quarta-feira, 16 de julho de 2014

Contatos de Quinto Grau


A coleta ou captura de Discos Voadores sinistrados – ou de criaturas com eles relacionadas – é um dos pontos mais polêmicos da pesquisa ufológica. É grande o número de especulações sobre esse tema, assim como o de testemunhos e insinuações de possíveis quedas ou explosões de veículos ufológicos. Muitas dessas insinuações, na verdade, podem estar relacionadas ao testemunho da queda de meteoros, lixo espacial ou aeronaves comuns.
Caso realmente tenha ocorrido, em algum momento, tal coleta ou captura, saber o que foi pego e de onde veio são questões importantes, mas o problema mais controverso seria entender os motivos para o grande público não ter conhecimento irrestrito sobre esse acontecimento.
O objetivo dessa seção é analisar essas ocorrências, buscando aquelas que apresentam fatos que possam subsidiar reflexões. Esse é o primeiro passo de nossa proposta para a busca de respostas.
Essa classificação é diferente da adotada pelo Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV). Saiba mais no artigo Contatos Imediatos.

CONSPIRAÇÃO

A ufologia é pródiga em teorias conspiratórias, com várias versões e diferentes enfoques. Para contragosto dos céticos, o esforço de governos e forças armadas para esconder questões ufológicas no passado já está devidamente comprovado. O acobertamento foi ativamente promovido por organizações militares, especialmente durante a guerra fria, quando se especulava que os avistamentos poderiam ser armas secretas inimigas ou aliadas.1 Pelo menos um governo civil já admitiu oficialmente ter suprimido informação para tentar evitar o pânico.2
O fato de se ter escondido informações de pesquisas sobre OVNIs durante décadas alimentou, com razão, as aspirações conspiratórias entre pesquisadores civis. Felizmente, após tanto tempo, parece que o sentimento oficial foi convencido de que, nesse assunto, esconder informação do público não é o melhor caminho.3
O tempo da “conspiração oficial” parece estar passando. Hoje, nosso entendimento sobre Conspiração diverge dessas interpretações aceitas como majoritárias. Não acreditamentos na manutenção de grandes sistemas centralmente coordenados com objetivo explícito de suprimir pesquisas e evidências.
Não podemos descartar que os motivos de segredo militar e não disseminação do pânico permaneçam, ou que existam pequenos grupos com o objetivo deliberado de supressão, mas tendemos a atribuir a forte resistência à pesquisa ufológica a uma soma de diversos fatores individuais, como a resistência natural do Conhecimento Estabelecido, a Dissonância Cognitiva em envolvidos, o medo do ridículo em políticos e acadêmicos e a necessidade de discrição e protocolo em autoridades. Teorias como a da Espiral do Silêncio, segundo a qual opiniões minoritárias tendem a não ser manifestadas, também corroboram com esse ponto de vista.
Caso existam organizações de porte com o objetivo de suprimir evidências, elas não devem envolver líderes eleitos, que mudam com o passar do tempo. Devem ser integradas por particulares ou funcionários públicos de carreira, civis ou militares. A motivação desses grupos podem ser as mais diversas, sendo uma das mais perturbadoras a de que os alienígenas – caso existam e sejam inteligentes – ajam em causa própria.
Ainda merecem destaque os casos de desqualificação sistemática promovidos por programas oficiais, que serão tratados oportunamente. Também consideramos que muitas especulações, como acordos de intercâmbio tecnológico, não são fundamentadas.
Esperamos que as análise de possíveis sinistros envolvendo OVNIs, que refletiriam a situação limite nos casos de acobertamento, possam proporcionar alguma luz sobre essas questões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário