quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

A história de um rapaz que profetizou os carros e os aviões...


Andrew Jackson Davis (fotos abaixo), filho de um sapateiro pobre e alcoólatra e sem qualquer tipo de instrução, foi forçado pela indigência a uma vida de trabalho praticamente servil. No entanto, de sua mãe, que se dizia ter sido uma vidente notável, herdou um suposto talento de clarividência que o distingue como um dos maiores adivinhos que existiram em todos os tempos. Teria previsto a invenção do avião e do automóvel.


Pouco antes de 1842, a sua família instalou-se em Poughkeepsie, em Nova York, onde Davis conheceu William Livingstone, um aprendiz de alfaiate e hipnotizador amador que gostava de conhecer as últimas novidades da psicologia, que começava a dar os seus primeiros passos como ciência. Reconhecendo as raras capacidades de vidência de Davis, Livingstone abandonou o seu emprego e dedicou-se a fazer promoção do futuro vidente, inicialmente como um curandeiro.

Davis proferiu mais de 150 conferências, a maior parte delas em suposto estado de transe, e escreveu um número considerável de livros. Passou a ganhar muito dinheiro e a se apresentar em circos, mais tarde em teatros luxuosos. Tanto nos seus escritos como nas suas preleções fez declarações de caráter profético que coincidiram com a realidade dos fatos num espantoso grau de correção e minúcia.


Além de, segundo se afirma, ter profetizado a construção de edifícios de cimento armado, no seu livro “O santuário” (que pode ser encontrado para download na internet), publicado em 1856, Davis falou de “veículos aéreos que se deslocarão pelos céus de um país para outro” em poucas horas como um “milagre da engenharia humana”.

Neste mesmo livro vaticinou o motor de combustão interna e o automóvel: “carruagens e salões que viajarão pelas estradas – sem cavalos, sem vapor, sem qualquer potência visível, deslocando-se com uma velocidade e segurança maiores do que atualmente conhecemos. (...) Estas carruagens serão movidas por uma mistura simples, maravilhosa e estranha de gases líquidos e atmosféricos – facilmente condensados e incendiados, e perfeitamente transmitidos por uma máquina de alguma forma semelhante aos nossos motores, totalmente oculta e manobrável entre as rodas dianteiras. Esses veículos evitarão quaisquer contratempos de que atualmente são vítimas as pessoas que vivem em territórios escassamente povoados. Os principais requisitos para essas locomotivas terrestres serão boas estradas, ao logo das quais, com os vossos motores e sem os vossos cavalos, podereis viajar com uma grande rapidez”.

Andrew Jackson Davis ganhou a América com suas conferências e profecias. Escreveu livros e livretos, fez muito dinheiro. Hoje é uma personalidade no mundo espiritualista dos Estados Unidos e sempre lembrado em documentários sobre o tema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário