domingo, 7 de setembro de 2014

A Igreja Quântica

Igreja: Uma Organização Quântica num Universo Consciente

Por Edson de Almeida e Franzen, consultor de igrejas e empresas, webmaster, empresário, engenheiro agrônomo, pós-graduado em Processamento de Dados, teólogo, professor e editor de livros da Editora Herr.
  


Este texto trata de um assunto difícil, mas necessário. De um assunto polêmico, mas real. De um tema sem unanimidade, mas a cada dia muitos têm enxergado e pinçado verdades da Física Quântica, e aplicados na gestão da Igreja de Cristo.

Igreja Newtoniana
Igreja Quântica
Certeza
Incerteza
Previsibilidade
Mudanças rápidas
Hierarquia - 3 ou mais níveis (pirâmide)
Redes não-hierárquicas - 1 nível (plano)
Divisão do trabalho e fragmentação de funções
Esforço integrado (quântico)
O poder vem do centro ou do topo
O poder vem de vários centros
Membros e líderes passivos
Membros e líderes ativos (discípulos)
Uma maneira correta
Vários pontos de vista
Competição
Cooperação
Controle burocrático
Estruturas flexíveis
Eficiência
Relacionamento
Operação de cima para baixo (reativa)
Operação de baixo para cima (experimental)








Iniciamos este livro no começo do ano 2000. Agora, 10 anos depois, tem-se começado a se falar em Igreja Quântica. Queremos, por favor, que não nos confundam com Instituto Salto Quântico nem com Igreja do Caminho da Elaboração Quântica de Deus, ou coisas parecidas, que tem surgido mais recentemente e que muitas vezes falam de energia, cura quântica, reequilíbrio de forças, alma quântica ou autoconhecimento. Não! Não é nada disto.

A Igreja Virtual Evangélica ou a Igreja Quântica que nos referimos, pode ser uma igreja física, de paredes e janelas (uma vez que pertencemos à mesma denominação desde 1976), mas principalmente é uma igreja virtual, uma igreja de bits, conectada mundialmente, uma igreja aberta literalmente a todas as raças, todos os credos e a todas as opiniões.

A metodologia da Igreja Quântica pode ser implantada em qualquer igreja, até na sua igreja pentecostal ou tradicional. Isto porque uma Igreja Quântica é uma Igreja com propósitos e ministerial, que busca ser uma instituição que proporciona e incentiva que as pessoas criem seus próprios métodos, nascidos dos ministérios e dons de cada um, que pretende buscar a qualidade do atendimento aos necessitados de salvação, tudo em sintonia com o Universo e o Criador, e doutrinada pela Bíblia.

Igreja Quântica quer dizer isto resumidamente. Neste documento aprofundamos mais o assunto. E quem se dignar a ler e compreender, com certeza entenderá que não se trata de nenhuma heresia, nova seita ou doutrina, mas sim perceber que a física e mecânica quântica está muito mais ligada à igreja verdadeira do que os métodos administrativos ditos “modernos” criados para as igrejas de hoje.

Portanto membros das denominações tradicionais ou pentecostais, não se assustem. Não somos o anti Cristo ou um guru buscando seguidores de uma doutrina herética. Somente estamos preocupados com a Igreja Evangélica atual, que está ficando doente, e gostaríamos de compartilhar um pouco do que aprendemos nas mais de 3 décadas atuando com os computadores, a natureza, as pessoas e as organizações, sejam elas eclesiásticas ou não.


1. Por que Entender Física Quântica para Administrar uma Igreja?
Muitas técnicas, metodologias e conceitos de administração foram criados, moldados, ensinados e aplicados nos últimos 100 anos.
Todavia nenhum deles sobreviveu por mais de 10, no máximo 15 anos. Foi substituído em parte ou totalmente por outro método dito mais “moderno”, aliás temo que não aprecio muito a utilização, porque o moderno hoje pode não ser daqui a 3 ou 5 anos.
Esta extinção está sendo motivada porque as técnicas administrativas atuais estão desobedecendo leis e normas, leis estas tão antigas como o próprio universo.
Newton sistematizou e formulou leis há pouco mais de 3 séculos atrás que foram excepcionalmente importantes, gerando os cálculos astronômicos precisos de eclipses, trajetórias de planetas, asteróides...
Mas com aquelas leis não chegaríamos à Lua.
Max Planck iniciou e Einstein formulou leis complementares que não só suplantaram àquelas, como também adicionaram mais e novos conceitos.
Planck e Einstein, somente através da observação da natureza e do cosmos, conseguiram enxergar o que estava faltando e modificar, gerando o que conhecemos hoje como a Física Quântica.
Planck e Einstein descobriram que a luz tem pequenas porções de energia que chamaram na época de quanta. Descobriram também que a luz funciona ora como partícula, ora como onda. Que há uma incerteza grande em descobrir o lugar em que está determinado elétron dentro do átomo, ou de que lado uma carta (que está de pé) vai cair, para a direita ou esquerda.
  
1.1. O que é Quântica
A Física quântica explica bem as propriedades do mundo muito pequeno. A Mecânica Quântica, um ramo da Física, simplificando, explica e dá leis para muitos dos fenômenos microscópicos, mas também dos grandes eventos do Universo e da Mecânica Celeste (a forma como os astros se movem, existem e suas formas).
Assim a física e a mecânica quântica trata dos componentes fundamentais do Universo.
E quântica explica melhor o micro e algumas vezes o macro universo.

Portanto a Igreja Quântica utiliza as propriedades e os conceitos da Física e Mecânica Quântica para estar harmoniosamente relacionada com a Natureza, o Universo e o Criador.

O leitor certamente se surpreenderia se disséssemos que sem a física e mecânica quântica não conheceríamos inúmeros objetos com os quais lidamos corriqueiramente hoje em dia. Só para se ter uma ideia, podemos mencionar o nosso aparelho de CD, o controle remoto de nossas TVs, os aparelhos de ressonância magnética em hospitais, o forno de micro-ondas ou até mesmo o computador que ora usamos na elaboração deste artigo. Todos os dispositivos eletrônicos usados nos equipamentos da chamada high-tech só puderam ser projetados porque conhecemos a física e mecânica quântica. A título de informação, 30% do PIB americano vêm destas tecnologias.

Comparativamente, a física newtoniana é cartesiana, linear, reta, quadrada, burocrática. Como as técnicas administrativas atuais.

Já a física quântica é curva, natural, global, imprevisível, flexível, integrada, como deve ser a Igreja Quântica. Estão começando a entender onde estou querendo chegar?

Portanto na Igreja Quântica, as técnicas são implantadas naturalmente, obedecendo as leis da natureza, buscando qualidade e não quantidade, foco na missão e não em metas, sem atrasos, afobamentos, traumas. Na Igreja Quântica os recursos naturais, a mão de obra e a informação são mais importantes que o capital e o dinheiro.

Se você ficou interessado neste novo conceito, que traz consigo novas técnicas, convido você a continuar a leitura...

2. Iniciação à Visão Quântica nas Organizações Eclesiásticas
2.1. O Que é uma Organização Quântica
Igreja Quântica? O que é realmente isso e o que está acontecendo com os novos administradores e gestores? Como ingressar dentro das igrejas que se destacam positivamente em um mundo cada vez mais confuso, competitivo, globalizado e interessado em lucros?

Uma série de reportagens fala atualmente como isto está ocorrendo sem uma visão romântica ou mística do assunto, abrangendo ciências antes não faladas em administração eclesiástica como física quântica, biologia, ecologia etc.

A reportagem: Será que eu tenho que saber o que é física quântica?[1] mostra-nos a necessidade de conhecer teoremas de física, teoria do caos, avanços biológicos, técnicas de plantio e colheita, genoma, transgenia, biologia molecular para melhor aplicar dentro da igreja, por nós administradas, ou até prever manifestações e mudanças na vida dos membros e das pessoas que influenciam nossas igrejas. A física Danah Zohar afirma que:

“Todo esse conjunto de ciências do século XX traz novos paradigmas, muda conceitos fundamentais a partir dos quais compreendemos melhor o mundo e podemos ver coisas que antes não percebíamos.”

Mas qual a necessidade de conhecermos e transpormos paradigmas? Simplesmente para aumentar a capacidade de raciocínio, adaptar-se a novas realidades, ser capaz de perceber o mundo que nos cerca, não só percebê-lo, mas interagir da melhor forma possível.

“A física clássica, diz Danah, deu-nos uma série de paradigmas para entender o mundo. Hoje vivemos num mundo de organizações newtonianas, que raciocinam com certeza e previsibilidade. Estas organizações são hierárquicas. Isto é, o poder emana do topo e é vital em todos os níveis. As organizações newtonianas frisam um único ponto de vista: são organizadas e gerenciadas como se a soma de suas partes explicasse o todo.”

 Danah propõe um novo modelo, baseado nas idéias, na linguagem e nas novas ciências, e enumera novos paradigmas.

Mas seus paradigmas são difíceis de serem concebidos dentro da realidade social e profissional em que vivemos hoje. Por isso Danah dá dicas para se chegar a este tipo de relacionamento, tendo como receita o diálogo, apontando seis pontos para melhorar o diálogo:
1.       Descobrir, no lugar de saber - investigar sempre. Não decorar, mas experimentar. E se não se puder descobrir agora, deixar “links” para a descoberta futura. Já dizia Confúcio: Mais importante que saber “algo” é saber onde conseguir informação sobre este “algo”.
2.       Perguntas, não respostas - explorando sempre oportunidades novas.
3.       Partilhar, não ganhar - sempre buscar propostas e parcerias.
4.       Igual, não superior - todas as posições são válidas: devemos aprender com os outros.
5.       Reverência, não poder - não há imposição de idéias, mas gratidão pela riqueza de cada experiência.
6.       Escutar e dialogar é explorar novas possibilidades.

O modelo de física clássica é atomístico, onde o todo é formado por partes (átomos, moléculas ou organismos maiores) e a interação entre as partes explica o conjunto. Todavia a física quântica ensina-nos que os sistemas físicos consistem de padrões de energia dinâmica. Nenhum pedaço pode ser visto separadamente do todo sem que haja distorções ou perda. A física quântica é holística, buscando explicar o todo pelas suas partes, devendo se preocupar menos com o controle dos processos e encorajar mais o relacionamento e as coesões entre as partes. Por isto é que na Igreja Quântica, as partes: líderes, membros, ministérios e recursos são interdependentes mas intimamente relacionados. Tem suas próprias propriedades, mas não podem ser explicadas ou entendidas isoladamente. Devem ser consistentes em um contexto maior - humano, corporativo, social e ecológico - aumentando as relações entre si.

2.2. Dois Estilos de Gestão
Danah também fornece um quadro demonstrativo ressaltando as diferenças entre esses dois tipos de gestão, e que alteramos para atender nosso assunto principal, a Igreja. Ressaltamos sempre que nenhum é melhor do que o outro, como apregoa a maioria das escolas administrativas, mas sim complementares. Dependendo da situação o ideal é oscilar entre estes dois estilos. Apresentamos este quadro a seguir:


O que é mais interessante neste novo paradigma, não é o fato de como as igrejas se comportam frente às novas tendências mundiais, das relações entre outras igrejas e denominações, tanto dentro do espaço nacional como internacional, mas principalmente como os novos líderes se preparam para este novo tipo de realidade, que está cada vez mais em pauta no meio eclesiástico.
Mas qual a melhor maneira de se portar frente a estes tipos de mudanças?
Qual será o perfil do novo líder da Igreja Quântica do futuro?

Você pode até discordar de tudo que tratamos aqui, e não aplicar absolutamente nada em sua vida e na igreja. Mas também espere a sua morte profissional, de forma lenta e contínua. Ressaltamos que o problema maior é que essas mudanças profundas precisam acontecer na cabeça das pessoas. Estas, por sua vez, precisam de muita coragem para mudar, cultivando principalmente um espírito pessoal, ético, de moralidade e buscando valores, pensando de forma universal, mas agindo de forma local.
Chega de levar vantagem em tudo. Chega de lucro a qualquer preço e custo. Chega de maracutaias. A grande crise mundial ocorrida em 2008 e 2009 foi antes de mais nada uma crise de valores, de ética e moralidade. Empresas, bancos e pessoas quebraram porque empresas, bancos e pessoas estavam fazendo falcatruas e negócios ilícitos. E daí, quando um caiu, o castelo de cartas inteiro caiu.
Precisamos da visão quântica para nossas igrejas para que nossas igrejas não quebrem como empresas quebraram. Para que a espiritualidade esteja realmente em alta e que ao buscarmos a salvação das pessoas, não nos percamos.

2.3. A Igreja Quântica é Um Ser Vivo
A Igreja Quântica pode ser considerada como um ser vivo, composto com dois subsistemas: um que conduz a vontade e o outro que mantém as funções vitais. Como ser vivo pode-se aplicar o conceito de célula, onde a parte compõe o todo, e ao mesmo tempo o todo está dentro da parte. Aceitamos assim um novo conceito, fundamental para se chegar à Igreja Quântica, espiritual e obediente à vontade de Deus. Com esta visão se aceita o fato de que a igreja "existe" dentro do crente, do membro, a ponto de dispensar controles e padrões definitivos. Isto significa que a Igreja Pentecostal da Vila Mariana (por exemplo) é a soma de todos os indivíduos, de seus membros e líderes. Melhor explicando, esta igreja é a soma dos dons e recursos humanos. É o produto da capacidade de seus indivíduos. E vai agir diferente de outra, pois é diferente de outras igrejas.
A implantação de uma administração quântica significa acabar com os grupinhos que caracterizam a pirâmide atual. No momento em que não se necessita mais de autoridade, pois as pessoas possuem valores convergentes, desaparece a dimensão vertical e a estrutura se torna plana.
Igrejas quânticas estimulam os seus integrantes a serem auto-suficientes, dando-lhes oportunidades de crescimento e desenvolvimento dentro da igreja, valorizando a plena satisfação, com o serviço ao outro, como forma de ter uma organização mais sadia, produtiva, criativa e altamente espiritual. Abraham Maslow (psicólogo americano da Teoria de Motivação e Hierarquia das Necessidades Humanas) evidencia esta postura quando fala que quando uma pessoa está de bem consigo mesma não perde mais tempo e energia com conflitos internos e se potencializa para se relacionar de maneira positiva com os demais.
Quando a igreja assume a forma quântica, se torna policelular e ministerial, e suas relações com os outros indivíduos se tornam distintas das convencionais, pois estes também fazem parte integrante da igreja, e não passíveis de serem explorados.

3. Procedimento para Buscar uma Igreja Quântica
3.1. Uma Lista de Verificação
·         Estabelecer a missão, e não metas;
·         Definir os valores principalmente éticos;
·         Fixar as políticas e normatizar áreas;
·         Atuar no longo prazo;
·         Adotar o princípio da não matéria e sim da busca espiritual (SER é mais importante que TER);
·         Agir em tempo real e de modo local para mudar de forma global;
·         Aceitar um único coletivo, que é a própria igreja, e não rachá-la em grupinhos;
·         Romper com todos os limites internos e externos;
·         Evitar intermediações, deixando isto com o líder maior, o pastor;
·         Atuar de forma flexível e descontraída;
·         Antecipar-se às reivindicações;
·         Evitar a crítica que desorienta;
·         Premiar os acertos em cenários próprios;
·         Desafiar visando a busca pela superação;
·         Respeitar a individualidade e principalmente as opiniões - podemos discordar da opinião de alguém, mas nunca devemos ir contra a pessoa em si;
·         Estimular os "intrapreendedores";
·         Assegurar a todos uma raia própria para seu desenvolvimento;
·         Garantir o sentimento de pertencimento - eu pertenço, faço parte atuante da igreja de Cristo chamada xyz;
·         Criar um clima de tranqüilidade e segurança;
·         Estimular a fidelidade absoluta;
·         Buscar o "eu preciso fazer isso agora";
·         Remover barreiras e obstáculos;
·         Estimular ações imprevisíveis, não rotineiras mas sim criativas;
·         Propiciar condições para a genialidade;
·         Combater a burocracia e os formalismos;
·         Atuar com força-tarefa e não com indivíduos;
·         Trabalhar com qualidade total;
·         Buscar a exclusividade, fugindo da concorrência e da busca de exemplos e modelos dos outros;
·         Valorizar a denominação, mas trabalhar focado em Jesus;
·         Escutar os membros;
·         Inovar e criar freneticamente;
·         Voltar-se para o que poderá existir pensando o futuro constantemente;
·         Incorporar os vizinhos e comunidade à igreja;
·         Buscar a diferenciação positiva;
·         Assegurar satisfação a todos.


4. CONCLUSÃO
Considerando-se a rapidez com que estão sendo realizadas transformações em todos os campos do conhecimento, seria absurdo que as práticas administrativas permanecessem as mesmas ao longo das últimas décadas.
Como organização, refiro-me também a empresas, associações, sindicatos, bancos, prefeituras, governos, além das entidades eclesiásticas, a igreja em si. Isto porque tudo que se aplica para uma igreja quântica, aplica-se também para uma empresa quântica, para uma ONG quântica, um governo quântico... O contrário não é verdadeiro, mas com certeza seríamos um outro mundo se todas as organizações do planeta agissem de maneira ética, com moralidade, buscando valores altos e espirituais, como é a organização quântica que descrevo aqui.
Certamente algumas alterações foram incorporadas à administração, mas na essência os princípios de planejar, organizar, dirigir e controlar permaneciam imutáveis. Esse imobilismo da administração era disfarçado pelo surgimento de modismos, decorrentes, muitas vezes, de interesses econômicos de consultoria.
Nos últimos anos, entretanto, a partir dos conhecimentos gerados na física nuclear, uma nova concepção de organização foi se cristalizando e, por suas características, vem sendo chamada de quântica, ou seja, imprevisível, complexa, integrada, com foco principal na pessoa.
O planejamento é substituído pela intuição, a organização formal pela flexibilidade, a chefia pela liderança e o controle pelos valores, ou seja, a administração quântica revoluciona não somente o que se entendia como organização, como, também sua gestão.
A organização, segundo o conceito quântico, passa a ser uma concepção, independente de tempo, espaço e massa. Sendo uma concepção ela se baseia em valores, os quais caracterizam sua cultura.
As pessoas que trabalham com a organização devem ter a mesma cultura, foco, missão, idealismo. Ou seja, ter basicamente a mesma maneira de ser, pensar e agir. Essa unidade cultural não significa qualquer constrangimento, pois a nova administração se fundamenta na individuação, exatamente o oposto da massificação.
Para que se atinja a unidade cultural é preciso o reconhecimento dos valores da organização, algo fundamental e que é pouco comum na administração convencional. Definidos os valores e atingida a convergência de todos para eles, desaparece a necessidade do controle e da autoridade.
Este é o ápice da Igreja de Cristo. E para onde estamos caminhando, ou pelo menos deveríamos caminhar com nossas igrejas.
Quando nos parecermos com Cristo, chegarmos aos pés de sua divindade, estaremos nos comunicando diretamente com o Pai, como Cristo faz.
Neste momento a intermediação é desnecessária.

Veja este texto de meu livro: A Semeadura Extraterrestre para entender o momento que buscamos:
Galileu e outros qualificaram a matemática de DIVINA “aquilo que podemos medir, podemo-lo conhecer”.
            E é por isto que o pleno conhecimento de Deus no milênio terá caráter científico.
            Encontraremos o lugar onde Deus mora no Universo, mas de forma científica, confirmatória e imutável.
            Neste momento uniremos a Divina matemática com o Divino Criador. Podemos criar as fórmulas para se chegar a Ele, conversar com Ele e vê-Lo (da nossa maneira) sem que com isto derretamos.
            Neste momento Ele estará junto conosco, reinando absoluto aqui na Terra, como fazia no tempo de Adão e Eva.
            As coisas aqui mudarão, pois as religiões não serão necessárias, assim como não serão necessários os padres e pastores, intermediários entre Deus e os homens, porque para chegar a Deus não serão necessários intermediários, pois saberemos onde Ele está e como chegar lá!
Este momento é descrito na Bíblia em Apocalipse 21:3: Deus habitando com o homem.

Na organização chamada igreja quântica, esta busca é nossa primazia. Inexistindo necessidade de controle e autoridade, a hierarquia fica sem qualquer sentido prático, e as chefias perdem sua razão de ser, sendo substituídas pela responsabilidade e liderança. Por essa razão a organização quântica passa a ter uma configuração plana (como era a igreja primitiva), já que a autoridade é que dá a dimensão vertical ao organograma sob a forma de pirâmide.
Por outro lado, a organização quântica tem um sentido global, sem limites, e isso se aplica também à sua estrutura interna, dando-se como conseqüência a desestruturação dos coletivos administrativos, sejam eles diretorias, departamentos, setores, grupinhos e tantos outros. As pessoas são a organização e não pertencem somente a partes dela, aos grupinhos, como ocorre na administração convencional.
Nisto principalmente que difere a igreja da empresa.
Nenhum coletivo pode ser aceito como concorrente da organização, ou como opositor a ela. Assim sendo, grupos menores ficam totalmente excluídos, sendo substituídos pela unidade dos que trabalham na organização, e isso inclui a todos, inclusive diretoria e pastores. Aceitar que os membros se reúnam em grupos herméticos, significa criar uma unidade representativa perante a diretoria, por exemplo, e isso divide a organização que deixa de ser quântica, ou seja, global.
Certamente as funções continuam existindo, o que desaparece é a estrutura de cargos, cada um deles um verdadeiro feudo pertencente a um chefe que, por sua vez, é "dono" das pessoas que como ele trabalha. Inexistindo cargos desaparece a disputa pelos mesmos, e os líderes podem exercer sua tarefa principal de formadores e orientadores, sem a preocupação de estarem gerando concorrentes para disputar as posições por eles ocupadas.
A organização quântica, sendo uma concepção, deve preservar sua identidade, ou seja, sua individuação no contexto onde atua. Isso implica ter sua marca e assumir na sua região e bairro uma imagem diferenciada positiva, que assegure boa referência na comunidade, que passam a ser fiéis a ela. Isso é muito diferente da prática de uso do poder ou influência, pois significa conquistar e manter posição.
O uso do poder é substituído pela fidelidade, independente de qualquer coisa, desde que gere satisfação e credibilidade nos membros.
Na visão quântica, as organizações, através de suas tecnologias, contribuirão para que o homem atinja plenamente o sentido da palavra plenitude: estar pleno, realizar todo o seu potencial, todo o seu destino de modo inteiro e completo, e buscar o Salvador e Criador de tudo.
Se olharmos bem o que está acontecendo desde o fim da Segunda Guerra Mundial no que se refere à educação do adulto e das crianças, no que concernem suas moralidades, éticas e valores, podemos facilmente constatar que são as igrejas que têm preenchido cada vez mais este papel.
Isto ocorre ainda mais depois da extinção das disciplinas de Organização Moral e Cívica (do 1º e 2º graus) e Estudo dos Problemas Brasileiros (na faculdade) em 1983. O papel de ensinar as crianças e adultos quanto aos valores, a moralidade e a ética, foi passada para os pais. Mas eles têm cada vez menos tempo.
Uma das causas das igrejas assumirem este papel é também o caráter conservador das universidades, que têm dificuldade de se adequar às rápidas mudanças de conteúdo e currículo, ao aumento exponencial das descobertas e criações e ao fato das organizações e igrejas serem hoje o cenário principal destas mudanças.
Assim, as organizações, principalmente as igrejas, estão aos poucos se tornando novas universidades no que tange à educação. Não é a toa que o povo evangélico é uma das categorias que mais lê: 7,1 obras por ano (http://www.cultura.gov.br/site/2008/05/20/retratos-da-leitura-no-brasil/). Mas as igrejas podem ir além, em relação à plenitude. Elas podem se transformar em novas universidades para o terceiro milênio. Queremos dizer com isto que poderão contribuir para devolver ao trabalho humano, a sua dignidade. E à natureza o seu caráter sagrado.


Consultor de igrejas e Igrejas


5. Bibliografia
COHEN, David, A empresa é você. Você S. A, São Paulo: Abril, nº 3, 35-45, Setembro.1999.
DORSEY, David, O Novo Espírito do Trabalho. Você S.A, São Paulo : Abril, n º 3,82-90, Setembro. 1999.
COHEN, David, Será que eu tenho que saber Física Quântica ?. Exame, São Paulo: Abril, n º 23, 106-112,  Novembro. 1999.
GOMES, Maria Tereza, Prepare-se para o futuro. Você S.A, São Paulo: Abril, n º05, 36-45, Novembro, 1999.
FRANZEN, Edson de Almeida e, Coleção A Bíblia da Religião. Editora Herr, Guaratuba - PR,1999 a 2009. www.editoraherr.nbz.com.br.



[1] COHEN, David, Será que eu tenho que saber Física Quântica ?. Exame, São Paulo: Abril, n º 23, 106-112, Novembro. 1999

Nenhum comentário:

Postar um comentário