segunda-feira, 23 de novembro de 2015

A MATRIX TE PEGOU !







 Matrix é uma das maiores metáforas e neologismos de todos os tempos. No seu contexto literal,
 a Matrix é constituída por máquinas inventadas para fazer a vida humana mais fácil, mas que
 acabaram escravizando a humanidade.
Não é à toa e nem só pelo filme bem produzido que essa palavra ficou gravada na mente do povo.
 Ela tem uma explicação mais profunda.
Nós vivemos essa Matrix diariamente, claro, não são máquinas que 
estão no controle, mas sim algo mais subjetivo. Especificamente 
“Os Governos”.
Supostamente governos foram inventados para tornar nossa vida mais fácil e segura. 
Mas os governos sempre acabam escravizando a humanidade.
Aquilo que criamos para nos servir acabou nos dominando. Em especial o governo Americano, 
com títulos e discursos usando belas e esperançosas palavras, mas que no fundo encarceram
 milhões, têm a renda mundial em suas mãos, está sempre à frente, pune, tortura, massacra
 países, derruba e deturpa outros governos menores e por aí vai.
No Brasil não é diferente, obviamente não tem o mesmo poder persuasivo e 
financeiro dos Estados Unidos, mas segue o mesmo script para com nós cidadãos. 
A Matrix tem suas ramificações, mas não munda em essência, é como a água do mar,
 onde quer que experimente será salgada.
Vivemos uma realidade ilusória, há algo por trás dos panos. Estamos em volta de tecnologia 
e dizemos que somos os melhores e mais inteligentes habitantes dessa terra.
Será que estamos realmente felizes com nossos “Smartphones”, nosso “Apê”
 na cidade cinzenta? Tornamo-nos desconectados de tudo a nossa volta por mais 
conectados que estamos. Eis o paradoxo.
O homem está cercado de todo tipo de material, mas ele não está presente.
shutterstock_225937273
Estranhamente o budismo, hinduísmo e o Jainismo detectou isso, (de um modo místico)
 mas ainda sim muito peculiar esse processo fantasioso que vivemos.
Ramakrishna e Sidarta Gautama  disseram que a vida é Maya (palavra em sânscrito que
 quer dizer ilusão) e que o homem comum dorme profundamente. Não apenas seu sono 
ordinário e comum ao chegar a noite, mas também quando acorda. Cristo também disse
 isso, mas pela tradução errada da palavra perdemos o seu sentido, a sua nuance. Cristo 
disse que o homem vive em pecado. A palavra pecado vem do latim peccatum e quer dizer
 “errar o alvo”, tropeçar e não como as religiões pregam que é fazer algo proibido, ou seja
, você errou pois era inconsciente, seus atos são inconscientes por natureza.
O que mais me preocupa é o fato de que a grande maioria não está ciente nem mesmo
 do sono e da ilusão que vivem, claro isso é importante para a manutenção do status, pois 
sem sua alienação e desconhecimento não há como manipular, controlar, reprimir o ser humano. 
Porém surge a pergunta, como se libertar disso?
A resposta é mais simples do que parece, simplesmente consiste em estar consciente de que
 está dormindo. Ter o insight de que esteve desatento e dormindo para essa dimensão do
 pensamento crítico e reflexivo já começa o processo de “cura”. Isso é um fenômeno simples 
da psicologia humana, aquilo que é trazido à luz da consciência se desintegra. Todo erro, 
toda angústia e infelicidade são subprodutos manifestados na inconsciência. Ter o reconhecimento 
disso o faz tomar outras atitudes, outros pensamentos, outras buscas, outras emoções, pois
 insanidade é continuar fazendo as mesmas coisas e esperar resultados diferentes. Um homem com conhecimento é um perigo para a sociedade já dizia o ditado popular “O conhecimento liberta”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário