domingo, 14 de setembro de 2014

CÂNCER NA VISÃO ESPÍRITA



Desde tempos imemoriáveis,
 a melhor medicina sempre foi
 a preventiva. O grande 
alquimista Paracelso insistia:
 "Não se deve tratar a doença;
 deve-se tratar a saúde".
 Podemos dizer que, o melhor
 meio para não se apanhar
 uma doença, consiste
 em se manter saudável. 
Ou seja, proteger o sistema
 imunológico, de forma a 
bloquear qualquer germe
ou vírus que tentar invadir nosso organismo. Pode-se pensar que 
seja fácil atingir tal objetivo, através de uma boa dieta, escolhendo
 alimentos de baixo valor de colesterol, reduzindo o consumo de 
carne, abstendo-se de consumir açúcar, realizando exercícios 
físicos, enfim, submetendo-se a tudo aquilo que uma propaganda 
insistente nos propõe. Mas como explicar, nesse caso, o 
elevadíssimo número de pessoas que seguiram rigorosamente
 tais instruções, julgando estar assim protegidas contra os perigos
 das doenças para um dia, descobrir que seu organismo estava 
sendo minado pelo câncer? André Luiz conta, através da psicografia
 de Chico Xavier que um Espírito ao preparava-se para reencarnar,
 pediu para seu novo corpo físico uma úlcera que apareceria em sua 
madureza física e que não deveria encontrar cura até sua
 desencarnação, para que ele pudesse ressarcir um assassinato 
que cometeu ao esfaquear um homem (que estava na sua
 madureza física) na região do estômago. Como vemos, 
mesmo que este Espírito cuide de sua saúde durante toda sua 
juventude, não fugirá da úlcera “moral” que “ele pediu”.ENTÃO,
 CÂNCER É UMA ENFERMIDADE CÁRMICA? A experiência diz 
que sim. Estamos submetidos a um mecanismo de causa e 
efeito que nos premia com a saúde ou corrige com a doença, de
 acordo com nossas ações. O CÂNCER SERIA ENTÃO O 
RESULTADO DE UM COMPORTAMENTO DESAJUSTADO, EM VIDAS 
ANTERIORES? Nem sempre. A causa pode estar nesta existência. 
Um exemplo: as estatísticas demonstram grande incidência 
de câncer no pulmão, em pessoas que fumam. Há elementos 
cancerígenos nas substâncias que compõem o cigarro. Quem 
fuma, portanto, é sério candidato a esse mal. Será o seu 
carma. Há uma charge ilustrativa, em que um cigarro diz para
 o fumante: "Hoje você me acende. Amanhã eu o apagarei!"
 Certíssimo! ESTÁ DEMONSTRADO QUE OS FUMANTES 
PASSIVOS, PESSOAS QUE CONVIVEM COM FUMANTES, TAMBÉM 
PODEM TER CÂNCER. COMO EXPLICAR ESSA SITUAÇÃO? ENão há
 inocentes na Terra, um planeta de provas e expiações. O
 fumante passivo que venha a contrair câncer tem comprometimentos 
do passado que justificam seu problema. Aliás, o simples fato
 de aqui vivermos significa que merecemos (ou necessitamos) 
tudo o que aqui possa nos acontecer. Se não merecêssemos, 
estaríamos morando em mundos mais saudáveis. 
ISSO ISENTA DE RESPONSABILIDADE O FUMANTE QUE POLUI O 
AMBIENTE, SITUANDO-O COMO INSTRUMENTO DE RESGATE
 PARA ALGUÉM? Ao contrário, apenas o compromete mais. 
Deus não necessita do concurso humano para exercitar a justiça.
 Além de responder pelos desajustes que provoca em si mesmo, 
responderá por prejuízos causados ao meio ambiente e às pessoas.
 A MEDICINA VEM DESENVOLVENDO TÉCNICAS PARA A CURA DO 
CÂNCER. CONCEBE-SE QUE DENTRO DE ALGUMAS DÉCADAS SERÁ
 POSSÍVEL A CURA RADICAL EM TODAS AS SUAS MANIFESTAÇÕES.
 COMO FICARÃO AQUELES QUE ESTÃO SE REAJUSTANDO PERANTE 
AS LEIS DIVINAS A PARTIR DE UM CARCIOMA? A medicina vem
 fazendo grandes progressos, mas está longe de erradicar a 
doença. Males são superados; outros surgem, nos domínios da 
sexualidade, a sífilis era um flagelo, decorrente da promiscuidade. 
Hoje é a AIDS. A dor, a grande mestra, que tem na enfermidade
 um de seus aguilhões, continuará a nos corrigir, até que aprendamos
 a respeitar as leis divinas. A PESSOA QUE SOFRE BASTANTE,
 VITIMADA POR UM CÂNCER, RESGATOU SEUS DÉBITOS, 
HABILITANDO-SE A UM FUTURO FELIZ NA ESPIRITUALIDADE? 
A doença elimina as sombras do passado, mas não ilumina o
 futuro. Este depende de nossas ações, da maneira como 
enfrentamos problemas e enfermidades. Quando o nosso 

comportamento diante da dor não oprime aqueles que nos 
rodeiam, estamos nos redimindo, habilitados a um futuro glorioso. 
COMO FUNCIONA ISSO? Se o paciente tem câncer, suas
 dores implicarão em sofrimento para a família. Tudo 
bem. Faz parte das experiências humanas. Mas, 
dependendo da maneira como enfrentar seu problema,
 poderá gerar aflições bem maiores para todos, o que
 acontece com o paciente revoltado, inconformado,
 agressivo. Se humilde e resignado, a família lidará melhor 
com a situação. Pacientes assim (resignados) estão "zerando o carma".

Disse padre Léo ao padre Fábio de Melo: "Meu filho, eu nunca

 pedi a Deus que me curasse do meu câncer, porque seria muito
 injusto eu plantar limão e querer colher outra coisa. Eu fumei 
a vida inteira. Então, eu peço a Ele que me ensine a morrer do 
jeito certo. Se eu não faço minha parte, eu me pergunto: será
 que é honesto eu pedir que Deus faça a parte Dele? Ele já fez a
 parte Dele nos dando a vida, precisamos fazer a nossa parte 
cuidando dela!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário