domingo, 28 de dezembro de 2014

GRUPOS DA IGREJA CATÓLICA

Ordens Católicas

As ordens religiosas católicas tem uma intrínseca ligação ao movimento conspiratório do Catolicismo e da "Opus Dei" dentro do Cristianismo. Para compreender sobre esse assunto deixarei algumas informações tirada da [[Wikipedia]]. Veja algumas das muitas ordens:

Agostinianos

Ordo Sancti Augustini

Da ''Ordem de Santo Agostinho''(OSA)
Os agostinhos ou agostinianos surgiram no dia 16 de dezembro de 1243, com o papa Inocêncio IV que emitiu a bula Incumbit nobis conclamando numerosas comunidade eremitas da Toscana a se unirem em uma só ordem religiosa com a Regra e forma de vida determinadas por filósofo "Santo" Agostinho, às comunidades que fundou durante sua vida. Os principais eremitas eram: os Eremitas de Santo Agostinho da Túxia, cujos mosteiros, originalmente independentes, em março de 1244, por decisão da Santa Sé, foram reunidos numa única organização; os Eremitas de Brettino, pelo nome da localidade; e os Eremitas de São João Bono.
No mês de março de 1256, em Roma, na Igreja da Santa Maria do Povo, reuniram-se, por vontade do Papa Alexandre IV, os delegados de todos os mosteiros acima citados e de outros institutos menores, num total de cerca de trezentos e sessenta membros. Na presença do legado papal, Cardeal Ricardo dedli Annibaldi, os frades ermitas ouviram e aceitaram a vontade do Pontífice de se reunirem para constituir uma única grande Ordem, a dos Eremitas de Santo Agostinho.
Os frades eremitas da Toscana elegeram, então, um Prior-Geral e formalizaram suas constituições. A Santa Sé achou por bem fazer isso também para que os frades se transferissem para as cidades e lá construíssem sueus conventos, podendo assim catequizar o povo através do exemplo, da pregação e do atendimento nas confissões.
Deste forma, a Ordem Agostiniana passou a desenvolver sua dimensão apostólica, muito marcante em seu fundador.

Barnabitas
Os Clérigos Regulares de São Paulo (CRSP) são uma das ordens religiosas de clérigos mais antigas na história da Igreja Católica: fundada em 1530, nasceu nos tempos de muitos movimentos de reforma da vida cristã, inclusiva a conhecida como Reforma Católica ou Contra-Reforma, que antecederam o Concílio de Trento (1545-1563).
A ordem, fundada por Santo António Maria Zaccaria (médico e presbítero nascido em Cremona em 1502 e falecido em 1539), tem três institutos: Clérigos Regulares de São Paulo ou Barnabitas (para os religioso); Freiras Angélicas de São Paulo (para as religiosas); e Leigos de São Paulo (para os leigos). A aprovação à nova ordem foi dada pelo Papa Clemente VII em 18 de fevereiro de 1533.

Beneditinos
Ordem de São Bento
Escudo da Ordem de São Bento (ou Beneditinos)
(O.S.B.)
Ordem de São Bento ou Ordem Beneditina(em Latim: Ordo Sancti Benedicti, sigla O.S.B.) é a ordem religiosa católica de clausura monástica que se baseia na observância dos preceitos destinados a regular a convivência comunitária. É considerada como a iniciadora do chamado movimento monacal, ou Monasticismo.
Regula Benedicti foi composta em 529 para abadia de Monte Cassino, na Itália, por São Bento de Núrsia (480-543), irmão gémeo de Santa Escolástica (480-457). Ela preceituava a pobreza, a castidade, a obediência, a oração e o trabalho, bem como a obrigação de hospedar peregrinos e viajantes em seus mosteiros, dar assistência aos pobres e promover o ensino. Por este último motivo, ao lado dos seus mosteiros, havia sempre uma escola, razão pela qual ainda, a ordem tronou-se em um dos centro culturais da Idade Média, com as suas bibliotecas reunindo o que restara das obras e ensinamentos da Antiguidade.
Embora a fundação da ordem seja anterior a ela, considera-se que terá verdadeiramente tomado impulso a partir de reunião de vários mosteiros que professavam a regra por ele escrita, isso muito após a sua morte. Mais tarde, os monges dessa ordem passaram a ser conhecidos como "beneditinos". Hoje em dia, a ordem está espalhada por todo o mundo, com mosteiros masculino e femininos (de monges e monjas de clausura).
Seguindo o seu exemplo e inspiração, diversos fundadores de ordens religiosas têm baseado as normas e regras de seus mosteiros na regra deixada por Bento, cujo princípio fundamental é Ora et labora, o que quer dizer "Reza e trabalha".
Os mosteiros beneditinos são sempre dirigidos por um superior que, dependendo da categoria do mosteiro, pode chamar-se prior ou abade. Ele é escolhido pelo restante dos monges. O ritmo de vida beneditino tem como eixo principal o Ofício Divino, também chamado de Liturgia das Horas, que se reza sete vezes ao dia, tal como São Bento havia ordenado. Junto com a intensa vida de piedade e oração, em cada mosteiro se trabalha arduamente em diversas atividade manuais, agrícolas,etc. para o sustento e o autoabastecimento da comunidade monástica.
Carmelitas

Ordem dos Irmãos da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo
Escudo da Ordem do Carmo (ou Carmelitas)
(O.Carm.)
Ordem do Carmo (ou Ordem dos Carmelitas), originalmente chamada Ordem dos irmão da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, é uma ordem religiosa católica que surgiu no final do século XI, na região do Monte Carmelo (uma cadeia de colinas, próxima à atual cidade de Haifa, antiga Porfírio no atual Estado de Israel).
A palavra "Carmelo" significa jardim. Conta a tradição que o profeta Elias se estabeleceu numa gruta, em pleno Monte Carmelo, seguindo uma vida ermítica de orção e silêncio. Nele, e no seu modo de vida, se inspiraram os primeiros religiosos da Ordem. Mais tarde, uma Regra para a Ordem do Carmo foi sistematizada e proposta por Santo Alberto, Patriarca de Jerusalém, e apovada pelo Papa Honório III em 1226. No sécuo XIII os religiosos acabaram por migrar para os países do Ocidente, fugindo das invasões sarracenas. No século XVI, na Espanha, Santa Teresa de Ávila e São João da Cruz conduziram um processo de renovação, ou reforma, do carisma da Ordem do Carmo. Deste processo histórico e místico surgiu um novo ramo: o ramo dos Carmelitas Descalços. Um mosteiro ou convento carmelita é conhecido por Carmelo.

Eremitas da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo

Os Eremitas da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, ou simplesmente Carmelitas Eremitas, são um ramo da Ordem do Carmo que se originou com monges ermitas que, desde o século XIII, se tornaram na sua maioria em frades mendicantes. Os Carmelitas Eremitas do ramo masculino da Ordem do Carmo não são, contudo, considerados como os frades carmelitas de vida ativa e apostólica. Na atualidade, os Carmelitas Eremitas são comunidade separadas, tanto de homens como de mulheres, que vivem uma vida de clausura, inspirada na antiga vida monástica carmelita, sob a autoridade do Prior Geral da Ordem Carmelita. (O.Cam.).

Carmelitas da Antiga Observância

Brasão da Ordem do Carmo (Antiga Observância) e da Ordem Terceira do Carmo.
A Ordem dos Carmelitas da Antiga Observância, ou simplesmente Carmelitas, são o ramo mais antigo e originário da Ordem do Carmo.
Ordem Terceira do Carmo
A venerável Ordem Terceira do Carmo, ou simplesmente Terceiros Carmelitas, é um ramo da Ordem do Carmo composto pelo grupo de membros leigos do Carmelitas da Antiga Observância, os quais encontra-se sempre unidos em comunhão fraterna com os frades contemplativos e com as freiras de clausura da sua ordem religiosa. Este remo baseia-se, por norma, no carisma carmelita original, ainda que partilhe a riqueza espiritual do ramo reformado por Santa Teresa de Ávila e São João da Cruz. A instituição da Ordem Terceira do Carmo, depois também chamada de Venerável devido ao fato de se tratar da maior ordem religiosa mariana, remonta ao tempo de São Simão Stock que, além de ter sido a promessa de divinas graças que seriam concedidas aos seus confrades que o usassem com devoção. É considerado, contudo, como fundador das Irmãs Carmelitas de clausura e da própria Ordem Terceira do Carmo, o Beato João Soreth. Na realidade, tal deve-se ao fato de que, em meados do século XV, apesar dessas comunidade religiosas já existirem, estas viviam sem Regra definida e foi ele quem deu-lhes a devida forma canônica. Foi o Beato João Soreth quem, na primeira pessoa, empreendeu todos os esforços necessários e obteve do Papa a aprovação dos estatutos legais e o reconhecimento da Ordem das Irmãs Carmelitas de clausura e da Ordem Terceira do Carmo (sendo esta última composta maioritariamente por homens e mulheres leigos, mas que estão ligados espiritualmente, de modo bastante particular, aos restantes membros da Ordem do Carmo), Na implementação do ramo da Ordem Terceira do Carmo esteve também relacionado São Nuno de Santa Maria.

Carmelitas Descalços

Brasão dos Carmelitas Descalços e da Ordem dos Carmelitas Seculares.
A Ordem dos Carmelitas Descalços, ou simplesmente Carmelitas Descalços, é um ramo da Ordem do Carmo, formado em 1593, que resulta de uma reforma feita ao carisma carmelita elaborada por Santa Teresa de Ávila e São João da Cruz. Este ramo divide-se em três diferentes tipos de família carmelita: os padres ou frades, as freiras de clausura e os leigos. No século XVI, Numa noite do mês de Setembro de 1560, Teresa de Ávila decidiu reunir um grupo de freiras na sua cela e, tomando a inspiração primitiva da Ordem do Carmo e a reforma descalça de São Pedro de Alcântara, propôs-lhes a fundação de um mosteiro de tipo eremítico. Em 1562 é, então, fundado um novo mosteiro (que foi especialmente dedicado a São José). Por seu lado, em Duruelo, São João da Cruz e António de Jesus fundaram também um novo e primeiro convento masculino destinado aos frades Carmelitas Descalços. Em 1593, o Papa Clemente VII concedeu total autonomia ao ramo dos Carmelitas Descalços (separando o seu carisma do ramo dos Carmelitas da Antiga Observância, desde então também chamados de  Carmelitas Calçados para que melhor se pudesse estabelecer a diferença.)
Palotinos
Padres Palotinos.

Os Palotinos ou Padres Palotinos (S.A.C) são uma congregação religiosa da Igreja Católica Apostólica Romana fundada em 1835 com o nome da Sociedade do Apostolado Católico (societas apostolatus catholici) pelo Padre Vicente Pallotti, declarado santo, durante o Concílio Vaticano II, pelo Papa João XXIII em 20 de janeiro de 1963. A sociedade do Apostolado Católico, convoca a sacerdotes, irmãs e leigos para estabelecer um compromisso comum de viver e propagar juntos o Evangelho de Cristo. Um exemplo do seu trabalho é a Missa Palotina de Camarões estabelecida em 1890 na então colônia de Camarões parte do Império Alemão. Na Argentina, em 1976 cinco religiosos palotinos foram assassinados juntos na igreja de San Patricio durante a ditadura militar(1976-1983). O feito é conhecido como o Massacre de San Patricio. Os cinco religiosos são considerados mártires pela congregação do palotinos. Em 2006 o cardeal Jorge Mario Bergoglio iniciou os trâmites para a canonização dos cinco religiosos considerados mártires da fá.
Teatinos
(CR; Ordem dos Clérigos Regulares; Clérigos Regulares de São Caetano de Thiene; Ordo Clericorum Regularium; Theatinorum) Ordem religiosa masculina católica fundada no dia 14 de setembro de 1524 por São Caetano, Bonifácio de Colli, Paulo Consiglieri e João Pedro Carafa, bispo de Chiete (Teati), da qual provêm o nome Teatino. A cidade de Chieti em latim é Theate. O Cardeal Carafa seria mais tarde o Papa Paulo IV. A Igreja Católica vivia o período da chamada Contra-Reforma ou Reforma Católica. Alguns teatinos foram proclamados santos ou beatos pela Igreja Católica: "'São' Caetano de Thiene", "'Santo' André Avellino", "'São' José Maria Tomasi" e o beato Giovane Marinoni e Paulo Burali d´Arezzo.
Cistercienses
Armas da ordem de Cister

Ordem de Cister (Ordo cisterciensis, O.Cist. ou Sacer ordo cisterciensis, s.o.c.), também conhecida como ordem cisterciense, é uma ordem monástica católica reformada. A sua origem remonta à fundação da Abadia de Cister (em latim, Cistercium; em francês, C´íteaux), na comuna de Saint-Nicolas-lès-Cíteaux, Borgonha, em 1098, por Roberto de Champagne, abade de Molesme. Este, juntamente com alguns companheiros monges, deixara congregação monástica de Cluny para retomar a observância da antiga regra Beneditina, como reação ao relaxamento da Ordem de Cluny. Através da "Charta Charitatis", em complemento à Ordem de São Bento, Estevão - terceiro abade de Cister - estabeleceu que a autoridade da suprema Ordem seria exercida por uma reunião anual de todos s abades. Os mosteiros eram supervisionados pelo mosteiro-sede, em Citeaux, e pelos quatro mosteiros mais antigos da Ordem. A ordem terá um papel importante na história religiosa do séc.XII, vindo a impor-se em todo o Ocidente por sua organização e autoridade. Uma de suas obras mais importantes foi a colonização da região a leste do Elba, onde promoveu simultaneamente o cristianismo, a civilização ocidental e a valorização da terras(Feudalismo). Restauração da regra beneditina inspirada pela reforma gregoriana( reforma do Papa Gregório VII),a ordem cisterciense promove o ascetismo, o rigor litúrgico e erige, em certa medida, o trabalho como valor fundamental, conforme comprovam seu patrimônio técnico, artístico e arquitetônico. Além do papel social que desempenha até a Revolução Francesa, a ordem exerce grande influência no plano intelectual e econômico, assim como no campo das artes e da espiritualidade, devendo seu considerável desenvolvimento a Bernardo de Claraval (1090-1153), homem de excepcional carisma. Sua influência e seu prestígio pessoal o tornaram o mais célebre dos cistercienses. Embora não seja o fundador da ordem, continua sendo o seu mentor espiritual. Atualmente, a ordem cisterciense é de fato constituída de duas ordens religiosas e várias congregações. A ordem da Comum Observância contava em 1988 com mais de 1300 monges e 1500 monjas; e a Ordem cisterciense da estrita observância, (o.c.s.o.) compreende atualmente quase 3000 monges e 1875 monjas. São comumente chamados de Trapistas, pois a criação da ordem resultou na reforma da Abadia da Trapa(em Soligny-laTrappe, Baixa-Normandia/França). Mesmo separadas, as duas ordens têm ligações de amizade e relações de colaboração. O hábito também é semelhante. Os cistercienses são conhecidos como monges brancos em razão da cor do seu hábito. Embora sigam a regra beneditina, os monges cistercienses não são propriamente considerados beneditinos. Foi no IV Concílio de Latrão (1215) que a palavra "beneditino" surgiu, para designar os monges que não pertenciam a nenhuma ordem centralizada, em oposição aos cistercienses.
Claretianos
Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria,Congregatio Missionariorum Filiorum Immaculati Cordis Beatae,Cordis Mariae Filii,Claretiani,C.M.F.) é uma congregação religiosa católica fundada por Santo Antônio Maria Claret no dia 16 de julho de 1849. Desenvolve um extenso trabalho social no Brasil: colégios, faculdades (a que mais se destaca é o CEUCLAR), centro de espiritualidade, seminários, centros de formação para juventude, missões da gente, rádios, TV Claret, inúmeras paróquias,etc. No mundo esta congregação conta com uma média de 3500 membros, figurando entre uma das 10 maiores ordens e congregações da Igreja Católica. Esta ordem objetiva a evangelização por todos os meios possíveis e eficazes. Ultimamente, esta congregação tem se destacado pelo pioneirismo no Brasil do Ensino à Distância.
Franciscanos

Ordem dos Frades Menores
Ordo Fratrum Minorum
Brasão Ordem dos Frades Menores
PAX ET BONUM
Paz e bem
sigla
OFM

Bonaventura Berlingieri - St Francis of Assisi.jpg
Bonaventura BerlinghieriSão Francisco e cenas de sua vida, 1235, uma das mais antigas pinturas representando São Francisco de Assis
Fundador da O.F.M

A Ordem dos Frades menores (latim; Ordo Fratrum Minorum, O.F.M), também conhecida por Ordem de São Francisco, Ordem dos Franciscanos ou Ordem Franciscana, é uma ordem religiosa fundada pelo próprio São Francisco de Assis. Esta ordem religiosa tem como ramos: os Frades Franciscanos Conventuais (1209) - com hábito religioso cinzento, capuz e cordão; os Frades Franciscanos Observantes com regra simplificada pelo Papa Leão XII (das reformas 1368/1897) - de hábito castanho e capuz curto; os Frades Franciscanos Capuchinhos (1528), ramo reformado dos Franciscanos Observantes - de hábito castanho, capuz curto e todos de cordão branco com os três nós que representam os conselhos evangélicos; e os Frades Franciscanos da Imaculada, ramo reformado dos Franciscanos Conventuais - hábito cinza-azulado e com medalha milagrosa de "Nossa Senhora"(Semíramis). A regra da Ordem Franciscana esteve na base da Segunda Ordem Franciscana, ou Ordem das Clarissas, fundada por "Santa'' Clara de Assim e composta por freiras, e também na base da Terceira Ordem Franciscana, para os leigos. Fundada na Itália em 1209. Na história da ordem destacam-se nomes como os de Rogre Bacon no campo da ciências, e São Boaventura. Os franciscanos não são monges, mas sim religiosos: realizam voto de pobreza, castidade e obediência. Vivem em fraternidade, que se designam por conventos e não como abadias ou mosteiros. Os seus conventos são tradicionalmente dentro das cidades ou junto a elas. Além de católicos, já existiram Franciscanos Anglicanos e Franciscanos Protestantes que resultaram do Movimento de Oxford na Igreja Anglicana, e do movimento católico-evangélico na Igreja Luterana, ressurgiram ordens religiosas de inspiração franciscana.Entre os anglicanos existem a Comunidade de São Francisco(para mulheres, fundada em 1905) e a Sociedade de São Francisco, S.S.F.(para homens, fundada em 1919 nos EUA e em 1934 na Inglaterra), e a Comunidade de Santa Clara(para mulheres, monásticas) além da ordem Terceira para leigos. no Brasil Irmãos Franciscanos de Canaã da Irmandade Evangélica de Maria e os Franciscanos Anglicanos da Igreja Episcopal do Brasil,Curitiba.
Dehonianos
Congregação do Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus é uma congregação religiosa da Igreja Católica (latim, Congregatio Sacerdotum a Sacro Corde Iesu), donde vem a sua sigla (S.C.I.). Na França é conhecida por Congrégation du Sacré-Coeur ou Pères de Timon David.Presente em mais de 40 países, os padres dehonianos, como são conhecidos, atuam no apostolado paroquial, em obras sociais, educacionais, comunicacionais, missionarias...O fundador, Padre Léon Dehon, nascido em 14 de março de 1843, na França defendeu a participação social da Igreja, a instrução dos sacerdotes e a prática da missão das gentes. Sociólogo, advogado e um sacerdote exemplar, padre Dehon fundou uma congregação que tem a Eucaristia como centro e o "ir ao povo" como prática.
Dominicanos
Ordem dos Pregadores (latim: Ordem PraedicatorumO.P.), também conhecida como Ordem dos Dominicanos ou Ordem Dominicana, é uma ordem religiosa católica que tem como objetivo a pregação da mensagem cristã e proselitismo, ou seja, a "conversão ao cristianismo". Foi fundada em Toulouse, França, no ano de 1216 por São Domingos de Gusmão, sacerdote castelhano(espanhol), o qual era originário de Caleruega. Os dominicanos não são monges, mas sim religiosos: realizam voto de pobreza, castidade e obediência. Vivem em comunidade, que se designam por conventos.
Doutrinários
Congregação do Padres da Doutrina Cristã (latim: Congregatio Patrum Doctrinae Christianae) é um "instituto de vida consagrada" da Igreja Católica, os seus membros são também conhecidos como Padres Doutrinários ou simplesmente Doutrinários. Os religiosos desta congregação clerical ao seu nome próprio pospõem a sigla "D.C.".Tinha por objetivo inicial ensinar o catecismo aos camponeses. O instituto foi fundado em 29 de setembro de 1592 em Isle-sur-Sorgue, Avignon, pelo sacerdote francês César de Bus e aprovado pela Santa Sé em 23 de dezembro de 1597. A instituição depois passou a aceitar a direção de vários colégios e estabelecimentos de ensino que surgiram. Uma fração dos Doutrinários se recusou a fazer votos e se separou de César de Bus em 1619 para se reunir aos Padres Oratorianos; a seguir foi reorganizado pelo papa Bento XII e por Bento XIV, que em 1747 uniu a instituição à congregação homônima fundada por Marcos de Sadis Cusani em Roma 1560. Atualmente os Padres Doutrinários se dedicam sobretudo ao ministério paroquial, ao ensino e às publicações formativas e doutrinais. Em fins de 2004 a congregação contava com 18 casas, 97 religiosos e 60 sacerdotes. César de Bus fundou também uma Congregação das Filhas da Doutrina também conhecidas como Ursulinas.
Escolápios
Piarist.svg Ordem Religiosa das Escolas Pias(em latim: Ordo Clericorum Regularium pauperum Matris Dei Scholarum Piarum, Sch.P ou S.P), mais conhecida Ordem dos Escolápios, Padres Escolápios ou ainda Padres Piaristas, é uma ordem religiosa da Igreja Católica fundada por São José de Calasanz, inicialmente com o nome de Ordem dos Clérigos Regulares Pobres da Madre de Deus das Escola Pias, em 1621 em Roma.
Estigmatinos
A Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo(CSS), em latim: Congregatio a Santissimis Stigmatibus Domini Nostri Iesus Christi, é uma congregação religiosa fundada em 4 de novembro de 1816, por São Gaspar Bertoni, na cidade de Verona, no norte da Itália. A Espiritualidade de Padre Bertoni era de cunho inaciano("Santo Inácio de Loyola" fundador da Companhia de Jesus), e ele pregou inúmeros sermões que foram agrupados pelos padres estigmatinos. O carisma Estigmatino se identifica pelo espírito de comunhão de seus integrantes, como se fossem um só coração e uma só alma. Desempenham suas ações no campo missionário, inclinando-se ao serviço dos bispos nestas missões e à educação da juventude.
Hospitalários

Sovrano Militare Ordine Ospedaliero di San Giovanni di Gerusalemme di Rodi e di Malta Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta
Bandeira da Ordem de Malta
Armas da Ordem de Malta
BandeiraBrasão de armas
Lema"Tuitio Fidei et Obsequium Pauperum"  (Latim)
"Defesa da fé e assistência aos pobres"
[1]

Ordem de Malta ( oficialmente Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta) é uma organização internacional católica que começou como uma ordem Benedita fundada no século XI na Terra Santa, durante as Cruzadas, mas que rapidamente se tornaria numa ordem militar cristã, numa congregação de regra própria, encarregada de assistir e proteger os peregrinos àquela terra. Face às derrotas e consequente perda pelos cruzados dos territórios na Palestina, a ordem passou a operar a partir da ilha de Rodes, onde era soberana, e mais tarde desde Malta, como estado vassalo do Reino da Sicília. Atualmente, a Ordem de Malta é uma organização humanitária soberana internacional, reconhecida como entidade de direito internacional. A ordem dirige hospitais e centros de reabilitação. Possui 12500 membros, 80000 voluntários permanentes e 20000 profissionais da saúde associados, influindo médicos, enfermeiros, auxiliares e paramédicos. Seu objetivo é auxiliar os idosos, os deficientes, os refugiados, as crianças, os sem-teto e aqueles com doença terminal e hanseníase, atuando em cinco continentes do mundo, sem distinção de raça ou religião.
Josefinos
A Congregação de São José - também conhecida por Josefinos de Murialdo - foi fundada por São Leonado Murialdo em 1873, em Turim, na Itália. A finalidade da congregação é a educação integra de crianças, adolescentes e jovens empobrecidos. Seu objetivo é educa-los para a cidadania: formar bons cristão e cidadãos honestos, em colégios, obras sociais e assistências e paróquias. A Ordem dos Josefinos é presente na Itália, Espanha, Romênia, Índia, Guiné-Bissau, Serra Leoa, Estados Unidos, México, Colômbia, Equador, Chile, Argentina e Brasil. A Congregação dos Oblatos de São José (latim: Congregatio Oblatorum S. Ioseph, Astae Pompejae, OSJ) é a congregação masculina católica que é uma vertente da Ordem Josefina no Brasil, fundada por São José Marello em 1778, em Asti. visa a catequização, evangelização e educação religiosa. A congregação possui apenas uma instituição de ensino superior no mundo e que está presente no Brasil. Trata-se da Faculdade Padre João Bagozzi situada na cidade de Curitiba no estado do Paraná.
Lassallistas
O Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs,FSC, Fratum Sholarum Christianorum (mais conhecidos em alguns locais como irmãos de La Salle ou Irmão Lassalistas) é uma congregação religiosa de monges laicos fundada por São João Batista de La Salle. Não formam uma ordem religiosa tradicional e se encontram dentro da Igreja Católica no espaço da vida consagrada. Este instituto foi aprovado pela Santa Sé como uma congregação religiosa em 26 de Janeiro de 1725 pelo Papa Bento XIII. Os Lasallistas é a única associação religiosa que obteve sua permissão por intermédio de uma Bula Papal, pelo motivo de ser uma congregação muito diferente das demais existentes e seu fim é a educação da infância à juventude. Anteriormente à aprovação papal, obteve as Letras Patentes em 28 de Setembro de 1724, outorgadas por Luís XV, as quais lhe permitiram sua posterior adaptação da Santa Sé.Seu atual Superio Geral é o Irmão Álvoro Rodríguez Echeverría.
Lazaristas ou Vicentinos
Congregação da Missão(Congregatio Missionis, CM), Lazaristas ou ainda Padres e Irmãos Vicentinos, é uma sociedade de vida apostólica masculina católica fundada em Paris, no dia 17 de abril de 1625, por São Vicente de Paulo (1581-1660). É composta por padres seculares e leigos consagrados (irmãos), que vivem e trabalham em comunidade e fazem os votos de Estabilidade, pobreza, castidade e obediência. Possui cerca de 4100 membros, espalhados por diversos países e presentes em missões, seminários, paróquias, colégios e obras diversas de serviço aos pobres. A origem remonta às missões junto aos pobres realizadas por Vincente de Paulos e cinco outro padres. Em 1624 a comunidade religiosa instalou-se no Collége des Bons Enfants, em Paris, França. Receberam aprovação apiscopal em 1626. Em 1634, através da bula Salvatoris Nostri do Papa Urbano VII a Congregação teve aprovação pontifícia. Seus membros são conhecidos como padres e irmãos vicentinos ou lazaristas porque a primeira casa da Congregação, em Paris, se chamava "Casa de São Lázaro".
Oratorianos

A Congregação do Oratório, hoje Confederação do Oratório (Confoederatio Oratorii Sancti Philippi Nerii), também conhecida como Oratorianos ouOrdem de São Filipe Néri, é uma sociedade de vida apostólica fundada em 1565, em Roma, por São Filipe Néri, para clérigos seculares, sem votos de pobreza e obediência, dedicando-se à educação cristã da juventude e do povo e a obras de caridade.
Reúne todas as congregações cujos membros são conhecidos como oratorianos ou filipinos, e pospõem aos seus nomes a sigla C.O., instituídas ao longo dos séculos, pela Santa Sé segundo o espírito da primeira, fundada em Roma, com a bula Copiosus in misericordia Deus (1575) do Papa Gregório XIII.

Jesuítas
Companhia de Jesus

Societas Iesu
Brasão Companhia de Jesus
AD MAIOREM DEI GLORIAM
Para a maior glória de Deus
sigla
SJ

Companhia de Jesus (em latimSocietas IesuS. J.), cujos membros são conhecidos como jesuítas, é uma congregação religiosa fundada em 1534 por um grupo de estudantes da Universidade de Paris, liderados pelo basco Íñigo López de Loyola, conhecido posteriormente como Inácio de Loyola. A Congregação foi reconhecida por bula papal em 1540. É hoje conhecida principalmente por seu trabalho missionário e educacional.
Teutônicos

Armas do grão-mestre da Ordem dos Cavaleiros Teutónicos.

A Ordem dos cavaleiros Teutônicos de Santa Maria de Jerusalémconhecida apenas como OrdemTeutónica  ou Ordem Teutônica  (em alemão: Deutscher Orden; em latim: Ordo Domus Sanctæ Mariæ Theutonicorum) foi uma ordem militar cruzada, vinculada à Igreja Católica por votos religiosos pelo Papa Clemente III. Tendo sido formada em Acre, na Palestina, na época das Cruzadas, no final do século XII. Os seus membros usavam sobrevestes brancas com uma cruz negra.
Tiveram a sua sede em Montfort, uma fortaleza construída nos tempos do Reino de Jerusalém (1099-1291), durante as Cruzadas, cujos vestígios se conservam no norte de Israel.
A Ordem Teutónica foi uma das mais poderosas e influentes da Europa. A maioria dos seus membros pertencia à nobreza, inclusive a família real prussiana e outros nobres germânicos. Os soberanos e a nobreza dos estados antecessores à atual Alemanha (ver artigo: Unificação Alemã), inclusive a família soberana doImpério Alemão (1871-1918) e da Prússia (1525-1947) - os von Hohenzollern), eram membros da ordem.
Em 1809, quando Napoleão Bonaparte determinou a sua extinção, a Ordem perdeu as suas últimas propriedades seculares, mas logrou sobreviver até o presente. O decreto papal emitido por Pio XI, a 21 de novembro de 1929, transformava os cavaleiros teutónicos numa ordem clerical composta por sacerdotes, padres e freiras. Actualmente, tem a sua sede em Viena, Áustria, e trabalha primordialmente com objetivos assistenciais. A cruz teutónica está na origem da célebre "Cruz de Ferro", condecoração ainda em uso pelas forças armadas alemãs.

Orionitas

A Congregação da Pequena Obra da Divina Providência (em latim Fratrum Opus Divinae Providentiae ou Parvum opus Divinae Providentiae) também conhecida como Filhos da Divina Providência; Pequena Obra da Providência Divina ou simplesmente Orionitas é uma ordem religiosa daIgreja Católica. Os seus membros usam a sigla "FDP", correspondente às iniciais em latim, após o nome para serem identificados.
A ordem foi fundada por São Luís Orione (1882 - 1940) canonizado por João Paulo II.

Passionistas

Passionistas
Passio logo.jpg

A Congregação da Paixão de Jesus Cristo, também chamada de Congregação da Paixão é uma congregação religiosa da Igreja Católica Apostólica Romana. Seu nome latino é Congregatio Passionis Iesus Christi , o que determina sua sigla: CP. Em Portugal são conhecidos como Missionários Passionistas.
A congregação possui um ramo sacerdotal e um ramo leigo. Os Passionistas são um grupo de cristãos, sacerdotes e leigos, que vivem em comunidade fraterna, dispostos a anunciar aos homens e às mulheres do nosso tempo o Evangelho de Cristo.
Esta comunidade de vida apostólica foi fundada por São Paulo da Cruz (ou Paulo Danei) em Itália, no ano de 1720. O Fundador descobriu na Paixão de Jesus Cristo "a maior e a mais admirável obra do amor divino" e a revelação do poder de Deus que elimina a força do mal com o dinamismo da Ressurreição.
Paulo da Cruz confiou aos seus seguidores a tarefa de anunciar aos seus contemporâneos o amor de Deus por cada pessoa, manifestado na Paixão e Morte de Cristo e tornado vitorioso pela Ressurreição.
Os Passionistas comprometem-se, através de um voto especial, a promover a memória da Paixão de Cristo (Memoria Passionis) com a palavra e com a própria vida. Procuram fazê-lo, sobretudo, com a pregação e com a sua presença junto dos pobres e dos marginalizados por qualquer razão; enfim, junto de todos os "crucificados" da actualidade.
Outra característica importante dos Passionistas é a vida comunitária. Na comunidade Passionista tudo é comum e a mesma dedica um grande espaço de tempo à oração e à contemplação. Os Passionistas são, por assim dizer, contemplativos activos; ou seja, unem de modo criativo a contemplação com a sua actividade pastoral.
Casa das Irmãs Passionistas em Colombo, (município da Grande Curitiba),Paraná, Sul do Brasil.
Actualmente, são mais de dois mil, estão presentes em 56 nações dos cinco continentes.
São governados por um Superior Geral, eleito para um sexénio, tendo como ajuda um Conselho formado por seis Consultores, representantes das várias áreas geográficas.
A Congregação divide-se territorialmente por Províncias, Vice-Províncias e Vicariatos, consoante o número de religiosos existentes em determinadas áreas. Atualmente encontra-se em processo de reestruturação, e portanto, à experiência, criaram-se novas estruturas organizativas, formando aquilo a que se chamou "Configurações", tendo passado a Província Portuguesa a pertencer à "Configuração de Jesus Crucificado".
Nos dias de 18 a 21 de Abril de 2006, os Missionários Passionistas de Portugal estiveram em Barroselas,Viana do Castelo, em Capítulo Provincial. Estes dias de encontro fraterno destinaram-se a programar o próximo quadriénio (2006-2010). Novos desafios se apresentaram e os Passionistas portugueses tentaram achar a melhor solução para eles. Para além de todos os religiosos portugueses, esteve presente o Superior Geral (que está em Roma e lhe está confiada a Congregação a nível mundial), assim como o Consultor para a Península Ibérica.
Deste Capítulo Geral saíu um novo Conselho Provincial: Superior Provincial: P. Laureano Alves Pereira; 1º Conselheiro: P. José Joaquim Queirós de Sá; 2º Conselheiro: P. Paulo Gomes Ferreira de Sousa.

Premonstratenses

Abadia de Prémontré

A Ordem Premonstratense, dos cónegos regulares Premonstratenses (latim: Ordo Præmonstratensis ou Candidus et Canonicus Ordo Præmonstratensis, O. Præm) também conhecidos por Cónegos Brancos ou Cónegos de São Norberto consiste num ramo que derivou dos cónegos regulares de Santo Agostinho, fundado em 1119 por São Norberto (nascido em Xanten, no Baixo Reno), cerca de 1080) em Prémontré, um pântano isolado na floresta de Coucy, na diocese de Laon, França.
A Ordem disseminou-se facilmente. Ainda em vida do seu fundador, já existiam casas premonstratenses na Síria e na Palestina. Manteve durante muito tempo a sua austeridade rígida mas, ao longo do tempo, à medida que a Ordem ia enriquecendo, foram aumentando as acusações de indolência e de entrega a uma vida de luxo. Em Portugal, estabeleceram-se na Ermida de Paiva e talvez no mosteiro de Vandoma, mas a sua história está deficientemente registada. Como exemplo de um mosteiro premonstratense, pode-se considerar a Abadia de Easby, em Inglaterra (onde a Ordem se estabeleceu em 1140, em Newhouse, no Lincolnshire).

Salesianos
Pia Sociedade de São Francisco de Sales

Societas Sancti Francisci Salesii
Brasão Pia Sociedade de São Francisco de Sales
DA MIHI ANIMAS CŒTERA TOLLE
Dai-me almas e ficai com o resto
sigla
SDB

A Congregação salesiana (em latim: Societas Sancti Francisci Salesii) é uma Congregação religiosa da Igreja Católica Apostólica Romana fundada em 1859 por São João Bosco e aprovada em 1874 pelo Papa Pio IX. Seu nome oficial é Pia Sociedade de São Francisco de Sales em homenagem a São Francisco de Sales, contudo, são popularmente conhecidos por salesianos de Dom Bosco, (em latim:Salesiani Domini Bosci) o que determina sua sigla: SDB.
Os principais destinatários da missão salesiana são os jovens, especialmente os pobres e em situação de risco. Em vista destes destinatários, os trabalham também nos ambientes populares, com atenção aos leigos evangelizadores, à família, à comunicação social, e entre os povos ainda não evangelizados.
A congregação é composta por irmãos de vida consagrada, que fazem votos simples de castidade, pobreza e obediência. Os salesianos podem optar pelo sacerdócio, de modo que existem padres e irmãos salesianos.
A Congregação Salesiana foi a primeira instituição a constituir a família salesiana. Entre as obras da Congregação salesiana pode-se citar os colégios e serviços beneficentes, espalhados por várias partes do mundo.

Redentoristas
Congregação do Santíssimo Redentor
Congregatio Sanctissimi Redemptoris
Santo Afonso de Ligório (1696-1787), o fundador da congregação.

A Congregação do Santíssimo Redentor (Congregatio Sanctissimi Redemptoris; Missionários Redentoristas; Redentoristas; C.Ss.R.) é uma congregação religiosa católicafundada por Santo Afonso de Ligório, em Scala (Itália) em 1732.
A Congregação do Santíssimo Redentor foi a resposta de Santo Afonso de Ligório ao chamado que ele ouviu de Jesus atavés dos pobres.

Verbitas

Países onde trabalham os Missionários do Verbo Divino.

Missionários do Verbo Divino (Societas Verbi Divini, SVD), Congregação do Verbo Divino, ou ainda Verbitas, é uma congregação religiosa católica fundada em Steyl, às margens do rio Mosa nos Países Baixos, no dia 8 de setembro de 1875, pelo padre alemão Arnaldo Janssen. Não pode fazê-lo na Alemanha em razão da perseguição religiosa determinada por Otto von Bismarck contra os católicos com a sua Kulturkampf.
A congregação conta hoje com 252 missionários no Brasil das mais diferentes nacionalidades, espalhados por quatro província BRC= Brasil Centro em São Paulo, BRN= Brasil Norte em Minas Gerais (esta província cuida do famoso Colégio Arnaldo e também a faculdade) Além das províncias Sul e Região Amazônica.
No ano de 2006 os Verbitas eram a sétima maior congregação missionária masculina do mundo, e continua crescendo mesmo nas crises da Igreja, mantendo o ideal do fundador Sto. Arnaldo Janssen. Em 1961 contavam com 5.345 membros e em 2005 eram 6.102 membros o que equivale a um crescimento aproximado de 14%.

Marianos

A Congregação dos Padres Marianos da Imaculada Conceição é uma congregação religiosa católica fundada pelo Beato Padre Estanislau de Jesus Maria Papczyński em 24 de outubro de 1673 na Polônia.
A "Congregação dos Marianos da Imaculada Conceição", foi renovada pelo Beato Jorge Matulaitis, em 1909. Instalou-se em Portugal em 1754, sob a direção Venerável Servo de Deus Casimiro Wyszyński. Em 1834 foi expulsa e regressou em 1954. Possui duas Casas: uma, no Convento de Balsamão, em Trás-os-Montes, outra, em Fátima. A congregação está presente em 18 países.

Maristas
Monograma de Maria, com a combinação das letras M e A, símbolo das instituição Marista.

No ano de 1817 na França, que na época enfrentava uma crise no sistema educacional, nasceu em La Valla uma pequena sociedade religiosa e de cunho mariano, voltada em levar o ensino fundamental às crianças e jovens do interior. Essa sociedade foi nomeada, por seu fundador Marcelino Champagnat, como Irmãos Maristas das Escolas, em latim: "Fratres Maristæ Scholarum" (F.M.S.), contando com a dedicação de outros irmãos.
A partir daí, os Maristas se expandem por toda a França e outros países, chegando no Brasil em 15 de outubro de 1897, na cidade de Congonhas do Campo em Minas Gerais, e expandindo-se para outras regiões do país.

Mercedários
A Ordem da Bem Aventurada Virgem Maria das Mercês para a Redenção dos Cativos, ou simplesmente Ordem das Mercês foi fundada por São Pedro Nolasco em 1218 no então reino de Aragão com objetivo de libertar os cristãos que estavam sob poder dos mouros.
A própria Virgem Maria, numa aparição, tinha-o incitado a isso. Pedro tinha contado a sua visão a São Raimundo de Penhaforte e ao rei Jaime I desse reino e os três conseguiram pôr em prática esse projecto.
O dia dedicado a Nossa Senhora das Mercês é o dia 24 de setembro.
Os freis que são membros da Ordem são chamados Mercedários.

Saletinos

Congregação dos Missionários de Nossa Senhora da Salette (Congregatio Missionarii Dominæ Nostræ a Salette) ou (Missionarii Salettini) (MS) ou simplesmente ordem dos saletinos: é uma congregação religiosa da Igreja Católica fundada em 1 de maio de1852 por Dom Felisberto Bruillard,bispo de Grenoble, com a missão de transmitir aos homens a mensagem que a Virgem Maria dera a duas crianças, Maximino e Melânia, numa aparição, no dia 19 de setembro de 1846, na montanha da Salete, no arciprestado de Corps, nos Alpes franceses. A Virgem Maria passou a ser venerada em Salette com o título de ‘’Reconciliadora dos Pecadores’’ (Reconciliatrix Pecccatorum).

Missionários Saletinos no Brasil

No dia 26 de setembro de 1860, nascia em Ablandins-La Salette, uma pequena aldeia francesa, um menino que recebeu o nome de Clemente Henrique Moussier, que foi ordenado sacerdote, aos 24 anos de idade, a 31 de maio de 1885. Tinha ele o desejo de ir além, de levar avante, de transmitir a mensagem da Salette e comprometer a vida com uma missão. Padre Moussier, com 42 anos decide partir para o Brasil, chegando em Santos, a 18 de dezembro de 1902 . Aos poucos, o padre foi buscando alimentar seu ideal e tentando encontrar um lugar para dar início à obra saletina no Brasil. Em1904 assumiu uma paróquia em São Paulo e depois, chegando outros missionários, outras Paróquias foram assumidas no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul. A partir destes lugares o trabalho foi se expandindo e o número de missionários aumentando.

Pavonianos
Congregação Religiosa dos Filhos de Maria Imaculada foi fundada em 1847, inspirada no trabalho do Padre Ludovico Pavoni, religioso nascido em Bréscia e beatificado em 14 de abril de 2002.

Ursulinas
Sant'Orsola.jpg As Religiosas Ursulinas da União RomanaOrdem de Santa Úrsula ou Irmãs Ursulinas são uma ordem religiosa da Igreja Católica fundada por Angela Merici, que foi também da Ordem Terceira Franciscana anteriormente. O lema das Ursulinas é INSIEME, que significa "juntas". Esta ordem teve papel relevante na Reforma Católica e se destina à formação e assistência de meninas pobres.. As ursulinas - assim chamadas em homenagem a Santa Úrsula - começaram seu trabalho pela cidade italiana de Bréscia, em 1535. As ursulinas originais compreendiam dois grupos: viúvas experientes e jovens solteiras. As mais velhas ensinavam as mais novas a dar aulas, administrar hospitais e orfanatas, e a cuidar dos pobres. Depois de um bom trabalho no norte da Itália, elas fundaram seu primeiro convento na França, em Avignon. Elas foram provavelmente as primeiras missionárias a alcançar sucesso significativo no Novo Mundo
Trapistas

A Ordem Trapista (oficialmente, Ordem dos Cistercienses Reformados de Estrita Observância, ou em latim: Ordo Cisterciensium Strictioris Observantiæ, OCSO), é uma congregação religiosa católica derivada da Ordem de Cister
O seu nome é devido ao mosteiro cisterciense de Nôtre-Dame de la Trappe (no departamento deSoligny-la-Trape), o primeiro a ser reformado, em 1662, por Armand-Jean Le Bouthillier de Rancé, o fundador da Ordem.
Os Trapistas são monges beneditinos cenobitas, isto é, vivem em comunidade, o que os difere, por exemplo, dos monges cartuxos, que são eremitas ou anacoretas, isto é, religiosos de vida solitária.
"Trapista" é um "apelido" da "Ordem Cisterciense da Estrita Observância" (existe também os monges da Ordem Cisterciense da Comum Observância). Este apelido nasceu justamente do fato de que seu primeiro mosteiro foi a Abadia de La Trappe, conforme mencionado. Não tem nada a ver com "trapos" ou que seriam monjes "esfarrapados", confusão muito comum, um "mito" acerca dos trapistas.
Outro mito a respeito dos trapistas é que eles seriam uma Ordem Religiosa nascida numa suposta crise de papel na Idade Média. O Papa, preocupado, teria organizado um conjunto de religiosos que iriam de "casa em casa recolhendo pedaços de pano para a confecção de papel e livros", sendo que estes monges teriam criado o cargo de monge copista. Os copistas sempre existiram no monaquismo ocidental e nunca foram uma "invenção trapista". Alguns chegam a lançar como prova desta "tese" o romance O Nome da Rosa de Umberto Eco, no qual não figura nenhuma personagem trapista, mas somente beneditinos e franciscanos, e ainda os inquisidores, à época, em sua maioria, dominicanos(inclusive a história narrada no romance se passa muitos anos antes da reforma que deu origem aos trapistas, por De Rancé em 1662).

Somascos
Ordem dos Clérigos Regulares de Somasca
Escudo da Ordem dos Clérigos Regulares de Somasca (Somascos)
(O.C.R.S.)

Ordem dos Cléricos Regulares de Somasca (LatimOrdo Clericorum Regularium a Somascha), (sigla O.C.R.S.), também chamados de Religiosos Somascos ou Somascos, é uma ordem religiosa católica fundada por São Jerónimo Emiliano (Veneza1481 — Somasca,1537) destinada a socorrer as crianças órfãs e pobres.
Mínimos
São Francisco de Paula, fundador da Ordem dos Mínimos

Ordem dos Mínimos desde o começo de sua existência, como qualquer outra sociedade humana, precisou de uma "regra" que pudesse resumir os ideais de seus membros. São Francisco de Paula propôs a seus filhos um código espiritual que refletisse o novo tipo de vida que os convidava a viver. É uma ordem religiosa católica, do tipo mendicante.
Combonianos

Missionários Combonianos é uma comunidade missionária da Igreja Católica Romana fundada por São Daniel Comboni.
No Brasil, os Missionários Combonianos chegaram em 1952. As primeiras missões foram abertas no Maranhão (Balsas) e no Espírito Santo, onde realizaram inúmeras obras: construindo escolas, igrejas, e um grande seminário em Ibiraçu. Depois de 50 anos, os combonianos no Brasil são cerca de 130, atuando em 20 dioceses e organizados em dois grupos: um no Nordeste, com sede em São Luís, e outro no Sul, com sede em São Paulo. Durante trinta anos editaram no Brasil um importante periódico católico: a Revista Sem Fronteiras.


Legionários

A Congregação dos Legionários de Cristo, ou Legião de Cristo (LC), é uma congregação religiosa católica de direito pontifício, fundada em 1941, na Cidade do México, pelo então seminarista Marcial Maciel e um grupo de treze jovens. A congregação declara como missão “a extensão do Reino de Cristo na sociedade conforme as exigências da justiça e caridade cristã, através da formação integral de leigos e sacerdotes, em colaboração com os bispos”.
A congregação mantém estreita ligação com o Movimento Regnum Christi que é um movimento de apostolado formado por leigos, leigas, diáconos e sacerdotes.
Após as denúncias, as investigações e as constatações dos abusos cometidos por seu fundador, a congregação foi submetida a uma intervenção daSanta Sé. Após um período de visitação feita por bispos nomeados pelo papa Bento XVI, a congregação ficou submissa a um delegado pontifício,Dom Velasio De Paolis, que deverá conduzir a reforma da congregação religiosa


Maryknoll

Maryknoll é o nome pelo qual são conhecidas três organizações católicas sediadas nos Estados UnidosCatholic Foreign Mission Society of America (em latim Societas de Maryknoll pro missionibus exteris), Maryknoll Sisters of St. Dominic e Maryknoll Lay Missioners. Dedicam-se ao ministério e à obra missionária no exterior, principalmente na China, no Japão, na Coreia, na América Latina e na África. Nos últimos anos, receberam destaque pela crítica social em favor dos direitos dos imigrantes, povos indígenas, doentes com AIDS e outros grupos sociais desfavorecidos, e contra programas militares dos EUA, especialmente a guerra do Iraque.

Bolandistas

Os Bolandistas (latim: Bollandistæ) são um grupo de jesuítas, que tira seu nome do seu fundador, o padre jesuíta belga Jean Bolland (por vezes aportuguesado para João Bolando) (1596-1665).
Esta sociedade de padres foram constituído com a finalidade científica de recolher e submeter a exame crítico toda a literatura hagiográfica existente, completando o que haviam omitido os antigos compiladores, valorizando as fontes relativas aos santos a que se referem os martirológios, distinguindo os dados historicamente verdadeiros dos falsos e lendários, reconstruindo assim a história e a espiritualidade dos que a Igreja reconhece como santos e beatos. O precursor dos bolandistas foi Heriberto Rosweyde (1564-1629). Sua herança foi recolhida pelo jesuíta João Bollando (Jean Bolland). Este sacerdote modificou seu plano inicial, aperfeiçoando-o com a ajuda de Godfrey Henschen (1601-1681).
Sua obra maior tem por título Acta Sanctorum (Feitos dos Santos), uma coleção que em 1867 já contava com treze volumes, e que foi reeditada várias vezes. A publicação das Acta Sanctorum foi iniciada em 1643, com os volumes dos santos do mês de janeiro, sendo, então, muito apreciada, inclusive por parte dos protestantes. Em 1723, com a supressão da Companhia de Jesus, foram interrompidas as atividades. Depois da supressão, o abade e a comunidade de Cônegos Premonstratenses da Abadia de Tongerloo, na província de Antuérpia, na Bélgica, empreenderam todos os esforços para continuar a publicação dos Acta Sanctorum e Analecta Belgica, sendo que quatro de seus cônegos colaboraram com os antigos bolandistas nesta gigantesca publicação. A sociedade dos padres bolandistas foi reconstituída entre 1836 e 1838, e em 1845 foi editado o primeiro volume do novo grupo. Em 1882 teve início a publicação dos Analecta Bollandiana ou Analecta Belgica. Em 1891 surgiu o Boletim de Publicações Hagiográficas. E desde 1896 têm eles publicado uma série intitulada Subsidia Hagiographica. O grupo dos Bolandistas sofreu perseguições, principalmente quando da supressão dos jesuítas, mas sobreviveu a todas elas. Por suas mãos têm passado todos os martirológios. Esses padres jesuítas, grandes historiadores, que subvencionados pelo reino da Bélgica, há três séculos vêm pesquisando a hagiografia de modo irrefutável. Atualmente existem núcleos na Bélgica e em Roma, junto à Congregação para a Causa dos Santos.


Camaldulenses
Priorado de Bielany, em Cracóvia


A Congregação Camuldalense da Ordem de São Bento (latim: Ordo Sancti Benedicti Camaldulensis) (OSB Cam), ou Ordem religiosa dos Camaldulenses, é uma ordem religiosapertencente à família dos Beneditinos, fundada por São Bento de Núrsia no século VI. O ramo Camaldulense estabeleceu-se graças aos esforços do monge italiano São Romualdo, no início do segundo milénio, no Sagrado Ermitério de Camaldoli, no cimo das montanhas centrais de Itália, perto de Arezzo. A sua reforma pretendia renovar e reintegrar a dimensão solitária da vida monástica sendo, por isso, uma Ordem essencialmente contemplativa. De origem italiana, espalha-se, actualmente, por todo o país. O mosteiro mais antigo da Ordem, ainda em funções, fica no centro de Roma e foi fundado por Gregório Magno no século VI.
A Ordem está, actualmente, dividida em duas congregações autónomas. Uma tem sede nas montanhas de Camaldoli, englobando diversos mosteiros e ermitérios. A outra, a Congregação de Monte Corona, foi fundada pelo reformador renascentista São Paulo Gustiniani, e compõe-se de grupos muito reduzidos de monges ou mesmo de monges que vivem isolados em ermitérios.
Existem monges Camaldulenses nos Estados Unidos da América (a partir de 1958), Brasil, Índia, França, Polónia, Espanha (Miranda de Ebro - Burgos),Colômbia (Monte Corona) e na Tanzânia.


Camilianos
Pintura alusiva aos Camilianos, de autor desconhecido.

Camilianos, ou Padres Camilos, é o nome usual da Ordem dos Ministros dos Enfermos (MI), fundada em 1590 pelo religioso italiano São Camilo de Lellis e voltada à assistência espiritual e corporal dos doentes.
Cartuxos

Ordem dos Cartuxos
Brasão da Ordem de São Bruno (ou Ordem da Cartuxa)
(O.Cart.)


A Ordem dos Cartuxos (Latim: Ordo Cartusiensis), (sigla O.Cart.) é uma ordem religiosa católica semi-eremítica de clausura monástica e de orientação puramente contemplativa surgida no século XI. Fundada a 15 de Agosto de 1084, solenidade da Assunção de Nossa Senhora ao Céu, por São Bruno com seis companheiros (quatro clérigos e dois leigos), tem por origem de seu nome a montanha situada ao norte de Grenoble Chartreuse, na comuna francesa de Saint-Pierre-de-Chartreuse, em Isère, onde os primeiros religiosos se instalaram perto do actual mosteiro da "Grand Chartreuse" ("a Grande Cartuxa").
Esta ordem religiosa é conhecida como aquela que professa maior austeridade no modo de vida dos seus membros e ao longo de toda a sua existência manteve sempre o espírito de pobreza. Aos mosteiros da Ordem de São Bruno é-lhes dado o nome de "Cartuxas" e neles os monges e a monjas buscam uma maior intimidade com Deus por meio da oração e da contemplação. A regra da Ordem de São Bruno (ou dos Cartuxos) tomou por nome "Estatutos" e difere assim daRegra de São Bento praticada por outras ordens monásticas.
Em 1950, no seguimento da proclamação do dogma mariano da Assunção da Santíssima Virgem Maria, foi fundada uma nova congregação religiosa inspirada na espiritualidade da Ordem dos Cartuxos: a Família Monástica de Belém, da Assunção da Virgem e de São Bruno.


Clunys

Ordem de Cluny é uma ordem religiosa monástica católica. É considerada como a sucessora da Ordem de São Bento no chamado movimento monacal.
A partir do século X e até ao século XII, o mosteiro de Cluny celebrizou-se pela influência moralizadora de seus membros no seio da Igreja Católica, movimento que ficou conhecido como reforma de Cluny. Juntamente com os movimentos reformistas liderados por são São Bento de Aniane, pela Ordem dos Cartuxos e pelos monges da Ordem de Cister, conseguiram conter parte do relaxamento de costumes que havia invadido a vida monástica e eclesiástica, na Europa, à época, reflexo da intromissão da política e suas manipulações no seio da fé.
Lateranenses

Os Cônegos Regulares de Santo Agostinho da Congregação do Santíssimo Salvador Lateranense, antes chamados de Cônegos Regulares de Santa Maria de Frigionáia, nasceram a partir de uma fusão com outra ramificação conêga chamada "Renana", a pedido do Abade Vicente Garófaliem 1.823. Mas o seu início se deu nos primórdios da Igreja Católica, em decêndencia direta da vida simples e comum dos apóstolos. Portanto, os Cônegos Regulares eram apenas padres comuns, muito ligados a comunidade local juntos com sacerdotes que serviam a diocese (os Diocesanos). Após o Sínodo de Latrão, houve a divisão entre os Religiosos (Cônegos) e os Padres (Diocesanos) em meados do Século X. Ao se organizar as diferentes linhagens Canônicas, algumas Ordens acataram, ou em outras palavras, solicitaram para Santo Agostinho, grande Filósofo da época, a criação de uma regra. Passaram assim a ser Regrantes, ou Regulares.

Feuillants

Os Feuillants, Folietani, são os membros de uma ordem monástica beneditina da regra de Cister, oriunda da Ordem Cisterciense.
A ordem tomou o nome da abadia cisterciense de Notre-Dame de Feuillant, na antiga diocese de Rieux, próxima a Toulouse (Haute-Garonne). Fundada por volta de 1145, tornada comendatória em 1493 e entregue ao governo de seculares alheios à vida monástica, esta abadia passa em 1562 para as mãos de Jean de la Barrière (1544-1600). Convertido, este decide aí viver como monge (1573) e, tornando-se efetivamente abade (1577), empreende a restauração de seu antigo objetivo. Outras casas adotam sua reforma : eles tinham que ter a cabeça e os pés nus, dormir sobre pranchas, comer de joelhos e impor-se privações sobre-humanas. Com o tempo, a austeridade foi atenuada.
Porém, a oposição a ela é tão grande dentro da Ordem Cisterciense, que é-lhe necessária uma autonomia total. A palavra "Feuillant" dá então nome aos religiosos da ordem criada a partir dessa abadia.
A pedido do Rei Henrique III de França, uma comunidade estabelece-se em Paris, na Rua Saint-Honoré, que se destacará pela parte ativa que estes religiosos adotarão nas guerras civís ao tempo da Liga : Bernard de Montgaillard, dito o Pequeno Feuillant, se fará notar principalmente pela veemência de seus sermões. Terminada a luta, Henrique IV os trata com benevolência.
Em 1630, o papa Urbano VIII separa os "´´Feuillants da Itália", sob o nome de Reformados de São Bernardo, dos "Feuillants da França".
O monastério dos "Feuillants de Paris" conhece então uma fase de grande desenvolvimento. O portal principal foi construído por François Mansart. A igreja, bastante vasta, enche-se de sepulturas ilustres. Esta casa de Paris, fundada em 1587, ocupa o local atual da Rua Castiglione e parte da Rua de Rivoli, que margeia o Palácio das Tulherias.
Os "Feuillants" vestem um hábito branco com capucho também branco.
Em 1789, início da Revolução Francesa, os "Feuillants" contam apenas com cento e sessenta e dois religiosos, distribuídos entre vinte e quatro casas. A ordem foi dissolvida em 1791.
Durante a Revolução Francesa, a Assembléia Constituinte instala seus escritórios no Convento dos Feuillants de Paris e o Clube dos Feuillants, clube político que agrupa moderados e monarquistas constitucionais, também fará dele seu local de reunião.
O monastério abrigará o Rei Luís XVI e os seus de 10 a 12 de Agosto de 1792.


Oblatos
Santo Ambrósio bispo de Milão

Oblatos de Santos Ambrósio e Carlos ou Oblati dei Santi Ambrogio e Carlo (em latim Congregatio Oblatorum Sanctorum Ambrosii et Caroli) são uma associação de sacerdotes seculares e leigos da Arquidiocese de Milão fundada por São Carlos Borromeo. Os membros da associação usam a sigla O.Ss.C.A.
A congregação foi fundada em Milão pelo arcebispo Carlos Borromeo em 1578, mas a instituição já havia começado a se projetar em 1570. Era formada por sacerdotes diocesanos especiais vinculados por dois votos, o de obediência ao bispo e permanência no instituto: constituía-se num corpo de voluntários que estava sempre disponível para o bispo, bem formados e dispostos a assumir difíceis missões e encargos, mesmo em caso de emergência. Eles foram empregados para a direção dos seminários e, mais importante, para a pregação de missões ao povo.
O seu nome deriva de oblação, que é um especial oferecimento que se faz a alguém, no caso ao bispo de Milão. Originariamente eram denominados simplesmente de Oblatos de Santo Ambrósio mas em 1611 o cardeal Federigo Borromeo acrescentou a este título a referência ao fundador. A sua sede original era próxima à Igreja do Santo Sepulcro de Milão; em 1928 a casa matriz foi transferida para a atual sede na "via Settala".
Carlos Borromeo havia se inspirado na Confederação do Oratório de São Filipe Néri fundada em Roma por Filipe Néri: a Constituição religiosa dos Oblatos de Santo Ambrósio foi elaborado por Agostino Valier e pelo barnabita Carlo Bascapè, depois bispo da Diocese de Novara. Após umaexperimentação prática de dois anos e o exame por uma comissão para qual foram chamados a fazer parte Filipe Néri e Felice de Cantalice, a regra foi promulgada em 13 de setembro de 1581. Os oblatos não eram vinculados ao voto de pobreza e nem levam vida em comum, por isto não podem ser considerados "religiosos" no sentido estrito do termo no direito canônico da Igreja Católica.
Foram suprimidos por Napoleão Bonaparte em 1810; na época da restaução o cardeal Carlos Gaetano Gaisruck opos-se ao seu ressurgimento. Foram restaurados pelo Arcebispo Romilli em 1854. A sua espiritualidade, que não está ligada a nenhuma escola particular, mas se apresenta com fortes elementos inacianos.


Congregação dos Oblatos de Maria Virgem, também chamada de Congregatio Oblatorum Beatae Mariae Virginis, ou simplesmente OMV é um Instituto religioso clerical de direito pontifício, composto por clérigos e irmãos coadjutores.
Esta ordem religiosa foi fundada em 01 de setembro de 1826 pelo Pe Pio Bruno Lantéri.
Inicialmente, em 1816, na cidade de Carignano, um primeiro grupo se articulava numa “Pia União Eclesiástica”, que recebe o nome de Oblatos de Maria Santíssima, e começa uma intensa atividade apostólica. Contudo, inicia-se uma grande repressão a este grupo, pois seus sacerdotes se negavam a pregar seguindo o modelo rigorista-jansenista presente nos sermões daquela época – modelo que mais afastava do que acolhia os fiéis; os Oblatos preferem muito mais o modelo pastoral proposto por Santo Afonso M. de Ligório, modelo baseado na misericórdia e no anúncio do amor incondicional de Deus pelos seus filhos. Com medo de uma divisão no clero – ainda assustado pela Revolução – o bispo da diocese decide, em 1820, suprimir a nascente congregação, caso estes não se redimissem. Os sacerdotes da então “Pia União Eclesiástica” decidem que seria preferível interromper temporariamente as atividades a mudar o “teor” da pregação e das atividades.
Sabendo da dificuldade de aprovação na diocese de Carignano, e entusiasta do apostolado dos “seguidores do Pe Lantéri”, o bispo de Pinerolo, Mons. Giuseppe Rey, convida estes sacerdotes, em 1825, a trabalharem na sua diocese e lhes dá a aprovação diocesana.
Nasce, então, oficialmente a Congregação dos Oblatos de Maria Virgem, cuja aprovação pontifícia virá logo em seguida pelo Papa Leão XII, a 1 de setembro de 1826.
Desde então os Oblatos saíram pela Itália e pelo mundo com um intenso trabalho missionário, animando obras de misericórdia, promovendo a dignidade dos mais pobres e abandonados, ajudando na formação do clero, pregando missões populares e retiros individuais (ao modelo dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio), animando centros de formação do laicato na defesa da fé e dos valores cristãos, além da abertura às necessidades da Igreja, como as Missões Ad Gentes na Birmânia nos primeiros anos.
A Congregação chegou ao Brasil em 1947, na cidade de Jundiaí, no estado de São Paulo, com o Pe. Ângelo Cremonti (Paróquia São João Batista). Em 1953 chegavam os primeiros padres Oblatos na cidade de Curitiba, onde atualmente estão à frente da Paróquia São Paulo Apóstolo. Alguns anos depois assumiram a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, na capital paulista. Em 1973, partem a caminho da Amazônia, onde, fiéis ao espírito do Pe. Lantéri, trabalham em um imenso território missionário, com centenas de comunidades espalhadas pelo interior, à beira dos rios e estradas, da região Amazônica.

Crúzios
Cônegos Regulares da Ordem da Santa Cruz
Canonici Regulares Ordinis Sanctae Crucis(Latim)
Brasão da ordem: cruz vermelha (Paixão de Cristo, o sangue) e branco (a pureza de Cristo, água), mitra e coroa de espinhos


 Ordem religiosa dos Cônegos Regulares da Ordem da Santa Cruz (em Latim Canonici Regulares Ordinis Sanctae Crucis, O.S.C.) comumente chamados de Crúzios foi fundada no ano de 1210 pelo BeatoTeodoro de Celles. Segundo as tradições, Teodoro participou de uma das cruzadas para a retomada deJerusalém. O que o fez tomar mais contato com as tradições da Cruz de Cristo. Teodoro, que era cônego na Catedral de Liége, retira-se com mais outros amigos e inicia uma experiência de vida mais radical, baseada nos valores evangélicos, na vida fraterna e na vida de oração em comum.
A sigla da Ordem é O.S.C. (iniciais em latim de Ordinis S. Crucis), O nome Crúzios deriva do francês Croises. Na Inglaterra medieval, Crúzios eram conhecidos como frades Crutched (cruzados) e a designação refere-se à cruz da Ordem. A festa principal dos Crúzios é a Exaltação da Santa Cruz. Uma marca visível dos Crúzios é a cruz vermelho e branco, usada no hábito religioso.
A história da Ordem é dividida em três períodos. No primeiro período, na idade média, a Ordem teve um grande crescimento. Teodoro e quatro amigos de Liège na Bélgica, formaram uma comunidade perto da cidade de Huy. Eles não tinham a ideia de estabelecer uma ordem religiosa. Sua missão era uma vida de oração litúrgica e pastoral, seguindo a tradição canônica e não uma vida de monges. Foi adotada a Regra de Santo Agostinho. Em pouco tempo, outras comunidades foram criadas por toda a Europa. Os Crúzios trabalhavam na acolhida e hospedagem de peregrinos. Conventos foram fundados na França (Paris eToulouse), na região da atual Alemanha (Colônia), e na Inglaterra (Londres), assim como os Países Baixos.
O segundo período da história da Ordem foi antecedido por uma reformulação iniciada no Capítulo Geral de1410, com influências de um movimento chamado a devotio moderna, que foi liderada pelo convento de Santa Ágata, na Holanda. Enquanto a casa em Huy continuou como casa-mãe da ordem, Santa Ágata se tornou o centro espiritual. O núcleo dos Crúzios, na Alemanha e nos Países Baixos foi profundamente afetado pela Reforma Protestante. Por ordem de Henrique VIII, todas as casas na Inglaterra, foram fechadas. E no final do século dezoito, com a Revolução Francesa e as reformas napoleônicas o número de crúzios se reduziu ainda mais.
No início de 1800, apenas dois conventos permaneceram, Santa Ágata e outro em Uden, os dois na Holanda. Em 1840, a Ordem possuía apenas quatro membros que eram idosos, pois as autoridades os tinham proibido de aceitar novos membros.
Em 1840, quando a lei que proibia a aceitação de novos membros foi revogada, um número muito grande de membros ingressaram na Ordem, alguns eram sacerdotes diocesanos que se sentiam vocação à vida religiosa. Então começaram a se restabelecer casas na Bélgica e na Holanda e até mesmo em terras missionárias. Depois de setecentos anos de história, a Ordem enviou missionários além da Europa. Comunidades foram criadas nos Estados Unidos, Indonésia, Congo, e em 1934 no Brasil.
No final de 2005, a ordem possuía 443 religiosos (288 sacerdotes), residentes em 61 casas.


Loios

Cónego da Ordem dos Lóios.

Congregação dos Cónegos Seculares de São João Evangelista ou Congregação dos Lóios (também conhecidos como bons homens de Vilar e Cónegos azuis, devido à cor do hábito) foi uma Congregação portuguesa de Cónegos Regrantes fundada em cerca de 1420 pela mão do Mestre João Vicente, futuro bispo de Lamego e Viseu, e por Martim Lourenço e D. Afonso Nogueira tendo tido particular prestígio em território português. A casa-mãe da ordem estabeleceu-se em Areias de Vilar (Vilar de Frades), Barcelos, depois de os intentos da ordem não terem recebido apoio em Lisboa e Porto, mas apenas em Braga, onde os frades receberam particular protecção (e rivalidade) da Sé de Braga, quando D. Fernando da Guerra era Arcebispo. A congregação teve aprovação pontifícia em 1427, pela mão do Papa Eugénio IV que os baptizou de Cónegos de São Salvador de Vilar de Frades. Foi a pedido da rainha D. Isabel que mudaram de nome para Cónegos Seculares de São João Evangelista. No final do mesmo século já tinham fundado seis conventos nas dioceses de BragaLamegoLisboaPorto e Évora e mereciam especial atenção e protecção do poder régio. Seguindo os cânones dos Cónegos de São Jorge de Alga, em Veneza, actuaram principalmente a nível assistencial e missionário, numa perspectiva reformista, antes do Concílio de Trento. O sucesso da congregação em Portugal, no sentido de atingir os objectivos a que se propunha, levou o Papa Pio V a requisitar alguns frades Lóios para que procedessem à disciplinação dos cónegos de São Jorge de Alga. A Congregação foi extinta em 1834. A Congregação, contudo, tem sido alvo de poucos estudos aprofundados pela historiografia portuguesa, apesar do acervo documental que o justificaria. Só na Torre do Tombo existem documentos provenientes dos Conventos de São Salvador de Vilar de Frades, de Santo Elói de Lisboa, de São Bento de Xabregas, do Espírito Santo da Feira e do Colégio de São João Evangelista de Coimbra, compreendendo 92 livros e 79 maços de documentação vária

Carlistas(Escalabrinianos)

Congregação dos Missionários de São Carlos, Carlistas ou ainda conhecidos como Scalabrinianos, foi fundada pelo Beato João Batista Scalabrini. São uma família religiosa católica, constituída por duas congregações e um instituto secular, fundada por Dom João Batista Scalabrini em Piacenza. Os Scalabrinianos têm como lema Eu era estrangeiro e vocês me acolheram (Mt 25,35) e adoptaram como patrono São Carlos Borromeu.
Após elaboradas as regras, teve aprovação do Papa Leão XIII, aos 28 de novembro de 1887. A finalidade da Ordem é a formação religiosa, moral, social e legal dos imigrantes. Por ser um piedoso homem extremamente preocupado com a difusão do Evangelho, foi definido pelo Papa Pio IX como oApóstolo do Catecismo.
Para esta finalidade, fundou também, em 1895, um segmento feminino, a Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos, que proporcionou à formação moral e religiosa, grandes frutos, dentro da pregação e ensino catequético aos imigrantes. Diversas outras congregações escalabrianas expandiram-se rapidamente pelo mundo.
A Congregação Missionárias Seculares Escalabrianas, foi fundada no ano de 1961, dentro do espírito missionário e catequizador do Beato João Batista Scalabrini.

Eremitas
Santo Antão do Deserto

Eremitismo é desenvolvido no Cristianismo, exclusivamente pelos católicos. Um  eremita ou eremitão é um indivíduo que usualmente por penitência, religiosidade, misantropia(aversão a natureza humana) ou simples amor à natureza, vive em lugar deserto, isolado. O local de sua morada é designado eremitério. Na história do Catolicismo há um capítulo importante sobre os eremitas e o desenvolvimento do Monasticismo, com destaque em "santo" Antão do Deserto. O eremitismo apresenta dois momentos fortes de expansão no período medieval: o primeiro nos séculos III e IV e o segundo nos séculos XII e XIII. O primeiro período, entre os séculos III e IV, assiste o surgimento da espiritualidade dos Padres do Deserto, que buscavam através de um estilo de vida austero e contemplativo a união com Deus no deserto do Egito. Eles atraíam muitos seguidores para seus retiros, direção espiritual e conselhos. Estão na raiz do monasticismo oriental. Santo Antão do Deserto tornou-se um modelo destes Padres.
Cenobitas
Ícone copta (egípcio-cristão) de São Pacômio, fundador do monasticismo cenobita cristão.

Um cenobita é um monge que leva uma vida retirada, mas em comum com outros que têm os mesmos interesses, princípios e/ou prerrogativas. É uma das formas que assume o monasticismo no Ocidente, normalmente pertencem a uma Ordem religiosa e vivem de acordo com uma Regra, ou seja, uma coleção de preceitos, tais como a Regra de São Bento. Difere do monasticismo eremítico justamente por sua vida em comunidade, o eremita afasta-se do contato com o mundo para assim melhor buscar a Deus.
A palavra deriva do grego κοινός e βίος (koinos e bios, significando algo como comum e vida) e chegou até nós pela sua forma latina. O adjetivo é κοινοβιακόν na sua forma grega. Um grupo de cenobitas forma o que se conhece por cenóbio.
O monasticismo cenobítico existe em diversas religiões, do Budismo ao Cristianismo tem sido a forma mais proeminente de vida monástica no mundo.
Cônegos


Modelo do brasão de armas de um Cónego Católico

Cónego ou cônego  (do latim canonĭcus pelo grego antigo κανονικός, de κανών, "regra") é o presbítero que vive sob uma regra que o obriga a realizar as funções litúrgicas mais solenes na igreja catedral ou colegiada. O conjunto dos cônegos forma o Cabido (do latim Capitulus) ou seja o colégio reunido sob uma mesma cabeça, um chefe ou superior. O Cabido, seja catedralício ou colegial, é obrigado a ter seus estatutos próprios estabelecidos por legítimo acto capitular e aprovados pelo bispo diocesano (can. 504).

Diocesanos

Um Diocesano cuida de uma Diocese, em algumas formas de cristianismo, uma Diocese (do grego antigo διοίκησις, dióikessis, pelo latim: dioecēsis) é uma unidade territorial administrada por um bispo. É também referida como um bispado,Área Episcopal ou Sede episcopal (como na Igreja Metodista). A diocese é a unidade geográfica mais importante da organização territorial da Igreja. Na Igreja Católica e Comunhão Anglicana, uma importante diocese é chamado de uma arquidiocese (geralmente devido à sua dimensão ou importância histórica), que é governada por um arcebispo, que podem ter autoridade metropolitana sobre outras dioceses. No catolicismo, o Papa cria as dioceses em todo o mundo e escolhe os seus bispos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário