terça-feira, 24 de novembro de 2015

A fisica quântica em busca da particula divina.


A Física Quântica em Busca da Partícula Divina A Física continua a dar ao Espiritismo, ainda que os físicos de tal não se apercebam, ou melhor, não queiram.
Publicou Manuela Placido, Alterado 7 Há anos
Apresentação em tema: "A Física Quântica em Busca da Partícula Divina A Física continua a dar ao Espiritismo, ainda que os físicos de tal não se apercebam, ou melhor, não queiram." — Transcrição da apresentação:

A Física Quântica em Busca da Partícula Divina A Física continua a dar ao Espiritismo, ainda que os físicos de tal não se apercebam, ou melhor, não queiram por enquanto se aperceber, uma contribuição gigantesca na confirmação dos postulados espíritas, que de maneira nenhuma nós, os espíritas, poderemos subestimar. Existe uma ciência espírita, com uma metodologia de ciência, assentada nas questões espirituais, mais do que possamos imaginar, e a prova disso é O Livro dos Espíritos - uma obra atual - um manancial para a Física Moderna. Trazendo-nos um novo conceito básico sobre a visão macro e microcósmica de Deus (ao defini-Lo como "a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas") do Espírito e da Matéria propriamente dita. A física quântica pode constituir uma ponte entre a ciência e o mundo espiritual, pois segundo ela, pode-se "reduzir" a matéria, de forma subjetiva e no domínio do abstrato, até à consciência - causa da "intelectualidade" da matéria. A consciência transforma as possibilidades da matéria em realidade, transformando as possibilidades quânticas em fatos reais. Essa consciência deve apresentar uma unidade e transcender o tempo, espaço e matéria. Não é algo material, na realidade, é à base de todos os seres
23. Que é o Espírito? R."O princípio inteligente do Universo". a) - Qual a natureza íntima do Espírito? R. "Não é fácil analisar o Espírito com a vossa linguagem. Para vós, ele nada é por não ser palpável. Para nós, entretanto, é alguma coisa.. Tanto é assim, que os físicos teóricos postulam a existência de uma "partícula", que seria a partícula "fundamental", que ainda não foi encontrada, mas a qual o Prêmio Nobel da física, Leon Lederman, denomina a "partícula divina". Partícula essa decisiva, pois é ela que determina a massa das restantes, bem como a coesão dada pela gravidade dos 90% do universo ainda desconhecido.
25. O Espírito independe da matéria, ou é apenas uma propriedade desta, como as cores o são da luz e o som o é do ar? R. "São distintos uma do outro; mas, a união do Espírito e da matéria é necessária para intelectualizar a matéria.. 26. Poder-se-á conceber o Espírito sem a matéria e a matéria sem o Espírito? R. "Pode-se, é fora de dúvida, pelo pensamento.. Cabe lembrar que os físicos, a partir das pesquisas do norte- americano Murray Gel Mann nos aceleradores de partícula, já admitem a existência de um domínio externo ao mundo cósmico dito material onde provavelmente existam agentes ativos também chamados frameworkers, capazes de atuar sobre a energia do Universo, modulando-a e dando-lhe formas de partícula atômica, ou seja, por outras palavras - o Espírito, chamado também "Agente Estruturador por vários físicos teóricos.
76. Que definição se pode dar dos Espíritos? R. "Pode dizer-se que os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Povoam o Universo, fora do mundo material.. A Teoria das Supercordas e Dimensão PSi Outra teoria quântica, que vem de encontro à existência de uma "partícula divina consciêncial" no final da escala das partículas subatômicas, é a teoria das supercordas. Essa teoria foi melhorada e é defendida por um dos físicos teóricos mais respeitados da atualidade Edward Witten, professor do Institute for Advanced Study em Princeton, EUA. De maneira bastante simples e resumida, a teoria das supercordas postula que os quarks, mais ínfima partícula subatômica conhecida até o momento, estariam ligados entre si por "supercordas" que, de acordo com sua vibração, dariam a "tonalidade" específica ao núcleo atômico a que pertencem, dando assim as qualidades físico-químicas da partícula em questão.
30. A matéria é formada de um só ou de muitos elementos? R. "De um só elemento primitivo. Os corpos que considerais simples não são verdadeiros elementos, são transformações da matéria primitiva.. Ou seja, é a vibração dessas infinitesimais "cordinhas" que seria responsável pelas características do átomo a que pertencem. Conforme vibrem essas "cordinhas" dariam origem a um átomo de hidrogênio, hélio e assim por diante, que por sua vez, agregados em moléculas, dão origem a compostos específicos e cada vez mais complexos, levando-nos a pelo menos 11 dimensões. 79. Pois que há dois elementos gerais no Universo: o elemento inteligente e o elemento material poder-se-á dizer que os Espíritos são formados do elemento inteligente, como os corpos inertes o são do elemento material? R. "Evidentemente. Os Espíritos são a individualização do princípio inteligente, como os corpos são a individualização do princípio material...
64. Vimos que o Espírito e a matéria são dois elementos constitutivos do Universo. O princípio vital será um terceiro? R. "É, sem dúvida, um dos elementos necessários à constituição do Universo, mas que também tem sua origem na matéria universal modificada. É, para vós, um elemento, como o oxigênio e o hidrogênio, que, entretanto, não são elementos primitivos, pois que tudo isso deriva de um só princípio. 615. É eterna a lei de Deus? R. "Eterna e imutável como o próprio Deus.. 621. Onde está escrita a lei de Deus? R. "Na consciência." Seguindo esta teoria e embarcando na idéia lançada por André Luiz no Evolução em Dois Mundos, onde somos co-criadores dessa consciência universal, e cada vez mais responsáveis por gerir o estado vibracional das nossas próprias "cordinhas" - a chamada dimensão Psi por vários investigadores espíritas -, à medida que delas nos conscientizemos, chegaremos a harmonia perfeita quando realmente entrarmos em sintonia com a consciência geradora que está em nós, e também no todo, vulgarmente conhecida por Deus, ou como alguns físicos teóricos sustentam "O Supremo Agente Estruturador".
A mecânica quântica é a parte da física que tem revelado ao mundo científico as antigas verdades espirituais. É dentro do domínio da física quântica, estudando as partículas subatômicas, que a realidade não-material se revela aos olhos dos cientistas. Para alguns, inclusive, as fronteiras estão cada vez menos nítidas. Amit Goswami é um desses. Professor de física na Universidade do Oregon e doutor em residência no Instituto de Ciências Abstratas em Sausalito, CA, Goswami é um indiano radicado nos Estados Unidos que sustenta ser a consciência a criadora da realidade física. Ou seja, algo só existe no plano material porque foi criado, primeiramente, em outros planos. "Os corpos são criados a cada momento pelas escolhas que são feitas", afirma ele. "Literalmente, seu dedão do pé não está lá até que você pense nele".
Pode parecer meio radical para os materialistas. Mas Goswami está absolutamente convencido. A ponto de afirmar que a cura das doenças, de qualquer doença, é possível no plano da consciência. É o que ele chama de cura quântica. Através desse mecanismo, um câncer pode ser curado pelo pensamento. "Um câncer escondido no corpo não é ainda um fato concreto, material. Sendo assim, podemos curá-lo". A idéia tem estreita relação com o princípio, por exemplo, da homeopatia ou dos florais de Bach. Para essas disciplinas, a doença aparece muito antes de se manifestar no corpo físico. A doença, como a entendemos, começaria no plano emocional, psicológico, nos corpos mais sutis do homem. Sendo assim, nada nos impediria de curá-la antes mesmo que se manifeste fisicamente. É como se existisse um corpo, que Goswami chama de vital, que formaria o mapa do corpo físico. "Os chakras são os lugares onde as formas se criam. A física quântica está dizendo que podemos confiar na medicina dos chakras. É aí que a medicina oriental e a ocidental se encontram".
Goswami defende que a mente pode alterar a matéria, porque partem de uma mesma essência. A consciência do observador é a mesma do objeto observado - e ambas são a mesma consciência que é a origem de tudo. Lembram do filme The Matrix, quando o menino budista entortava a colher? "Não existe colher", ele diz. O que precisa ser entortado é a mente. É mais ou menos isso que afirma Goswami. O princípio da não-localidade é importante para entender as idéias expostas por Goswami. A consciência não-local é aquela que permeia tudo, não está contida em lugar algum. Através da consciência não-local é que se pode perceber a conexão entre todas as coisas do Universo. É como se, por trás da realidade material que observamos, existisse uma matriz, um molde de tudo que é criado. Esse molde permeia tudo que existe, e é através dele que tudo está conectado.
Pergunta - Fala-se muito que a física quântica explica a espiritualidade. Como assim? Edgar Mitchell - De acordo com a teoria quântica, existe o não-lugar. Este não- lugar não se baseia somente em partículas, mas numa onipresença. O não-lugar está em toda a parte. Os estudos do holograma quântico estão levando a ciência a afirmar basicamente isso. A manifestação que não é local, do aqui e agora, é um não-lugar, está em toda a parte. Os místicos já vinham dizendo isso há muito tempo, e a ciência só agora está chegando a essa conclusão. Pergunta - O que você acha das teorias que dizem que a consciência cria a realidade? Mitchell - Existem duas escolas filosóficas. Uma que afirma que a matéria é a realidade absoluta e a outra que diz que a consciência é a realidade absoluta. O que nos parece agora é que nenhuma das duas está inteiramente correta. As duas coisas evoluem ao mesmo tempo, simultaneamente. E antes da matéria e da consciência o que existe é o que se chama de campo de quantum zero, que poderia ser chamado de Deus. Ou seja, o que não é criado. A partir disso surgem as duas realidades simultâneas, a matéria e a consciência. E evoluem juntas, interagindo. Sabemos agora que o universo vazio não está vazio. Existem flutuações quânticas em toda a parte, e em cada pequena partícula quântica existe energia suficiente para a criação de todo o universo.
Pergunta - O senhor acha que religiões são fundamentais na busca espiritual? Mitchell - Talvez os líderes religiosos não gostem muito dessa afirmação, mas são eles que muitas vezes seguram, pelo poder, a informação espiritual que tem de ser disseminada: a de que nós podemos falar com Deus diretamente, que nós não precisamos de nenhum intermediário atrapalhando essa comunicação. Pergunta - Por que a ciência está tentando entender à espiritualidade? Mitchell - A verdadeira procura é entender a realidade, da qual a espiritualidade é parte. Durante 400 anos acreditamos que eram coisas separadas, mas agora nossa ciência está mostrando que isso não é verdadeiro. Estamos trazendo de volta o que tínhamos erradamente pensado que era separado. Tentar entender a natureza da realidade é uma antiga busca da humanidade. Se você é um artista, deve conhecer o material que usa para pintar, e também tem que criar algo a partir disso. Se você apenas observa a arte, você não tem que entender nada sobre a tinta ou a tela. O que isto está nos dizendo, por mostrar que corpo, mente e espírito estão juntos, é que não somos apenas observadores da arte, nós somos os artistas. Então, precisamos entender tudo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário