sexta-feira, 18 de outubro de 2013

A Estrela de Davi x Barack Obama



"Para ser aceito, o Anticristo será apresentado como um descendente da casa de Davi, por sua descendência de Jesus e Maria Madalena e provará que ele não morreu na cruz, casou-se, teve filhos e sua descendência ainda reina sob a forma de algumas famílias: A linhagem de Sangue, a Linhagem Sagrada das 13 famílias Satânicas." 


HOLOCAUSTO: Para o povo hebreu, sacrifício em que a vítima é totalmente consumida pelo fogo. Trata-se de uma oferenda completa e generosa em troco de algo valioso. Oferecer-se em holocausto, sacrificar-se; dar a vida ou a de outrém por uma causa.  Para alguns estudiosos a estrutura motriz que moveu a máquina nazista foi construída e financiada por um grupo composto ele mesmo de judeus. O mesmo grupo que fez o silêncio deste lado continente, vendo as chamas tingirem de cinza as nuvens que sobrevoavam os céus da Europa nos anos 40.

Meados da década de 30, o Partido Nazista se armava até os dentes e toda ou qualquer voz que ousasse gritar ao mundo as loucuras as quais Hitler e seus homens se entregavam, eram tidos como loucos delirantes sem mais o que fazer da vida. 

Elie Wiesel, judeu sobrevivente dos campos de concentração é um dos que lembra os fatos com certa dose de sardonismo: "Parecia loucura aquilo que nos contavam. Era inimáginável. Era fantasioso demais. Por mais que os judeus tivessem sofrido diversas perseguições ao longo da história, aquilo tudo, sobre os campos de extermínio, guetos e o que mais pudesse ser relatado, era sempre tratado com desdém. E no entanto, os principais governos do mundo sabiam que Hitler não estava brincando, mas afinal de contas: a Europa seria parcialmente destruída e pouco mais de uma dúzia de famílias recuperariam quase tudo o que perderam no crash da Bolsa de Nova York em 1929. Como? Reconstruindo a Europa que eles mesmo queriam e acabaram por destruir pelas mãos de Nazi-Fascistas e entregá-la aos cuidados dos Yankees." 

Wiesel se expressou desta maneira durante uma palestra para jovens de uma comunidade judaica do bairro de Marais, tradicional reduto judeu da capital francesa durante as comemorações de trinta anos, da fundação do Estado de Israel. Não deixou de causar certo constrangimento. Wiesel sempre apontou o dedo para a cara dos judeus americanos que optaram por fechar os olhos para os seus semelhantes que queimavam nos fornos de Auschwitz e não faziam grande questão de esconder o fato que havia duas "modalidades" judaicas: a dos "escolhidos por Deus", eles é claro; e dos judeus que permaneceram no Leste Europeu, os desgraçados que segundo eles ao longo dos séculos haviam envergonhado a conduta Mosaica.

Mas vamos saltar sete décadas no tempo e chegamos ao fim da primeira década do século XXI. O terror se avizinha de várias formas: intolerância religiosa mais forte do que nunca, países emergentes como Brasil, Rússia e China passam a se destacar e dão início a contagem regressiva que inevitavelmente jogará enfim a Europa para o caminho da irrelevância política. (palavras do chefe de gabinete de Angela Merkel, primeira ministra alemã ) Um continente envelhecido na prática, com baixíssimas taxas de natalidade e desemprego em alta. E é só o começo. A dilapidação do sonho da moeda única e a estabilidade do Euro também seguem ralo abaixo.

Mas o que têm a ver o Holocausto, o Crash da Bolsa de Nova York em 1929 e a crise atual que deve jogar milhões de pessoas na sarjeta na próxima década? O holandês Robin de Ruiter é um dos que têm a resposta para essas e outras inúmeras perguntas e respostas que deixam aqueles que comandam o mundo de cabelos em pé. Oligarquias secretas sempre existiram, dentro ou fora da sociedade formal, no clero, no neopentecostalismo americano que hoje se transformou na mais lucrativa máquina de gerar lucros, independente de crises internas ou preço do petróleo. As cinco ou seis SUVs do pastor têm de estar impecáveis e sua mansão de 12 milhões de dólares intocável. (palavras de Ruiter )

Ruiter é um inconveniente para muita gente, mas qual a razão de ele não estar a sete palmos abaixo da terra, já que o homem sabe demais e nos mostra por A + B quem controla e quem não controla as engrenagens que movem o mundo ? O mais próximo da morte que Ruiter chegou, foi quando publicou um artigo num jornal alemão detalhando em minúcias, como funciona a indústria do sexo no Islamismo da Arábia Saudita, e como a moral torta muçulmana põe meninas de 10 ou 11 anos de idade para serem abusadas sexualmente, noite e dia pelos seguidores de Alá.

Se para bons entendedores meia palavra basta, em nossa época em que informação pode ser encontrada as toneladas via o grande oráculo profano ( GOOGLE ) - meio bit de uma revelação é mais que o suficiente. Para quem tiver a oportunidade, há alguns bons artigos escritos por Ruiter que detalham em minúcias qual é o caminho que estamos tomando e os perigos que corremos em meio a incerteza que move atualmente o cenário político/religioso/econômico mundial. Isso têm a ver com seu emprego, com o sustento de seus filhos e com a sua liberdade de expressão e religião, e o direito de estar bem informado.

Aproveite os últimos dias de paz ( relativa, mas ainda assim paz ) e procure se informar sobre quem são as 13 Linhagens Satânicas, o que elas fizeram, fazem e ainda farão, e como estas ações encaminharão o mundo em que vivemos atualmente para o verdadeiro final dos tempos. 

Assim como nos anos 30 as pessoas riam das supostas atrocidades que Hitler cometeria; hoje também ouvimos risos cínicos quando nos corredores de Wall Street e no Pentágono, os herdeiros de Davi planejam o extermínio de Barack Obama e a mudança de rota que supostamente ele poderia representar para o cenário em que vivemos.

Não há espaço para diálogo e o mote de campanha de Obama para pessoas que não se importam em ver o semelhante arder em chamas; desde que estas chamas representem o lucro sujo que abastece seus cofres dourados e de cinco pontas há cinco milênios.

Basta lembrar que Barack Obama sofreu com diversas manifestações racistas em Israel, que apoiava John McCain por motivos óbvios: o ex-combatente americano no Vietnã defendeu com unhas e dentes os interesses judeus, prejudiciais ou não ao país no senado por mais de vinte anos. Dêem uma olhada em alguns sites e confiram:

Existem pelos menos 40 mil artigos - somente em inglês -  atacando o novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Robin de Ruiter têm razão em nos alertar: um novo holocausto se aproxima, mas desta vez, seremos nós os oferecidos. E tal como nos alertou Wiesel, tudo parece uma fantasia semita. Não é, não, não é.

Fonte: http://www.mortesubita.org/sociedades-secretas-e-conspiracoes/textos-conspiracionais/barack-obama-vs-a-estrela-de-davi

Comentário do blog: Se nada der certo para os sionistas (EEUU atacando a Síria) provavelmente teremos no decorrer do ano algum ataque de falsa bandeira, inclusive com a própria eliminação física do Obama. Por certo que a Rússia costurando essa saída política para a Síria fazendo com que o país coloque o seu arsenal químico sobre o controle da ONU deita por terra qualquer pretexto de um ataque americano, ainda que se saiba que os rebeldes-terroristas foram os responsáveis pelo que aconteceu, mas essa é uma verdade inconveniente. Pois, por outro lado seria muito imbecil o Assad em gazear o seu próprio povo, isso faz parte de uma lógica primária. A única coisa que sabemos dos "eleitos" é que têm uma agenda de a muito tempo. Certamente os "eleitos" ladinos que são, provavelmente têm um plano "B,C etc". Vamos aguardar o desdobramento da saúde do Zumbi-mor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário