segunda-feira, 6 de maio de 2013

Brasil, Mito De Todos Os Povos


Coletânea de Profecias e Previsões sobre o Brasil.


"Aparecerá aqui a terra prometida, de onde flui leite e mel. Será uma riqueza inconcebível." 
Dom Bosco, santo italiano, 1818 — 1888

"O Brasil será o vértice da suprema humanidade." 
Withman, poeta americano

"Assim fala o Senhor, Deus de Israel: Ouvi a minha voz e fazei tudo o que vos mando. Então sereis o Meu povo e Eu o vosso Deus. Então ratificarei o juramento que fiz a vossos pais de lhes entregar uma terra de onde mana leite e mel." 
11 Jeremias 4, 6

"O Brasil será transformado numa prodigiosa Força de Bondade, Berço da Sabedoria e Amor à Humanidade, dons naturais de todos os homens evoluídos do Brasil. Haverá peregrinação do Oriente e de toda a parte, em demanda ao Verdadeiro Centro Único do Mundo, o Brasil, o Celeiro da Cultura Universal, no presente Ciclo do Homem Superior" 
Rabindranath Tagore, filósofo hindu


Quinto Império, Idade de Ouro, Millennium, ou Era de Aquário são todos nomes que tratam do mesmo assunto, ou seja, dos sentimentos que todos os povos conhecidos possuem relativos à criação e realização de uma sociedade justa, espiritualizada, pacífica e universal. Esses ideais sempre estiveram presentes entre gregos e judeus, cristãos e islamitas, e povos das mais variadas culturas do Ocidente e do Oriente.

Do mesmo modo, a tese segundo a qual o Brasil será o país realizador desses sonhos, o centro irradiador da Idade de Ouro - não só por suas imensas riquezas materiais, mas, sobretudo, por causa da espiritualidade que está gerando e irradiando - é muito antiga . Disseminada em muitas culturas, existia
já antes da tomada de posse do Brasil em 1500 por seus verdadeiros descobridores, ou seja, a Ordem dos Cavaleiros do Templo e sua herdeira direta, a Ordem dos Cavaleiros de Cristo (organizações fundadoras e mantenedoras de Portugal, o Estado Templário).

"Terra Abençoada"

O nome Brasil, significando "terra abençoada", já existia antes de Cabral ter batizado estas terras de Ilha de Vera Cruz (ou seja: da Verdadeira Cruz) - e durante a Idade Média, no período anterior ao descobrimento, "a lendária Ilha Brasil povoa a poesia, os mapas, as tradições, as profecias, o folclore", conforme nos afirma, entre outros autores, Felipe Coccuza, em seu livro "A Mística da Amazônia". 18 Segundo este autor, o Brasil foi descoberto pelos portugueses antes de 1343; neste ano, tal descoberta foi informada ao papa Clemente VI, que recebeu um mapa com o nome de Ínsula do Brasil (Ilha do Brasil) – portanto já com o nome que tem atualmente. 

Não são poucos os pesquisadores a afirmar que os reis-templários, responsáveis pelas navegações portuguesas, desde o século XII já tinham conhecimentos precisos sobre essas imensas terras a ocidente da África, obtidos da Biblioteca do Templo de Salomão, possuindo mapas-múndi bem delineados, além de conhecimentos sobre as correntes marítimas e navegação; sabiam também de profecias dos profetas judaicos (como Isaías e Ezequiel) que dessas ilhas muito ricas sairia no futuro a orientação espiritual que vigoraria na terra.

Rainer Daenhardt, reconhecido historiador alemão, em seu livro "A Missão Templária nos Descobrimentos", discorre longamente sobre a forma como os reis portugueses teriam adquirido conhecimentos que propiciaram as descobertas marítimas.

Segundo ele, os monarcas de Portugal devem ter tido acesso a parte da Biblioteca de Alexandria, salva do fogo que a consumiu em 48 a.C., pois seus bibliotecários tentaram salvar pelo menos alguns dos rolos mais preciosos (os rolos eram 70 mil ao todo). A Ordem de Cristo também possuía cópias do famoso Claudius Ptolomeus, o cartógrafo de Alexandria do 2° século da era cristã. O infante d. Henrique recebeu também de venezianos documentos das famosas viagens de Marco Polo. Mas o principal, para Rainer, é a possibilidade de os templários terem tido acesso à Biblioteca do Rei Salomão, que estava acomodada em subterrâneos usados depois pelos cavaleiros com capacidade para acomodar acima de dois mil cavalos.

Em 1296 os templários – é fato histórico – trataram de transferir sua biblioteca para a Ilha de Chipre, a fim de defendê-la dos muçulmanos. Que biblioteca era essa, pergunta Rainer, se não havia gráfica em Jerusalém e se entre os cavaleiros não havia copiadores, nem tempo para elaboração de cópias, devido às guerras?
A biblioteca, para ele, seria a encontrada nos subterrâneos do templo. Ela nunca chegou a Chipre nem a Paris, onde a Ordem construiu uma torre para abrigá-la. Para onde foi então? Rainer conclui que ela pode ter sido transportada para Portugal, o local mais seguro para preservá-la, afirmando ainda: "se os grandes conhecimentos do Infante d. Henrique não vinham somente dos mapas e diários de Marco Polo e dos mapas ptolomaicos de Alexandria, é bem possível que viessem da Biblioteca da Ordem de Cristo - o que permite em parte a hipótese de terem vindo através dos templários das salas subterrâneas do rei Salomão”20.

Ludwig Schwennhagen, historiador austríaco que fez pesquisas no Nordeste e na Amazônia brasileira, narra em seu livro Fenícios no Brasil (Antiga História do Brasil de 1.100 a.C. a 1.500 d C.)21 , nas páginas 24 a 30 e 79, que os navegadores da Fenícia (atual Líbano) chegaram às costas brasileiras quase três mil anos atrás , por volta do ano 1.100 a. C., deixando sinais e inscrições em pedras por grande parte do território nacional, inclusive a famosa Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro. Depois, trouxeram para cá os hebreus, a partir de 970 a.C., durante o reinado de Salomão, cumprindo um acordo feito entre o rei de Judá Davi e o rei fenício Hirão II.


"O tratado do historiador Henrique Onfroy de Thoron, sobre o suposto país de Ofir, publicado em Manaus em 1876 e reproduzido em As Duas Américas de Cândido Costa, em 1900, é um trabalho completo, que acabou com todas as lendas e conjeturas a respeito das misteriosas viagens da frota de Salomão. Da bíblia hebraica prova ele, palavra por palavra, que a narração dada no I livro de Reis sobre a construção, a saída e viagem da frota dos judeus, junto à frota dos fenícios, refere-se unicamente ao rio Amazonas", afirma Schwennhagen, na página 39.

Como é evidente, Salomão possuía dados sobre essas navegações, inclusive mapas; e são esses documentos preciosíssimos que podem ter chegado às mãos dos templários, levando-os a organizar as navegações portuguesas. como veremos à frente.

Os cavaleiros de Cristo (os antigos templários) foram capitães de naus e colonizadores das terras descobertas, além de que os próprios reis de Portugal eram templários, assim como toda a estrutura do Estado Português , através dos séculos, desde a fundação desse país por S. Bernardo de Claraval em 1139. Por essa razão, António Quadros o chamou de " país templário". E o sonho maior dos templários, perseguido durante séculos, era chegar às "ilhas imperecíveis", à "Ilha do Brasil", ou seja, "à terra abençoada".


Previsões e Profecias sobre o Brasil

Toda uma plêiade de escritores e historiadores famosos, filósofos e místicos intuíram ou profetizaram sobre a Era do Espírito Santo, dizendo que essa nova Idade de Ouro teria início no Brasil.

Dom Bosco (santo italiano, 1818 - 1888)
Num de seus sonhos proféticos, viu no Brasil o aparecimento da Terra Prometida. Ele teve esse sonho em San Benigno Canavese, em 1883. Contou-o em 4 de setembro aos membros do Terceiro Capítulo Geral. O P. Lemoyne o escreveu imediatamente, e Dom Bosco o completou e retocou.

"Eu tinha debaixo dos olhos as riquezas incomparáveis destes países, que serão descobertas um dia. Via numerosas minas de metais preciosos, depósitos inexauríveis de carvão fóssil, depósitos de petróleo tão abundantes como jamais até então se encontravam em outros lugares. Mas isto não era tudo. Entre os graus 15 e 20 (no Brasil) havia um vale muito largo e muito longo que partia de um ponto onde se formava um lago. Então, uma voz disse repetidamente: - Quando se vierem a escavar as minas escondidas em meio a esses montes, aparecerá aqui a terra prometida da qual flui leite e mel. Será uma riqueza inconcebível °.
(Obs.: Em 11 Jeremias 4,6 lê-se que a terra prometida por Deus a seu povo (seus seguidores) é aquela de "onde mana leite e mel".

Por causa dessa profecia, Juscelino Kubitscheck construiu a capital em Brasília, e inaugurou-a à zero hora do dia 21 de Abril, no mesmo dia da fundação de Roma.

Stefan Zweig
"O Brasil (...) indubitavelmente esta destinado a ser um dos mais importantes fatores de desenvolvimento futuro do mundo."

Historiador austríaco, cujos livros foram , em sua época, os mais vendidos no mundo, Zweig via o Brasil como o único país apto a realizar o modelo de civilização ideal - pacífica, universal, sem preconceitos raciais, liberal e humana. Em uma de suas mais famosas obras, Brasil, País do Futuro, escreveu:
"(O Brasil é) (...) um país cuja importância para as gerações vindouras não podemos calcular; mesmo fazendo as mais ousadas estimativas. E(quando cheguei ao Rio), percebi que havia lançado um olhar para o futuro do mundo." (p.13); . (...)como poderá conseguir-se, no mundo, viverem os entes humanos pacificamente uns ao lado dos outros, não obstante todas as diferenças de raça, classes, pigmentos, crenças e opiniões? (...) nenhum país resolveu (esse problema) de maneira mais feliz e mais exemplar do que aque-la por que este o fez: é para gratamente testemunhar isso que escrevi este livro. O Brasil resolveu-o de uma forma que, quanto a mim, requer não só a atenção mas também a admiração do mundo". (p.16).

"Logo que alguém chega a esta terra, a primeira surpresa que, depois, todos os dias felizmente se renova, é a de ver a maneira amistosa, e não fanática, como os entes humanos vivem no gigantesco território. Sem querer,respira de novo, sente-se bem por haver saído do ar mefítico do ódio entre raças e classes inimigas, e por se encontrar nesta atmosfera mais humana. (...) nós, que experimentamos na nossa própria sorte as terríveis conseqüências dessas exaltações psíquicas, dessa avidez e ganância de poder, sentimos que essa forma mais suave e mais serena de vida é um benefício e uma felicidade" (p.19) "Por isso, já não estamos dispostos a reconhecer uma classificação de acordo com o valor industrial, financeiro e militar de um povo, mas sim avaliar o grau de superioridade de uma nação pelo seu espírito pacifico e humanitário" (p. 20).

Rabindrianah Tagore
Filósofo hindu, afirmou que o Brasil será transformado numa prodigiosa força de bondade, berço da sabedoria e amor à humanidade; será a capital espiritual do mundo. É no Brasil que surgirá a Nova Obra do Homem Superior, em forma de livros.

Haverá o fim do ciclo decadente, com o advento da era de Aquário; o homem de boa vontade, surgido no Brasil, levará ao mundo inteiro a mensagem de uma nova cultura a favor de uma nova idade, de paz, luz e progresso para todos os seres da Terra - o Brasil será o celeiro da Cultura Universal do Homem Superior. 

Aurobindo
Filósofo hindu, (1872-1950), conterrâneo de Tagore (ambos bengalis), também acreditava que no Brasil seria gerada e difundida a nova civilização. (Prof. Negalha)

Jinarajadasa
Teósofo do Sri Lanka (1875-1953), afirmou que o Brasil seria o coroamento da evolução da humanidade. A sociedade teosófica recebeu ajuda financeira e promocional inglesa e americana, em troca de duas condições: 1.°) que Helena Blavatsky não revelasse que a "Ilha Imperecível" (Brasil) seria o berço e coroamento da humanidade; 2°) antes da missão do Brasil seria inventada a missão dos Estados Unidos, como a 6ª raça, para durar 2.000 anos mais ou menos.(prof. Negalha).

Vishnu-Purana
Profecia antiquíssima da Índia diz que a restauração da Idade de Ouro seria feita pelos descendentes da raça primordial. O 15° Dalai-Lama (1876-1933) identificou o Brasil como sendo a nação líder dessa Idade de Ouro. A raça primordial é a Tupi. (prof. Negalha).

Dante Alighieri (1265-1321)
Quanto à "raça primordial", Dante, em sua obra Divina Comédia, refere-se à constelação do Cruzeiro do Sul (desconhecida pelo povo europeu na época, pois não é vista no hemisfério Norte) dizendo que era contemplada pela gente primitiva ou primordial. (Canto Purgatório I, 22, 24:"I' mi voisi a man destra, e puosi mente/all'altro polo, e vidi quattro stelle/non viste mai fuor ch ' alla prima gente").

Edmundo Cardillo em "Dante, 600 anos de Dúvidas", aventou a hipótese de que o poeta "quisesse ter-se aludido a um povo muitíssimo mais antigo que os fenícios, ou seja, o povo da Atlântida, cujos ramos se estenderam pela América do Sul, formando incas e tupis-guaranis".

Dante previu também o surgimento do Veltro, o Pastor de Almas, que venceria o mal na tormenta. 

Felipe Cocuzza
"O cosmonauta russo luri Romanenko, o homem que mais tempo viveu no espaço, mais de um ano (...) informou que o Brasil difere de todos os países do globo, pois emite fachos de luz tão fortes, que até com os olhos . fechados e dormindo, ele percebia quando a nave passava por cima de nosso pais." (Cocuzza.) 26
Em seu livro A Mística da Amazônia, este autor faz inúmeras referências à missão do Brasil, sendo mais um dentre muitos escritores e historiadores a afirmar que o nome Brasil não vem de pau-brasil (cor de brasa) como se pensa. Ao contrário, a madeira é que recebeu o nome que, antes do descobrimento, esta nação já tinha ( p.71). Afirma ele que:

"O continente sul-americano, popularmente conhecido no mundo como Brasil, de acordo com a tradição esotérica, tem a forma de um coração e o Brasil acompanha o seu contorno ocidental, adquirindo também a ,forma de um coração" (p.17).

"As ambições estrangeiras sobre a Amazônia têm um objetivo maior, a longo prazo: o domínio de todo o continente do futuro. "(p.20)

"A Ilha do Brasil a África Equatorial e do Sul faziam parte do velho continente Gondwana(...) ao fragmentar-se o Gondwana, a Ilha do Brasil, a terra mais velha e mais sólida do planeta, a que primeiro esfriou e se solidificou, iniciou o seu deslizamento para o Oeste.(...) Tudo isto que a ciência moderna descobriu era sabido e ressabido pelos sábios antigos, que conservaram e transmitiram a sabedoria esotérica através de milênios. "(p.18)

"A era dos grandes achamentos marítimos (...) coincide com o exacerbamento da utopia do paraíso terrestre, latente em todas as civilizações. Essa utopia, que se traduz por uma Idade de Ouro que virá, restaurando a que já existiu, não é mera fantasia do inconsciente. "(p.21)

"Quando os portugueses tomaram posse do Brasil, que já conheciam secretamente há muito tempo, a nova terra assume todas as características do paraíso terrestre. Todos os navegadores pensam assim e o epistológrafo Américo Vespuccio salienta que a pujança das florestas brasileiras e seus aromas sugerem a proximidade de tal paraíso. "(p.23)

"A cerâmica da Amazônia é três milênios mais velha que a dos Andes e é a mais antiga do hemisfério Ocidental. "(p.34)

"A tradição esotérica diz que o mar amazônico era um mar mediterrâneo e que as ilhas arqueanas do Norte e do Sul (Guiana e Brasil) eram habitadas e que tinham comunicação com a Atlântida. "(p.34)

Almeida Garret
Em seu poema "Camões" apresenta o autor de Lusíadas anunciando, em seus últimos momentos de vida, que a grande civilização lusófona, com seus ideais seria concretizada no Brasil, simbolizado pelo rio Amazonas:

"Onde levas tuas águas, Tejo aurífero? Onde, a que mares?
Soberbo Tejo, nem padrão ao menos ficará de tua glória? Nem herdeiro
de teu renome? Sim: recebe-o, guarda-o generoso Amazonas, o legado,
de honra, de fama e brio: não se acabe a língua, o nome português na Terra"? 

Victor Hugo
Em seu poema "Aos Brasileiros", diz que "a Europa durou um segundo" e que "o Brasil será a Europa de depois de amanhã". (a)

Withman
Grande poeta americano do século passado, escreveu "Uma Saudação aos Brasileiros" , dizendo que o Brasil será "o vértice da suprema humanidade". (b)

William Blake
Para James Joyce e William Blake, o nome Brasil é anterior à descoberta do Brasil. Sintagma pertencente ao repertório da toponímia mítica do Ocidente, significa uma ilha mágica, país lendário, mundo fabuloso. Blake afirmou: "Paraíso Encoberto, o Brasil Indígena. E 32 nações a morar nos portões de Jerusalém. Venham, nações! Venham, gentes! Venham a Jerusalém!... Peru, Patagônia, Amazônia, Brasil: 32 nações. E sobre essas 32 classes de ilhas no oceano (é o símbolo das ilhas que Isaías previu) todas as nações, povos e línguas de toda a Terra". (c) Como se sabe, o Brasil é o país onde convivem pessoas de todas as raças.

Haggard
Autor (inglês) de As Minas do Rei Salomão foi subornado para dizer que essas minas ficavam na África do Sul e não na Amazônia. (d)

Montaigne e Rousseau
Montaigne, filho de mãe portuguesa de origem judaica, influenciou Rousseau na teoria da "bondade natural", através da descrição do índio bra-sileiro - e isto foi decisivo para as conclusões psicológicas , pedagógicas e sociológicas a que chegou Rousseau, na parte revolucionária de sua obra. 

Papa João XXIII
Atribuem a este papa várias profecias sobre o Brasil. Foi, oficialmente, o primeiro a ler o terceiro segredo de Fátima, em 1959. Como se sabe, este segredo, confiado aos pastorinhos em Fátima, ainda não foi inteiramente revelado. Ele foi lacrado e guardado no Vaticano para ser aberto só na segunda metade do século XX.

Segundo alguns autores, o segredo foi analisado pelos papas já antes de 1960, mas, oficialmente, foi João XXIII o primeiro a lê-lo.

Ao que tudo indica, esta mensagem também se refere diretamente à pátria brasileira, 30 pois consta que o papa Paulo VI, ao lê-la, desmaiou, dizendo também: "feliz do Brasil!". Isso indica que a mensagem é extremamente positiva para o Brasil, devendo ser comparada a outras aqui reunidas, que apontam no mesmo sentido.

Nas profecias alegadamente de João XXIII ele cita "a terceira Itália. Duas !tálias tiveram que morrer para limpar o passado. Hoje, Roma não tem mais esse nome e seus palácios não estão no Norte ", o que é interpretado como sendo: 1ª Roma – Império Romano; 2ª Roma – o Vaticano; 3ª Roma — São Paulo, no hemisfério Sul, a grande cidade construída por italianos e descendentes de italianos (20 milhões de habitantes). Juscelino havia acreditado ser Brasília a 3ª Roma.

Santo Isidoro de Sevilha
Autor de célebre profecia sobre Portugal (e, por extensão, o Brasil), que foi proibida pela Igreja e pela Espanha: muitos espanhóis morreram porque a divulgaram. Dois frades, (um de Valença, outro de Aragão) cantaram-na em versos e foram mortos (século XVI). Essa profecia, referente ao Quinto Império, ligava seus fundadores a Portugal. (Prof. Negalha.)

Dubravski
Místico húngaro contemporâneo, diz que o Brasil é um reservatório para onde fluem todas as energias espirituais, preparando o seu futuro. (e)

Oswald de Andrade
Poeta de grande intuição, fundador do Movimento de Arte Moderna no Brasil, ao mesmo tempo que repercutia em Portugal o movimento Renascentista português (Pessoa, Leonardo Coimbra, etc.) declarou: "a felicidade do homem é uma felicidade guerreira, não temos razão alguma para temer a possibilidade do sonho se encarnar na História. Pelo contrário - vamos realizar a utopia chamada Brasil. " (f)

Antonio Telmo
Autor de História Secreta de Portugal , afirma que o movimento da história européia está prestes a inverter-se. O ponto cardeal do ciclo europeu, prestes a findar, foi o Pólo Norte. Os Estados Unidos da América são o principal prolongamento da civilização nórdica. O movimento histórico passará a desenvolver-se do Ocidente para o Oriente, tomando-se predominante o Polo Sul, do qual decorrem: o peso que o Brasil e toda a América do Sul começam a assumir no mundo e as grandes transformações no continente africano.

Pietro Ubald
Místico italiano, declarou que "o sol da Nova Civilização do Terceiro Milênio despontará no ano dois mil. Acrescento agora que certamente ele nascerá no Brasil".

São Francisco de Paula
Italiano de Catalina, nascido em Paola, em 1416, e falecido na França, em 1507, escreveu, nas cartas a seu amigo português e filósofo Simão Ximenes, entre 1445 e 1462: "Vossa santa geração será maravilhosa sobre a Terra, entre a qual haverá um de vossos descendentes que será como o Sol entre as estrelas... Reformará a Igreja de Deus. Fará o domínio do inundo temporal e espiritual e regerá a igreja de Deus... Purificará a humanidade, convertendo todos à lei de Deus; será fundador do Reino Universal de Deus na Terra ou da Nova Religião, em que todos adorarão o verdadeiro Deus... Será funda-dor de uma religião como nunca houve".

Hermann Keyserling
Filósofo alemão, fundador com Jung da Escolada Sabedoria em Darmstadt, Alemanha, sabia, por informações esotéricas e históricas transmitidas através dos séculos, que em São Paulo iria se iniciar, na década de 1970, a Era de Aquário e que desta cidade seria irradiada a orientação espiritual para o mundo para os próximos 5 mil anos.

A SITA — Sociedade Internacional de Trilogia Analítica, da qual sou a vice-presidente, recebeu em São Paulo , em 1979, o filho de Hermann, Arnold Keyserling, professor de Filosofia da Universidade de Viena, que disse ter reconhecido na ciência tri lógica de Norberto Keppe sinais do começo dessa era esperada por ele, por seu pai e pelos da Escola da Sabedoria.

Verdadeiro fenômeno energético-demográfico, e situada em cheio na faixa da Era de Aquário, a Grande São Paulo, capital e coração de fato do Brasil, teve um crescimento sem paralelo em qualquer outra parte do mundo; nos últimos cem anos, passou de 65 mil habitantes (1899) para 20 milhões (1999); a própria cidade de São Paulo atingiu o impressionante número (oficial) de 9 milhões de habitantes, equivalente a toda a população da Suécia ou de Portugal, chegando ao Terceiro Milênio como a maior metrópole do mundo e não só do Hemisfério Sul. Já em 1920 tinha crescido 1.000 % em relação a 1899, tendo 200 mil imigrantes, em sua maior parte italianos, correspondentes a um terço da população , que era da ordem de 600 mil habitantes. Responsável ainda hoje por metade do PIB do Brasil, sendo que só conta com trabalho e não com matérias primas, esta incrível cidade constitui um centro energético de tal intensidade que atrai populações do Brasil inteiro e também de todas as partes do planeta, sendo, por exemplo, a segunda cidade-industrial da Suécia ( a primeira é Estocolmo). Alguns estudiosos consideram extra-oficialmente que a Grande São Paulo, incluindo as pequenas vizinhas como Osasco, Guarulhos, etc., chegaria a 50 milhões de habitantes. Aqui, nesta grande cidade universal, espelho da universalidade brasileira, convivem pacificamente todos os povos do planeta Terra: "gregos e troianos", alemães e franceses, espanhóis e portugueses, irlandeses do norte e irlandeses do sul, árabes e judeus, chineses e japoneses, ou seja, povos que em seus países de origem estão em freqüentes atritos, mas aqui vivem em paz; seus filhos, esquecendo as origens, logo proclamam-se simplesmente brasileiros...


As Cidades dos Rios
Existe uma famosa profecia sobre São Paulo, que trata das "cidades sagradas", com a função de serem berços de um novo mundo (no bom ou no mau sentido); são aquelas que nascem à beira de rios cujos nomes iniciam-se com a letra “T”'.

Pesquisando a respeito, verifiquei que os quatro impérios interpretados como sendo os descritos por Daniel estão dentro desta situação.

Por exemplo, o Império de Ouro, ou Babilônico, de Nabucodonosor (atual fraque), desenvolveu-se à margem do rio Tigre, e também do Eufrates. O Império seguinte, de Prata, ou Medo-Persa , acompanhou o mesmo rio, uma vez que incorporou a Babilônia.

O Terceiro Império, de Bronze, ou Greco-Romano, pode ser simbolizado pelo rio Tibere, pois foi no vale deste rio que nasceu Roma. Por fim, o Quarto Império, ode Ferro e Barro, ou Anglo-Americano, desenvolveu-se às margens do Tâmisa, ou Thames, na Inglaterra.

O Quinto Império pode ser simbolizado por dois rios que também começam com a letra T: o Tejo, tendo às margens Lisboa, e o Tietê, que banha a cidade e o Estado de São Paulo.

Tigre – 1° Império Babilônico e 2° Medo-Persa . Tibere – 3° Império Greco-Romano
Thames – 4° Império Anglo-Americano
Tejo e Tietê – Quinto Império

Com 1032 quilômetros de extensão, o rio Tietê nasce no mono do Serrote da Barra e, ao invés de correr para o mar, vai no sentido inverso, para o interior do Brasil; atravessa o Estado de São Paulo de ponta a ponta, desaguando no rio Paraná. No seu percurso, banha dezenas de municípios paulistas e gera energia por meio de inúmeras usinas hidrelétricas, como as de Barra Bonita, Avanhandava, Rasgão, Salto de Avanhandava e Porto Góis.

Grupo Mahikari
A professora de francês Luciara Avelino, da Escola de Línguas Millennium, tem um aluno que faz parte do grupo Mahikari de imposição energética das mãos. Esse aluno disse-lhe que tal arte começou há 40 anos no Japão e, quando o grupo completou quinze anos de existência, o chefe deles disse que precisa-riam rapidamente vir ao Brasil, porque daqui iria sair a orientação espiritual para o 3° Milênio – e estão aqui há 25 anos. Esse aluno disse também que o Japão tem 6% da população católica por causa dos portugueses que foram lá no século XVI.

Maria de Lurdes Pelicano
Poetisa portuguesa contemporânea, escreveu em seu livro Arte e Transcendência vários poemas sobre o V Império. Dentre eles, selecionamos um que fala diretamente sobre o Brasil:

Santa Cruz
Guarulhos – São Paulo, 9 de Janeiro de 1995

De alma lusa impregnado O teu corpo e o teu ser
são o luso grandioso
que Camões desejou ver
És o Império por fazer!
És o esquerdo e o direito unos Corno Pessoa o veio dizer.
És a poesia e a ciência
juntas a acontecer!
És o amor e a dádiva
És a alegria e a razão
És a riqueza e a beleza
És a terra do leite e do mel
Terra de Sta. Cruz –
a prometida e a fiel
És o inundo que há-de vir
És tudo ainda por cumprir
E eis que o momento já vem!
Revolução do amor Liberdade última e final
Tu cumprirás o sonho Imperial!

Yves Christiaen
Escritor francês, escreveu em seu livro "A Mutação do Mundo", nas páginas 48 e 50, que, "de 183 a.C. a 1977 d.C é o signo de Peixes, que está terminando. (...) É a era do Cristianismo (os primeiros cristãos perseguidos se reconheciam. pelos peixes que desenhavam em sinal de união). A França é seu líder. (...) De 1977 a 4137 d.C. – signo de Aquário – a era que virá e que, podemos afirmá-lo, representa uma reviravolta fundamental na História da Humanidade. O Brasil será seu líder".

Referindo-se à aparição da mãe de Cristo em Fátima, em 1917, o autor comenta o seguinte: "Como se o céu quisesse mostrar que tínhamos entrado numa fase final, indicando ao mesmo tempo a direção futura do pólo do mundo, a Virgem abandonava a França, onde aparecera em 1830, 1846, 1858 e 1871, para pisar o solo de Portugal, mãe do Brasil, fazendo-o entrar assim na conjuntura mística da História de nosso tempo, do fim da Era de Peixes, como se ele estivesse ligado de forma invisível à economia sobrenatural que deve permitir a transmissão da tocha. (...) Em um mundo totalmente renovado e terrivelmente sofrido abrir-se-á verdadeiramente a Era de Aquário, a Era do Espírito, a Era de um novo e verdadeiro socialismo, enquanto no Brasil, "nova terra prometida, correrão o leite e o mel", como dizia a profecia." 

Agostinho da Silva (1906-1993)
Tendo sido professor do ex-presidente de Portugal, Mário Soares, o prof. Agostinho da Silva por diversas vezes fez referências ao Brasil como país que seria concretizador desse sonho universal e lusitano do Quinto Império, ao qual devotou a própria vida.

Natural do Porto, apreciado tanto pelas elites culturais européias como pelo povo português, considerado o maior pensador luso contemporâneo e uma espécie de Sócrates moderno, foi chamado pelo jornal francês Liberatión de "João-Baptista" da atualidade pelo vigor e insistência com que sempre anunciou a vinda do V Império ou Reino do Espírito Santo, que seria o império do Amor e da Cultura e não o da força das armas.
Ele conhecia muito bem nosso país, onde viveu por 25 anos e onde fundou inúmeras universidades em Brasília, Paraíba, Santa Catarina e outros Estados (no período em que viveu exilado pelo governo Salazar e acabou acolhido pelo presidente Jânio Quadros como assessor de política externa das ligações entre o Brasil e a África).

Patrono da "Associação Stop a Destruição do Mundo", o professor Agostinho da Silva, em entrevista a Alcione Scarpin, para a Revista de Psicanálise Integral n.° 21 (1992) declarou que o Brasil será a principal expressão do V Império e identificou o trabalho do cientista Norberto Keppe como sinal do início desta nova era que surge.

Transcrevemos, abaixo, trechos de suas declarações na entrevista:

"A menina Isabel, que já tinha ímpetos místicos que a fizeram santa, trouxe com ela os franciscanos e as idéias de Joaquim di Fiori da Calábria, como o culto ao Espírito Santo. Costumavam pegar um menino, punham-lhe uma coroa na cabeça e coroavam-no Imperador do Mundo. Não há documentação que diga por que eles coroavam-no Imperador do Mundo. A idéia que eu tenho é que quando tudo estiver na ordem final, o mais perfeito sobre o gênero humano e entre as coisas vivas que há no mundo será a criança. (...) Coroavam o menino, não para que ele pudesse governar o mundo como hoje é o governo, mas porque ele era a maravilha do mundo. Uma criança que, ao meu ver, deve ser educada não para ser Imperador, mas uma criança que seja educada de tal maneira que sendo Imperador não deixa de ser criança. (...) Um homem que tenha toda informação que se possa ter na vida mas que possa jogar com tudo isso como selasse uma criança. Estuda, sabe, procura ver como é, não para ganhar dinheiro, não por causa da carreira, mas por se divertir. "

"Todo aquele que prenuncia o início desta Era do Espírito Santo, que percebe sua aproximação, pode ser chamado um "João Batista ". Neste sentido, concordo que eu seja também."

Alcione: - O senhor nos chamou aqui para falar algo a respeito do lançamento da Escola Norberto Keppe em Portugal...
Prof. Agostinho: - Sim, o professor Norberto Keppe está desenvolvendo um trabalho muito interessante de junção da psicanálise com a economia, através desse modelo de empresa (Empresa Trilógica) onde se procura produzir sem destruir.

Alcione: - O senhor considera esse trabalho do prof. Keppe como o início desta nova era a que se refere?
Prof. Agostinho: - Certamente que sim. Ele vai encontrar muita oposição, porque essas coisas dão muito trabalho. Hoje nós assistimos ao que eu chamo de última queda do Império Romano. Um império chamado Rússia caiu sem ninguém lançar uma bomba. Os americanos armados até os dentes e não foi preciso pôr lá um dedo. E os EUA também vão cair: Veja o que está sucedendo lá com as primárias. Os americanos já não acreditam naquilo que elegem. Aquilo vai desabar um dia, e esse dia está muito próximo. Eu costumo dizer que um dia haverá um museu para mostrar como se comportavam os brancos. O branco vai desaparecer O mundo vai ser de várias cores, várias etnias. Por isso eu digo que o Brasil é o modelo de mundo do futuro e é por isso que está dando muito trabalho fazer o Brasil" .

Trecho estraído do livro "A História Secreta do Brasil"
Cláudia Bernhardt de Souza Pacheco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário