segunda-feira, 28 de outubro de 2013

A maldição de receber de graça



Já faz parte da cultura. Todo lugar, sempre tem alguém pedindo algo, um favor, um serviço ou algum bem. Todos pedem. Todos adoram receber. Entretanto, pedir e receber favores de graça nem sempre é uma boa. No plano concreto de aplicação de vários tipos de estudos esotéricos você acaba entendendo. Pedir favor, receber algo, sem nada dar em troca, é pura roubada. Tudo no universo segue um equilíbrio. Os orientais bem sabem disso. No Oriente, se você faz algo para alguém, se você dá algo a alguém, eles te fazem algo, mesmo que seja meramente simbólico. Se você dá uma roupa, por exemplo, e a pessoa que recebeu sabe cozinhar algum tipo de comida, eles te servem, para “não ficar em débito”.
Acaba-se seguindo o “ninguém tem tão pouco que não possa dar e ninguém tem tanto que não possa receber”. Não importa a sua condição, você sempre pode fazer algo por alguém e é aí que o oriental sai na frente pois ao invés de seguir códigos religiosos seguem mais as leis naturais do que os ocidentais. Quando você recebe algo de alguém você está balançando um equilíbrio no universo. Você recebeu um bem, você recebeu matéria, e esta matéria não pode vir do nada. O nada não pode dar origem a nada. E isto te será tirado de algum lugar em um tempo.
Você recebeu um serviço de alguém, este serviço é energia, e energia não surge do nada. Isto te será cobrado. E assim vai indo que os ocidentais em sua péssima mania de sangue-sugas, obssessores e usurpadores vivem querendo favores, querendo serviços e coisas. Estão a todo tempo procurando um jeitinho de ganhar algo sem nada dar em troca e acabam acumulando karma ferrenho pois tudo isso que receberam não veio do nada e tudo há de ser balançeado. Portanto, se você receber algo de alguém, mesmo que esta pessoa te dê, de boa vontade, dê algo a ela, mesmo que simbólico. Pegue nem que seja uma pedra impregne de vontade e dê à pessoa. Faça um serviço, sirva-a, ajude-a, mas, pare de ficar ganhando coisas de graça, pois nada é de graça. by rudyrafael

Nenhum comentário:

Postar um comentário