quarta-feira, 11 de novembro de 2015

A PRINCESA DE MONACO

A PRINCESA DE MÔNACO E O SEGREDO DA FELICIDADE

Você é uma pessoa culta e certamente já ouviu falar em 'Grace Kelly', o que possivelmente não se lembre é que ela reuniu em si mesma tudo o que a ambição humana pode desejar: uma fortuna nababesca, beleza, fama, o casamento dos sonhos e uma vida de Princesa. A sorte de poucas mulheres no mundo brilhou com tanta força quanto a dela; mesmo assim ela conseguiu o improvável, ser infeliz.

Do casamento em 1956 com o Príncipe de Mônaco, Rainier Louis Grimaldi lll, a sua morte (em um acidente de automóvel...{sim, falaremos sobre D* n'outro momento}) em 1982, nenhuma mulher era mais imitada, comentada e invejada quanto Grace Kelly.

A ganhadora do Oscar/1955 de melhor atriz, nasceu em uma abastada família de origem Alemã, consagradíssima estrela Norte-Americana, Grace era dotada de alta inteligencia, elegância e natural 'finesse'. Entretanto, mesmo com todos os ventos soprando a favor, por debaixo de tanta pompa, ouro e circunstância, escondia-se uma menina confusa, depressiva e profundamente insatisfeita.

Diários pessoais, amigos próximos e biógrafos dão conta das crises de Grace Kelly; a Princesa de Mônaco, viu as teias de seu conto de fadas transformadas em pesadas correntes que impediam-na de ser ela mesma. Proibida pelo marido de dar continuidade a sua carreira, envolta em intrigas palacianas, vítima de uma imprensa feroz, ameaçada com a perda da guarda dos filhos e condenada a não viver seu verdadeiro amor, ela recolheu-se, silenciou e conformou-se em representar seu papel de Princesa perfeita.

O Universo havia lhe dado tudo, mas ela se via como uma vítima do mundo. É assim mesmo, nunca está bom.

Dizem que o dinheiro não compra a felicidade mas que pode mandar buscá-la, não é verdade; embora seja um pensamento comum, o Sucesso não é garantia de Felicidade.

Se você espera atingir este ou aquele objetivo para finalmente ser feliz, ficará surpreso com o vazio que se instala logo em seguida as conquistas.

O grande e popular erro é considerar que a Felicidade está do lado de fora, no horizonte, ao lado, acima ou além, quando, em realidade, ela só se deixa tocar por quem mergulha no hoje, no agora.

Não se permita confundir, ninguém é mais feliz do que você por estar melhor posicionado no mundo; você não será mais feliz se tiver as mesmas coisas que o outro. Se não for feliz com o que é, está e tem, consigo mesmo, não haverá ouro no mundo capaz de ajudá-lo.

In Lumen Lumine,

CCCMR+C. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário