sábado, 7 de março de 2015

A Teoria dos Reptilianos


 
Talvez essa não seja a mais convincente versão da Origem dos Illuminatis porém com certeza é a mais criativa. A História dos Reptilianos e dos Iluminattis se cruzam, contudo, para você entender como, teremos que começar a história desde o inicio. E quando eu falo em inicio, é inicio mesmo, numa época antes da existência humana. Reptilianos são uma raça milenar de repteis humanoides, originários de uma constelação distante (o qual não é bem definido, porém três hipóteses são mencionadas: Lira, Sirius e Orion). Essa raça é muito evoluída, teriam milhões de anos e tal como os cientistas preveem para nós, humanos, para alcançar esse patamar de existência, seus corpos teriam que se adaptar de uma forma quase que surreal. Seus cérebros seriam enormes comparados ao nosso e eles utilizariam todo o seu potencial, não apenas para corresponder as funções do seu organismo mas também para controlar o estado vibracional de suas moléculas. Como eles alcançaram esse nível é fruto de sua história e desconhecida por nós. Todavia, esse não é o nosso foco aqui. Focaremos na nossa relação “amigável” com esses seres e como ela haveria começado.
Reptilianos Antigos
Milhares de anos atrás, as constelações reptilianas estavam em declínio. O ecossistema do seu planeta natal estava entrando num ciclo de cataclismas, tornando a vida impossível. Ao ver esse quadro totalmente desfavorável, o governo reptiliano planejou uma missão tripulada, para renovação da raça, em um planeta distante, capaz de atender suas necessidades de sobrevivência. Esse planeta seria o nosso planeta. Quando a nave chegou a Terra, ela não seria assim, como nós conhecemos. Contudo os reptilianos haveriam de utilizar sua tecnologia para “recriar” a Terra. Aqui eles se estabeleceram. Mas o nosso planeta não podia oferecer tudo que eles precisavam e muitas de suas tecnologias avançadas acabaram caindo por terra com o tempo. Para manter algumas tecnologias, eram necessários compostos, alguns minérios como o ouro e uranio. Sem maquinário adequado, o jeito foi apelar para a velha forma: trabalho escravo. Os reptilianos eram mestres na genética e escolheram uma raça de macacos que andavam sob as duas patas e tinham uma estrutura corpórea semelhante a deles e DNA compatível. Assim, começaram os experimentos genéticos para criar uma raça para exercer o trabalho nas jazidas de minérios. Os geneticistas utilizaram o DNA reptiliano misturado com a raça dos símios para alcançar a nova raça, a raça humana. E por isso, esses seriam “a imagem e semelhança de seu criador”.
Reptilianos
No inicio, os humanos eram inofensivos, híbridos, inocentes. Essa realidade tímida dos humanos durou até que as necessidades reptilianas aumentaram e uma força de trabalho maior precisou ser estabelecida. A raça humana foi adaptada novamente, dessa vez, não seria mais hibrida, nem inocente, porém o dom da inteligência ainda estaria limitado. E a população humana cresceu. Ficou enorme. E quando os reptilianos perceberam, não podiam mais controlar suas criações. Aconteceu então o primeiro extermínio humano. A população humana foi reduzida a quase zero. Entretanto, não era muito do feitio dos reptilianos fazerem o trabalho pesado das minas. E não demorou muito para eles apelarem para os humanos novamente. Dessa vez, os humanos teriam o dom maior, a inteligência.
Reptilianos Adão e Eva
Foi ofertado a nossa raça, a fonte da inteligência, da arvore da vida – nome simbólico que seria referencia a nossa cadeia genética, que foi novamente alterada. Esse seria o nascimento do dito “Adão”. Os reptilianos continuaram a exercer poder sob os humanos, até que a população teria alcançado o nível critico novamente. O segundo extermínio humano foi cogitado. Só tinha um probleminha! Nesse ponto, os humanos já tinham diversos aliados. Os reptilianos não concordavam entre si sobre o extermínio, de forma semelhante a nós hoje com as demais raças de animais do planeta. Alguns até se relacionavam com os humanos, dando origem a uma terceira raça, que é citada em alguns escritos antigos como nefelins. Além desse grupo favorável aos humanos, outras raças extraterrestres habitavam o planeta. Na região aonde é a atual Índia, uma outra raça extraterrestre havia se estabelecido, sem falar nas demais raças, como a de Andromeda que tinham um afeto especial pelos humanos. Desobedecendo qualquer o consenso, o repitilianos desencadearam o segundo extermínio, o diluvio.
O extermínio não foi completo porque os grupos favoráveis a nossa raça haveriam ajudado alguns humanos a sobreviver. Esse ato acabou gerando um conflito entre as raças que habitavam o planeta e boa parte dos reptilianos decidiram retornar ao seu planeta natal, do mesmo modo que as outras raças alienígenas que habitavam a Terra. O grupo remanescente de reptilianos que permaneceram aqui achavam que os humanos lhe deviam obediência tais como animais de estimação, todavia eram minoria e contornar essa situação requeria muito mais do que mero uso tecnológico. Um plano foi elaborado para que os humanos nunca mais se rebelassem contra seus “donos”. Para isso, era importante que houve um grupo entre nós que colocasse parte dos planos em prática. Uma sociedade composta por humanos, reptilianos e híbridos, que seriam a elite que comandaria o homem. Teve a formação da raiz dos Illuminatis.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário