sábado, 13 de abril de 2013

A Terra é velha, e há muitas histórias que não foram contadas


(Artigo escrito por Leandro para o site Mistérios Antigos - Os antigos habitantes da Terra)
http://misteriosantigos.50webs.com
e-mail: misteriosantigos@uol.com.br
 

Dinossauro em arte rupestre de Minas Gerais. Comparação entre um brontossauro, uma criatura teoricamente extinta há 65 milhões de anos atrás, e uma figura encontrada no Vale do Peruaçu, em Minas Gerais. Será que eles viram um?
A idade aproximada do início da presença humana no local é de 11 mil anos.

Dinossauro em arte rupestre no Vale do Peruaçu, Minas Gerais.

Você consegue adivinhar qual paisagem é de Marte e qual é o deserto de Marrocos? Resposta no final da página


Esta pedra se encontra no Parque Municipal da Pedra Montada, em Guararema. Ela apresenta uma curvatura em 'L', parecida com algumas estruturas do Antigo Egito.
Pedra quina, visão lateral.      Pedra quina, visão frontal.

No Irã, 12 km a noroeste de Persépolis, se localiza Naqsh-e Rostam. Lá estão as tumbas colossais dos imperadores persas, incluíndo a de Dario o Grande e Xerxes. São 4 tumbas completas, a 5ª tumba não foi finalizada.
Tumbas dos reis persas.      Tumbas dos reis persas.

Vista aérea de alguns 'moai' na rocha. Ilha de Páscoa.
Ilha de Páscoa.

Domus de janas ou 'casa de fadas' é como são conhecidas estas câmaras escavadas em rocha encontradas em Sardenha, na Itália. Datam de 4 mil anos atrás.
Casa de fadas.   Casa de fadas.   Casa de fadas.

Não é só no Egito que tem esfinge. Esta aqui fica em Babele, na Romênia. Dizem que se formou pela ação dos ventos...
Esfinge na Romênia

Asteróides e meteoros não são tão relevantes para a história e desenvolvimento dos planetas como eles são representados atualmente. O que acontece é um grande jogo de interesses. A importância desses pedregulhos errantes nunca foi realmente aceita até o final da década de 50, quando a ciência planetária começou a crescer e eles perceberam o que estava acontecendo 'lá fora'. Teorias foram abraçadas, não por serem válidas, mas porque certas coisas deveriam ser tratadas para moldar a mente das pessoas, antes que se pudesse falar da geologia dos nossos planetas vizinhos.
Aqui estão eles, não são perfeitamente redondos, não criam crateras esféricas com uma fenda na borda, e não desaparecem.
Meteoritos em Iowa, nos Estados Unidos, 1875.    Meteorito Willamette, Oregon, Estados Unidos.    Meteorito de ferro fotografado em Marte pela sonda Opportunity, em 2005.    Meteorito Bocaiuva, encontrado em Minas Gerais em 1965. Grupo de Astronomia da UFMG.

Comparação entre uma cratera do Asteróide 253 Mathilde visualizada pela espaçonave NEAR, em 1997, e um OVNI filmado na missão STS-75 da NASA, em 1996 - isto deve explicar as enormes crateras.
Asteróide 253 Mathilde apresenta crateras de extração do solo de formato característico e condizente com os objetos não-identificados filmados na missão STS-75.

Cratera Sirenum, em Marte.
Cratera de extração do solo em Marte.

E outra:
Fenda característica em cratera marciana.

A sabedoria dos antigos aborígines australianos nos conta sobre a origem da cratera Wolfe Creek, conhecida por eles como Kandimalal, e como duas serpentes míticas moldaram e deram características à terra pobre enquanto cruzavam o deserto, formando cordilheiras, vales e canais. A tradição diz que a Serpente Arco-Íris (Rainbow Serpent) procurava por um lar naquelas planícies, e, se movendo debaixo do solo, ela emergiu, criando a cratera. Primeiro ela foi para uma ilha pequena, então para outra, e em seguida para uma terceira. Após verificar essas três ilhas, ela resolveu fazer da primeira a sua morada.
Isto poderia explicar a semelhança entre Wolfe Creek e as crateras na Ilha de Páscoa.
Serpente Arco-Íris emergindo do subsolo
Serpente Arco-Íris.
Artista: Jack Lanningan, Halls Creek / Título: Kandimalal

Clique na imagem abaixo para conhecer mais sobre Rainbow Serpent e a cultura dos aborígines australianos.
Serpente Arco-Íris.
Artista: Boxer Milner, Billiluna / Título: Kandimalal (Cratera Wolfe Creek) e a Serpente Arco-Íris

Gigante de Paruro, Cusco, Peru, 1917. Uma foto rara de um descendente dos antigos construtores e habitantes das cidades incas como Machu Picchu e Sacsayhuaman.
Gigante de Cusco, Peru, 1917.jpg
Foto: Martín Chambi

Comparação entre uma cratera na superfície de Marte, e uma trilha deixada por um animal que se movia abaixo do solo arenoso. Talvez a lenda da Serpente Arco-Íris não seja tão absurda quanto parece.
Evidência circunstancial da Serpente Arco-Íris.

Monumentos dentro da cratera Rano Raraku, Ilha de Páscoa.
Na Ilha de Páscoa, as extrações do solo foram feitas com o intuito de utilizar as pedras para construir os monumentos.

Afloramento rochoso, Wolfe Creek, Austrália.
Extração do solo na Austrália.

Vaso de diorito do Egito Pré-Dinástico, 3.600 antes de Cristo. O diorito é um dos tipos de rochas mais resistentes encontrados na natureza. Hoje, com o aparato tecnológico de que dispomos, é possível talhar ou perfurar blocos de diorito utilizando uma broca de diamante, porém, não é possível modelar o diorito do modo como ele foi modelado na fabricação de diversos artefatos milenares.
Vaso de diorito.

Estátua de diorito da 4ª Dinastia Egípcia, 2.600 a.C.
Estátua de diorito do Egito Antigo.

Devils Marbles (Mármores do Diabo), ou Karlukarlu na língua aborígine, é como são chamadas estas rochas arredondadas gigantes encontradas no norte da Austrália. A tradição antiga diz que estas pedras são os ovos depositados pela Serpente Arco-Íris. Interessante...
Mármores do Diabo, Austrália. Ovos da serpente Arco-Íris.


Manuscrito Islandês do século XVII mostrando Jormungand sendo fisgado com a cabeça de um boi. Na mitologia nórdica encontramos registros da criatura do caos chamada Jormungand, ou Serpente de Midgard, habitante do oceano cósmico. Segundo as lendas, seu tamanho seria tão imenso que ele é capaz de envolver a Terra inteira.
Jormungand. Manuscrito Islandês AM 738 4to.


Concepção artística da Serpente de Midgard.
Serpente de Midgard, ou Jormungand, habitante do oceano cósmico.


Conceito similar é visto em outro símbolo antigo, Ouroboros, uma serpente ou dragão que envolve e contém o mundo com seu corpo, mordendo a própria cauda, e realizando um constante movimento circular.
Ouroboros.


Uma jóia gnóstica da coleção de Bernard de Montfaucon. No gnosticismo temos a figura do regente chefe Yaldabaoth, uma serpente com cabeça de leão, que criou o universo e suas forças ao tentar fazer uma réplica dos reinos eternos que existiam antes dele.
Regente chefe Yaldabaoth.




Resposta: Marte é a da direita. É possível identificar pela ausência da coloração azul na atmosfera. Isto é, segundo os cientistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário