sábado, 3 de novembro de 2012

Quem defende a Polícia?





Às vezes, nos sentimos constrangidos na sua presença, às vezes, nos intimidamos diante de sua postura sempre sisuda e sua abordagem seca. Em algumas situações sentimos nosso orgulho afetado por uma frase truculenta ou uma voz carregada de ar autoritário e um distanciamento como se fôssemos o inimigo a ser policiado. Nos sentimos assim porque nossa cultura não compreende bem o que significa disciplina, autoridade, regras sociais e hierarquia. São componentes sociais estranhos a nossa psicologia libertina e permissivista. Queremos que cumpram seu papel, só que a distância de nossos olhos. Passam 13 meses sendo preparados para agüentar o que a maioria de nós não agüentaria. São heróis, mas os jovens os odeiam, os intelectuais pedem sua desintegração, os rappers rimam contra eles, o estado ignora suas lágrimas e os delinqüentes os temem. Sua presença incomoda... Mais de 89 policiais mortos em São Paulo durante suas folgas! Não rende mais do que uma manchete em programas sensacionalistas e notas rápidas nos telejornais quando tombam. Semanas são dedicadas a repetir imagens e a debater suas ações quando supostamente falham. Quando caem, somente alguns minutos. Em São Paulo seu salário base é de R$ 2.400,39 acrescido adicionais e invencionices para que o valor seja menos indigno, porém, são obrigados a nunca sofrer afastamento, senão, serão obrigados a sobreviver apenas com o base! Muitos escolheram a farda por vocação para o heroísmo, outros até por falta de opção e, outros ainda, pela ilusão da estabilidade. Contudo, todos sofrem e são obrigados a ver seus familiares sofrendo calados. Sim, a maioria os detesta e querem sua presença incômoda distante dos olhos. Aqueles que os detestam também são os mesmos que gritam "onde está a polícia quando precisamos dela!", quando têm seus direitos invadidos por aqueles que odeiam a vida em sociedade. Um criminoso têm seus "adevogados" para defendê-lo, tem o pessoal dos Direitos Humanos para invocar seus direitos e falar em nome de sua condição desfavorável que supostamente é a origem de seu desajustamento social.

Quem defende um policial?




Nossa Constituição não permite que um indivíduo possa ser punido mais de uma vez pelo mesmo delito... Um policial é punido mais de uma vez! Vivemos distantes das pressões que um policial enfrenta, portanto, interpretamos mal sua postura. A verdade é que os invejamos porque não somos capazes de ceder gentilmente nossa própria sobrevivência para o próximo e isso eles o fazem por ofício. Os representantes que invocam os direitos dos bandidos defendem indivíduos bonzinhos como cidadão. Analisem quem merece mais atenção das instituições democráticas: o policial ou o bandido. Voltei... Aos que detestam a polícia e tudo o que ela representa, pensem bem... 
 Na hora de pedir socorro, recorram ao Pessoal dos Direitos Humanos, recorram aos líderes do PCC, afinal, eles têm um Tribunal que funciona! Vai agora me chamem de reacionário nojento! Os nossos leitores gostaram igualmente de Juíza que condena filho de Lula na ação contra a Revista Veja Juíza condena filho de Lula na ação contra a Revista Veja Eleições 2012: Resultado final da apuração para o Mensalão: Paulo Maluf é condenado a devolver dinheiro a São Paulo (Finalmente!) Não sou contra o pessoal dos Direitos Humanos, a meu ver eles desempenham um papel fundamental na defesa da vida, da garantia dos direitos humanos(universal) e do meu ponto de vista, acredito que o Estado (Soberano e Democrático) deveria prestar toda assistência e respaldo à família dos bravos policiais que destemidamente enfrentam as maiores adversidades no dia-a-dia para garantir o mínimo do sustento (pão de cada dia) e acabam tendo que fazer bicos (que antes era ilegal) agora legalizado sob a égide da permissividade dos nossos legisladores que pensam terem encontrado a formula mágica para solução do problema financeiro desses valorosos guerreiros, que diuturnamente enfrentam as mais adversas intempéries do tempo para garantir a ordem, a segurança e a paz , seja dentro ou fora de nossos lares...enfim... Não quero aqui levantar uma celeuma sobre direitos humanos, até mesmo porque quem esteve aonde eu estive, sabe o quanto é difícil compreender ambos os lados, sei quanto é complexo falar disso. Creio que avançamos muito, mas ainda é preciso treinar e reaparelhar cada vez mais a nossas forças policiais (PM, Polícia Civil, Agentes Penitenciários e Guarda Municipal etc) porque somos nós que vamos para as ruas atender o cidadão (seja intelectual ou inculto) mas deve ser bem atendido. Quanto a essa guerra social, se assim podemos defini-la, só um lado pode ser forte, a da justiça, e que seja para o bem do povo. Que a polícia seja forte e destemida sempre e não se esmoreça diante dos embates. Juntos poderemos fortalecer a polícia e nossa democracia. Me irrito com a polícia, quando a tropa de choque vai prá cima de trabalhadores e de estudantes em greve. Mas, em geral, na maior parte do tempo, a maioria dos policiais são do bem e estão do nosso lado.
 A maioria dos policiais são injustiçados. A Lei não os beneficia. A Justiça não os beneficia. E eles têm pouca ou nenhuma força política.

jotamachado

Um comentário:

  1. Basta que alguém necessite de defesa contra um bandido para saber o quão bem-vinda é a FORÇA, a FIRMEZA e a CORAGEM dos policiais.

    ResponderExcluir