quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Nova Era: a teoria conspiratória fundamentada na religião...

por orlando castor


Desde os anos 60, com movimentos sociais e políticos dos hippies, dos ambientalistas, das mulheres, dos negros e dos homossexuais fundamentou-se um grupo chamado Nova Era (geralmente, também, usado o termo em inglês, “New Age”), que possui muitas subdivisões mas uma linha concreta: a influência de filosofias orientais e misticismos com proposta de um novo modelo de sociedade para o futuro. Nesse movimento, o homem e a natureza se entenderiam a partir de atitudes simples.

Mas por que a Nova Era é, muitas vezes, tão polêmica? Trata-se da primeira teoria conspiratória com bases religiosas no século 20. Cristãos argumentam que uma série de práticas e símbolos são tentativas de um grupo anticristão de dominar o mundo e propagar crenças animistas, místicas e até ateístas entre as pessoas.


Os adeptos da Nova Era entendem que a chamada “era de aquário” derramaria na consciência dos homens um novo desejo de viver, desta vez em paz com os povos. O problema apontado pelo cristianismo é que o caminho para esta paz entre todos se fundamenta em crenças sem a presença de Jesus Cristo: yoga, meditação, gurus místicos, cristais, numerologia, sincretismos diversos etc.

Os adeptos da Nova Era entendem que a era cristã, período também conhecido como “era de peixes” (cada era astrológica duraria, em média, 2.151 anos), foi um período brutal para a história da humanidade, com guerras religiosas, intolerância, conquistas de povos, massacres, genocídios e torturas.

Para os teólogos, a Nova Era não se encaixaria numa nova religião ou seita, mas sim numa filosofia de vida fundamentada em misticismos milenares e teorias pseudocientíficas.


Algumas das crenças dos adeptos da Nova Era são...
1. Todo ser vivo tem uma alma e, portanto, deve ser respeitado como unidade;

2. Não existe um único Deus, mas sim deuses diferentes de maneiras diferentes. Assim, cada um de nós temos um pouco de um deus dentro da gente. Somos, então, entidades divinizadas na Terra;

3. Somos regidos por leis espirituais complexas que refletem do passado no presente e no futuro (reencarnação) e isso faz com que tenhamos uma missão na vida;

4. A ciência ocidental, metódica, cartesiana, precisa aprender a conviver com os chamados conhecimentos espirituais, como cromoterapia, homeopatia, parapsicologia etc;

5. As grandes religiões necessitam abrir espaço para a figura feminina, pois sempre foram patriarcais enquanto na natureza o gênero criador é o feminino;

6. Tudo o que acontece em nossas vidas tem um significado específico de fundo espiritual. Assim, corta-se o entendimento do livre-arbítrio, uma vez que tudo já está escrito;

7. A mente humana tem poderes fortíssimos e ainda desconhecidos, que podem ser aprimorados a partir de técnicas de yoga e meditação;

8. É preferível ser vegetariano, uma vez que a carne animal é símbolo de sangue e sacrifício.


À luz da razão podemos dizer que o movimento da Nova Era surgiu em um momento da história em que o homem vinha de uma série de tropeções na sua existência: pós-Segunda Guerra, Guerra Fria, Guerra do Vietnã, racismo nos Estados Unidos, processo de descolonização na África, ditaduras latinas etc. É por isso que a Nova Era surge afirmando que vivemos num tempo regido pela morte e pelos interesses de potências mundiais.

Entretanto, já vivemos a era de aquário, tão esperada pelos adeptos desta filosofia, e nada mudou. O ser humano continua sedento de poder, as potências mundiais permanecem se confrontando pelo domínio de campos de petróleo no Oriente Médio, as religiões ainda se desafiam e milhões de inocentes morrem anualmente nestes embates.

O cristianismo demonizou o movimento da Nova Era e fundamentou como uma teoria conspiratória de dominação global por ele fundamentar-se naquilo que a religião não crê e sempre condenou, além de não inserir o retorno de Jesus neste “cronograma da salvação da humanidade”, e isso ficou mais insistente com movimentos cristãos mais radicais, como o neopentecostalismo e a Renovação Carismática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário