sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Carne triturada e a merda cotidiana



Somos feitos de carne, tecido vivo e tecido podre criado pela vida travestida de morte. Nascemos da imbecilidade ancestral do regurgitar dos fenômenos incompreensíveis, enquanto matéria palpável e sofrível é isso que somos, apenas comedores inúteis na não transcendência dos números aleatórios do grande programa de computador cósmico.

A luta irrefreada da razão para subsistir atordoa todos os sentidos, as flores são chagas abertas, o canto dos pássaros são o terror que nos consola. Os pássaros, as flores apenas coadjuvantes da eterna mentira, do engodo que pacifica as almas, e que faz a roda girar. 

E como disse antes, somos feitos de carne, tecido vivo criado pela vida travestida de morte e a roda gira e volta sempre para o mesmo lugar. E como podemos dizer que existe algum plano divino, se esse plano não vai a lugar algum? Tudo pode dar errado. 

Como pode um "negrinho" chamado barack não dar certo no Quênia e dar certo na pseduo-maior-demo-cracia-do-mundo?

A roda gira e os vetustos sabichões e barbudos idiotas seguidores da carnificina jeovita devem guardar para si no imenso HD cósmico a senha para acessar outros níveis de ilusão, pois eles bem sabem que o futuro não existe e que o momento é efêmero e que é impossível viver o amanhã. 

E assim vamos, enquanto a nossa carne fica decrépita, a nossa inocência é engolida e a VERDADE fica escondida. Quem quiser mensagens de amor, de paz que procure alguma igreja, quem quiser continuar a viver uma vida medíocre, não esqueça que é apenas um pedaço de carne a serviço do SISTEMA. 

E não adianta dizer que não, se pensas que sim ou se pensas que não, o resultado será sempre o mesmo, estas lendo isso e por nossa culpa concluimos que somos feitos de carne e somos feitos de morte, será possível fazer a diferença? Até quando?

Tudo conspira que para que nada mude, inclusive as flores e o canto dos pássaros.


Tibiriçá

Nenhum comentário:

Postar um comentário