terça-feira, 5 de novembro de 2013

O Congresso Nacional debocha dos brasileiros-história


Parece quase inacreditável: ao mesmo tempo em que o STF (Supremo Tribunal Federal) nos ofereceu uma aula pública de direito e justiça na condenação dos bandidos envolvidos no mensalão, em julgamento transmitido ao vivo pela televisão, a Câmara Federal e o Senado nos brindam com o deboche, a afronta e o acinte ao acolher as candidaturas de dois políticos envolvidos em corrupção para as respectivas sucessões de seus presidentes.
No Senado – não bastasse manter na presidência o retrógrado, aproveitador e incompetente José Sarney, o “demolidor do Maranhão – aparece como candidato à sua sucessão o mais do que denunciado senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que já foi alvo de vários posts neste blog Bahr-baridades, explicitando as irregularidades por ele cometidas. Fosse Renan um cidadão comum, estaria preso em uma penitenciária, cumprindo longa pena.
Já na Câmara Federal, surgiu como candidato à presidência o nome de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que está sendo acusado de ter direcionado emendas a obras realizadas para a empresa de um assessor parlamentar. Quando se fala em obras, sabe-se que envolvem milhões de reais de dinheiro público – e qualquer “direcionamento” implica em favorecimento ilícito, comissões e um comportamento similar ao nepotismo – neste caso, ao invés de um familiar, o direcionamento é para amigo ou homem de confiança.
Pelo visto, nada muda no Brasil quando se fala em seriedade, ética e moralidade. Senadores e deputados com nomes sujos, envolvidos em irregularidades e legislando em proveito próprio, continuam dando as cartas e agindo a seu bel prazer. Nós, o povo, ficamos apenas assistindo à malandragem bem de longe, bem de longe. E nem chega a ser um circo, onde os palhaços ao menos nos trariam diversão

Nenhum comentário:

Postar um comentário