segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Facebook e Google: próximos do fim?

O especialista em gestão estratégica Eric Jackson prevê que o Facebook e Google desaparecerão no máximo em oito anos. Antecipa que a popularidade que tem hoje já começa seu declínio.
O estudo do experto se baseia na velocidade de desenvolvimento atual da indústria tecnológica e, de acordo com sua base científica, em breve, ambos gigantes da internet cairão no anonimato. Em cinco ou oito anos, Google e Facebook estariam entrando para a história, não por problemas econômicos e sim pela perda de popularidade entre os usuários.
Algo similar ao que aconteceu com MySpace, que começou a perder tráfego pela incapacidade de se adaptar a novas formas de intercâmbio com a explosão dos smartphones.
Segundo explicou Jackson, a teoria da ecologia da população e ecologia organizacional, estabelecida por um grupo de sociólogos dos anos setenta, o sucesso de uma companhia depende mais da lógica de desenvolvimento da indústria que das decisões que tomam seus executivos.
Nesse sentido, o experto afirmou que a longo prazo, a viabilidade das empresas em internet depende do momento de seu nascimento. As mudanças significativas da internet foram de três gerações:  web 1.0 produzido entre 1994 e 2001, protagonizado por Netscape e Yahoo!; Web 2.0 o geração social, entre 2002 e 2009 com Facebook, LinkedIn e Groupon; e a geração celular, desde 2010 e que inclui aplicativos como Instagram.
Quando acontecem mudanças, as gerações anteriores não podem adaptar-se a elas e começam a desaparecer do mapa da rede, manifestou Jackson em um artigo publicado pela revista Forbes.


As estatísticas também revelam que as propagandas na rede social mais famosa do mundo já não são tão eficazes como antes. Segundo uma pesquisa realizada entre os dias 31 de maio e 4 de junho nos Estados Unidos com mais de mil estudantes, 80% revela que nunca se motivaram a comprar algum produto oferecido pelas publicidades que aparecem nas páginas do Facebook e que 34% dos usuários passaram menos tempo conectados, nos últimos meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário