segunda-feira, 1 de abril de 2013

Ao Adulto





Quero conversar com você, que acha que é adulto porque tem mais de 21 anos, ou porque já é casado, trabalha, já tem filho e talvez esteja beirando os 40 anos... Não importa se é homem ou mulher, se está chegando aos 50 anos e se acha maduro, dono de si mesmo!

Acima de tudo, dirijo-me ao ser humano que labuta neste mundo cheio de conflitos, que enfrenta todo tipo de adversidades, que é solteiro ou casado, não vem ao caso. Mas sei, sem dúvida alguma, que não acha sua vida um mar de rosas, que não navega em águas tranqüilas e que nem sempre, ou quase nunca, as coisas acontecem como deveriam ou como você esperaria que acontecessem...

Também sei que na maioria das vezes, a pessoa adulta, hoje, não tem uma remuneração farta, com sobras; ao contrário, conta até os centavos para tentar chegar ao fim do próximo mês. Muitos fazem "bicos", horas-extras, trabalhos paralelos. Outros, colocam os demais membros da família a trabalhar, para sobreviver. As dívidas são uma constante. E a lista de coisas a serem adquiridas cresce, por falta de recursos.

Há uma parcela que estuda à noite para aumentar os conhecimentos e assim auferirem mais rendimentos. Outros, abrigam-se nos programas de TV para tentar esquecer as agruras do dia. Grande parcela busca nas drogas, no jogo, o meio fácil para ganharem dinheiro. Negócios escusos, empresas sem registro, funcionam como alternativa para imenso contingente de pessoas.

Temos aqueles que estão vivendo num emprego público e também sentem as dificuldades; poucos são os privilegiados que pertencem a Órgãos governamentais de todas as esferas que remuneram regiamente. Sem falar os empregados de grandes empresas e grandes estabelecimentos que conseguem ótimos salários, mas também se acham sob constante coação no seu dia a dia. Que dizer dos políticos que se encontram em cargos eletivos, ganhando polpudas verbas, quando não estão envolvidos com casos suspeitos.

Os profissionais liberais, bem como os empregadores empresários, também lutam com todo tipo de concorrência e pressão.
As donas de casa fazem verdadeiros malabarismos para administrarem os parcos recursos; líderes religiosos padecem com as dificuldades dos membros de sua comunidade.

Temos aqueles profissionais envolvidos no trabalho para manter a mídia no ar 24 horas por dia, às vezes massacrados pela urgência, pela busca de novidades, pela disputa do público (ouvinte, leitor ou espectador). Sem contar com os atores, artistas e técnicos da área, que criam e levam aos públicos programas de entretenimento ao vivo ou pela TV, sempre procurando ser melhor que antes, numa tarefa diária árdua para manter sua capacidade e representatividade.

Paralelamente a isso tudo, temos os casados, os descasados, os viúvos, os amigados, mas quase todos com filhos pequenos ou adolescentes, ou já adultos também, que se encontram com problemas necessitando do apoio dos pais.

Para resumir, seria exagero afirmar que quase todos correm numa busca incessante sem realmente saberem para que fim e nem para aonde vão? Correm atrás "da máquina", numa ânsia de resolver os impasses e dificuldades de toda ordem (falta de dinheiro, doenças, desemprego, insegurança, etc.), verificando que novos obstáculos surgem e assim a corrida desenfreada não tem fim.
No meio de tudo isto, os relacionamentos se cruzam, se renovam, se desfazem, se perpetuam; as inconstâncias e decepções se sucedem e o ser adulto sofre, revolta-se, acha-se impotente. Muitas vezes busca apoio na bebida, nos vícios, como a achar uma muleta para o seu conflito interior.

Não parece que a humanidade está diante de um impasse? Por um lado temos eventos esportivos internacionais periódicos que parecem unir a raça humana; mas por outro, as divergências, a violência, o terrorismo, o domínio pela força, a divisão de interesses (os mais variados), a proliferação da miséria e o aumento da delinqüência com o uso da força, intimidam e criam um clima de pânico nas grandes cidades.

Eis a razão dessa mensagem. Espalhar a maior crença entre todos: a adoção do despertar da consciência com a prática de uma espiritualidade honesta, baseada na responsabilidade. Fugir de uma perseguição cega do ter as coisas, para uma busca de si mesmo que traga a tranqüilidade e a paz de viver cada minuto com intensidade, esquecendo-se do ontem e do amanhã. Viver no agora, pela sua verdade interior.

Não podemos pugnar pelo desprezo das coisas, mas pela prioridade delas. É isso que a Espiritualidade de Deus. Leva o HOMEM à busca do auto-conhecimento e à solidificação de sua estrutura pessoal para alcançar a harmonia e poder então, construir sua vida em cima de um alicerce firme e profundo, permitindo que possa fazer o que quer, dentro de um clima de paz e equilíbrio até atingir as coisas que quer ter como conseqüência natural, sem estresse e sem sofrimento.

Aparentemente parece uma tarefa hercúlea, quase impossível. Mas a solução para tudo isto não é mudar o comportamento, porque a base está em você e mais tarde, as mesmas mazelas humanas retornarão, a chave é você reforçar, alterar ou mudar suas crenças. Mas para isto, recomendo CONHEÇA UM POUCO MAIS, SOBRE O PROPÓSITO QUE DEUS TÊM PARA VOCÊ ,esse é o Caminho, como para seu Crescimento, sua Prosperidade Espiritual e Material e sua Atuação como uma pessoa que sabe o que quer e vai consegui-lo.

Procure por Deus,não prometa nem adie.

Nenhum comentário:

Postar um comentário