediram e por isso, foi lhes imposto o trabalho como castigo.
Segundo pregam as religiões, é imprescindível uma vida de sacrifícios. Incutem ao homem a idéia de que viver miseravelmente é maravilhoso, porquanto isso lhes garantirá um lugar privilegiado no Céu, após a morte. Querem exemplos ?

“É mais fácil um camelo passar no fundo de uma agulha do que um rico entrar no céu”, outro:
“Senhor, o que devo fazer para ganhar o Reino dos Céus ?
Vai, vende tudo o que tens e depois vem e segue-me.”

Uma verdadeira apologia à miserabilidade. Receberam o evangelho sem nada pagar, para ser passado adiante gratuitamente, mas não foi bem assim na prática. As religiões tentam dissociar a esfera sagrada do material, mas elas andam muito distraídas e nós lembram em todas as celebrações, “Daí a César o que é de César e a Deus o que é Deus.”
Como que se pode admitir tamanho absurdo ? Traduzindo em palavras atuais, é o mesmo que sair por aí, nas favelas, pregando “a palavra” àquele povo faminto, necessitado, doente, com baixo nível cultural por culpa sabe-se lá de quem, confortando-o dizendo: “calma pessoal, esta vida terrena nada vale, o importante é vocês lutarem pela vida eterna’. O importante é ser pobre passar fome, porque depois da morte, vem a vida eterna.
Enquanto as igrejas , estão extorquindo seus fiéis, na cidade onde resido, num raio de apenas sete quilômetros existem sete igrejas, e isto numa cidade média do interior, onde existem milhares de pessoas, passando fome , sede e frio.
Agora, pensando friamente, se as religiões pregam o amor de Cristo, certo é que os praticantes deste amor deveriam segui-lo, ajudando quem precisa, seja materialmente. Isto não acontece. Infelizmente não, e isso denota a nossa inferioridade em relação os grandes mártires que por aqui passaram. Todas as vezes que penso em religião, associo logo ao capitalismo abusivo e à enganação. Todos os homens aproveitaram a ignorância da população para tirar algum proveito dessa situação, para benefício próprio, infringindo a Lei Universal – amai o próximo com a ti mesmo. Distorcem a religião, e a usaram para arrecadar dinheiro. “Quem dá recebe” Dê a contribuição financeira (por exemplo para formar novos sacerdotes, reformar o templo…) nessa vida e “receberás a vida eterna”! Fizeram da religião uma máscara para satisfazerem as suas necessidades animalescas. E o que pior, desde aquele tempo, mesmo com todos os mártires que vieram com Jesus, antes e depois, nada mudou. Evoluímos muito tecnologicamente, mas nada moralmente. Moral e intelecto desgarradas quando deveriam andar de mãos dadas!

Eis, o grande câncer, que acarreta essa batalha infundada, o egoísmo, a ignorância e falta de humanismo. Através do conhecimento de si próprio, da reforma íntima praticada, independente de dogmas, expressões exteriores, credo e ou fé, o objetivo do homem é de ser melhor. Melhor no sentido ético e moral. Fazer do homem uma representação na Terra, através da prática da caridade independente de Deus, para viver a paz. Já pensaram se houvesse uma única religião no mundo, em que todos se respeitassem, todos amassem o próximo como a si mesmos, onde nem o egoísmo existiria ?
Há quem diga que a religião é fundamental para a formação da sociedade, para orientar as pessoas que não têm instrução a seguirem um caminho religioso. Eu discordo. Por causa da religião que o Vaticano pode comprar um país inteiro, enquanto tem milhares de pessoas morrendo de fome ali do lado deles, na África.
Não é dever da religião ensinar que devemos preservar a vida dos animais? O que a religião ensinou? Que devemos criar galinhas, porcos, ovelhas, etc mansas a ponto de comerem na sua mão, e num determinado dia, em vez de dar-lhe comida, passa-lhe a faca no pescoço? Quem é pior, traiçoeiro e sanguinário? aquele que caça e mata animais indefesos e que nunca viu, aquele que se diz cristão educado e ecologista e faz ambas as coisas? Porque os pregadores na sua maioria não são vegetarianos e dão o bom exemplo? Não gostaria de me ver na pele de um Deus que tudo vê e não dorme, que ao mesmo tempo cria, e guia a mão do punhal assassino e oferece a garganta que vai ser cortada! Um Deus para o condenado, um Deus para o carrasco!

Bom caro leitor, reflita sobre isso. Pense qual é o real significado da religião com igrejas e templos na sua vida. Da religião que nos pede que acreditemos sem questionar. Acredito na religiosidade seguida e fundamentada na razão e no amor, da fé raciocinada e pensada e nas descobertas da ciência. Descobertas inquietantes da ciência que os dogmas religiosos e a religião tenta ignorar ou suprimir. Acredito na religiosidade que afaga, que ama e respeita o próximo, que alegra-se com os que se alegram e entristece com os que sofrem. Religião não, humanismo, sim. Pensemos o que nós, pequeninos seres podemos fazer para tornar o nosso mundo melhor, aqui e agora, senão para nós, para nossos descendentes . DeusIlusão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário