sexta-feira, 10 de maio de 2013

O fim do mundo chegará em 2060, segundo Isaac Newton

Enquanto muitos esperam para ver no fina deste ano a profecia maia do fim do mundo, o famoso cientista Inglês Isaac Newton (1642-1727) já o previa para um momento um pouco mais tarde: 2060. Estes dados interessantes e muitos mais são revelados nos arquivos do cientista que tinha acabado de ser aberto ao público pela Biblioteca Nacional de Israel.




Agora, um total de 7.500 páginas manuscritas de arquivos digitalizados podem ser livremente consultados em linha. Este é o resultado de um projeto da Universidade de Cambridge que começou em 1983, segundo a qual os escritos de Newton, que veio a esta universidade, por decisão de seus descendentes 150 anos após sua morte, começaram a ser analisados e decodificados por um comitê de especialistas.




A maioria do trabalho de Newton não foi dedicado apenas ao que hoje é considerado ciência pura, mas ele se dedicava também em teologia e misticismo. Ao analisar cuidadosamente os textos de escrituras, o cientista concluiu que a civilização humana perecerá em 2060.




Foi no livro de Daniel (Antigo Testamento), onde o Newton certamente encontrou essa passagem. O livro disse que 1.260 anos se passariam entre a refundação do Santo Império Romano por Carlos Magno, que ocorreu em 800, e do Apocalipse, um montante que resulta no ano 2060dc.




Em seu tempo, Isaac Newton transformou a física, matemática e astronomia, formulou a lei da gravitação universal e as três leis de movimento (inércia, interação e ação-reação) que dão o seu nome. Mas ao não estabelecer a nossa atual distinção entre ciência natural e racionalismo, por outro lado, também se dedicou em teologia, misticismo e fé, apaixonadamente estudando a Bíblia, convencido de que as escrituras são soluções no qual escondem todos os segredos do universo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário