sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Eu, Putin, Obama os sionistas e o cemitério.



Nada mudou depois que o Putin tomou a frente do embroglio  na Síria, O Barack não atacou. 

Pois, seria previsível assim como fez com o Líbano (por quê será que naquela época o Conselho de Segurança da ONU foi conivente? leia-se Rússia e China). Até quando os russos e americanos vão ficar fazendo esse joguinho? 

No frigir dos ovos são todos farinha do mesmo saco. Uma coisa é preciso que se diga - Não existem mais nações, não existe mais orgulho de ser, ou pertencer a uma NAÇÃO, somos (tirando os eleitos) apenas números servíveis ao grande jogo do tabuleiro universal. 

Penso, que os líderes mundiais estão no mesmo tabuleiro e conforme as conveniências do jogo vão sacrificando as peças. 

Quer você queira ou não o mundo já perdeu as suas fronteiras, não existe a privacidade, não existe para onde ir. Ainda mais que somos uma raça perfeitamente enclausurada que vive no terror de cada dia, somos uma raça que vive na ilusão de que tudo o que se vive é uma verdade inquestionável. 

Então nada mudou, nada mudará. 

Com as nossas mãos tocamos as grades do mundo, com os nossos olhos vemos a prisão no horizonte, com os nossos ouvidos nos acostumamos a repetir o que ouvimos.

Não importa mais quem é que governa o mundo. Eles só existem porque nós permitimos que existam. Esse mundo só existe na imperfeição, assim como as pessoas que nele habitam, e por estarmos identificadas com esse mundo, acreditamos que não existe solução.

A morte, a felicidade  o que é a morte? senão a negação da vida, coisa contraditátoria, aquilo que vive "VIVE" , portanto é impossível morrer, a felicidade é uma overdose de otimismo, entrementes nesse mundo manipulado somos obrigados a ser hipocritamente felizes e somos obrigados a morrer. O que tem tudo isso a ver com o Putin, com o Obama, eles são os caras que infernizam a vida de todo o mundo, é claro não podemos esquecer dos Sionistas os eternos párias que estão por trás de tudo isso.

Através da "religião" que nada mais é do que lavagem cerebral e midiática os calhordas se utilizam das bíblias dos alcorões, dos toras para justificar em nome dos deuses a dominação das cabeças das pessoas. Tudo é uma miséria, seja na política dos mundanos, seja nas religiões dos hipócritas, seja na "educação" que nos ensinam. A razão de ser das coisas sempre leva para o mesmo caminho, consumismo, felicidade piegas, sofrimento e morte.

Temos escolha? Sim, temos. Primeiro temos que saber que somos ignorantes, segundo temos que saber que somos crédulos, acreditamos em qualquer coisa, acreditamos que precisamos dos outros para resolver os nosso problemas. A partir do momento em que o benefício da dúvida (apenas se dê essa oportunidade) for a pedra fundamental da existência, aquele raro momento que intimamente tu não sabe quem tu és, então esse será o início de uma mudança. Até porque todo mundo sabe quem tu és, (a previsibilidade é uma cela) só falta tu saber que se o que os outros pensam sobre ti realmente é o que tu é. Mas, como poderiam dizer quem tu és? se vivem no mesmo jogo, na mesma ilusão. 

Porém, só isso quem pode responder és tu, certamente não será o quem pensa que te conhece. O Putin ou o Obama. Ser peão no tabuleiro é uma escolha, não ser peão no tabuleiro também é uma escolha, ser filho da puta contigo ou com os outros também é uma escolha tua. Portanto, não lamente a má sorte e não culpe os outros pelos teus fracassos. A merda lá fora é a mesma merda que alimentamos aqui dentro que vai se retroalimentando "ad infinitum".
 
E por isso existe eu, você, Putins, Obamas sionistas e misérias e toda essa "realidade" inexplicável que nos rodeia.

Tibiriçá

Nenhum comentário:

Postar um comentário