segunda-feira, 23 de novembro de 2015

DUVIDAS MAIS COMUM NA ESPIRITUALIDADE


1. Os espíritos desencarnados podem “ler” os pensamentos e emoções de encarnados que não estão projetados?
– Depende! Ler os pensamentos em minúcias e detalhes, talvez não, mas as energias e os sentimentos sim. É através disso que eles se sintonizam vibracionalmente com as suas vítimas energéticas, a fim de objetivar seu maior interesse: vampirizar as energias por afinidade. Eles podem realizar esta psicometria (1) conosco durante a vigília, durante o sono comum, durante o desprendimento extrafísico inconsciente, ou mesmo durante o desprendimento consciente, até certo ponto, dependendo de diversas circunstâncias.
2. Alguém já ouviu falar sobre as Zonas Astrais de Adaptação, lugares onde os recém desencarnados permaneceriam até tomarem consciência plena da própria morte? Como funcionam?
– Depende do Carma (2) do desencarnado, de suas boas e más ações durante a vida, de seu conhecimento espiritualista, de sua capacidade bioenergética e de como ele aceita a desencarnação, e também pelo muito, pouco ou nenhum apego à matéria.
Os espíritos desequilibrados ficam como que à própria sorte, não por desamparo, mas por estarem densos energeticamente, e não conseguem ser acessados pelo amparo extrafísico; muitos nem amparo mesmo merecem e vão ser escravizados por suas vítimas mais recentes ou remotas que habitam os sub-planos densos do Astral.
Em contrapartida, os espíritos mais ou menos equilibrados, conforme muitas variáveis, podem ser acolhidos em postos intermediários, antes de chegarem a uma colônia definitiva. Mas muitos vão direto para a colônia definitiva e lá recebem o melhor amparo. Estes postos avulsos das colônias são chamados de postos avançados e alguns são móveis, conforme a necessidade.
3. Quando se desencarna com pendências ou apegos materiais não resolvidos, o espírito fica preso ao plano etérico, ou é possível “subir” diretamente ao Astral? O túnel de luz representa transcendência direta ao Plano Astral?
– Todos temos pendências, destas e/ou de outras vidas, e desencarnaremos com várias delas, ainda, pois quando não houver mais pendência alguma, estaremos livres da roda das reencarnações. O amparo extrafísico não depende apenas de se ter agido bem ou mal na vida, mas da disposição para mudar e melhorar.
Recebe mais amparo o ruim que deseja melhorar e sente dificuldade, do que aquele que se encontra estável no bem. O fato de ficar preso ou não, mais ou menos tempo, depende de inúmeros fatores, já citados no item anterior.
O espírito André Luis ficou oito anos no Umbral (3) até ser socorrido.
Obs.: ver a obra psicográfica de Francisco Cândido Xavier, “Nosso Lar”. Recomendo também a excelente obra “Missionários da Luz” (ambos os livros publicados pela Federação Espírita Brasileira – FEB).
4. Um espírito pode ter acesso às suas encarnações anteriores através do akasha? (4) Pode-se tomar conhecimento, por meio dos registros akáshicos, dos eventos históricos de universos alternativos?
– Uma consciência pode acessar muitas vidas anteriores, dela ou de outros. Quando digo consciência, pode ser um encarnado ou desencarnado. Suas vivências de outras existências são mais facilmente acessadas, não pelos registros akáshicos (ou memória consciencial), mas por sua própria memória subjacente ou auto-memória consciencial.
O acesso pelo éter ou akasha, como você mesmo diz, exige mais sutilidade e experiência psicométrica do espírito, ou até mesmo do projetor astral, se for este o caso.
5. O que é portal dimensional ou simplesmente túneis e portais?
– Os portais (sejam qual forem seus nomes e apelidos) são zonas ou perímetros energéticos monitorados por consciências superiores a fim de servirem como caminho ou estradas astrais para seus transeuntes, pouco conhecidas por nós, pouco exploradas, quase ausentes das literaturas. Os tubos de luz presentes nas EQM – Experiências de Quase-Morte, são um portal interdimensional; o útero de uma mulher é um portal interdimensional; em alguns trabalhos de energia bem legais abre-se um ou mais portais interdimensionais e não tem muita complicação não, e pouco importa como se chamam.
6. Como é a estrutura social das colônias astrais? Em forma de família, como ocorre no físico, ou em forma de clã ou falange? Há divisão de funções, administração, assistência e tratamento aos recém-chegados, ou algumas espécie de protetorado ou milícia?
– Varia conforme a colônia. Nas colônias sadias a organização é impecável, e nada fere a ética, ou melhor, a Cosmoética (5). As colônias negativas podem ser autoritariamente administradas, e desta forma, sofrem um processo de organização prepotente, inclusive com escravos e outras mazelas. Também existem as sem organização, e não sei se poderia chamar isto de colônia ou um simples amontoado de hordas sofredoras que se agrupam por afinidade.
Nas colônias sadias, quanto menos evoluídas, mais parecidas são com o processo terráqueo, e quanto mais evoluídas, mais diferentes e avançadas, e daí não dá para eu dizer como, pois sou uma pessoa muito densa e não consigo chegar lá.
O convívio é em forma de família, mas tipo papai, mamãe e filhinho nunca, pois espírito não engravida.
7. Quais as diferenças entre o nirvana do budismo tradicional, a kundalini, o nirvana do zen-budismo, o samadhi e a cosmoconsciência?
Os estados de expansão de consciência acontecem em graus variados e recebem diversos nomes, questão de semântica da cultura de tempo-espaço e sociedade, o que não muda sua essência; o resto não interessa. Samadhi, nirvana, consciência cósmica, consciência galáctica e outros são a mesma coisa. Mas kundalini é uma outra coisa, que
pode levar o individuo a tais condições para expansão de sua consciência, e uma forma de trabalho bioenergético.
8. Quais são os efeitos físicos que ocorrem quando se atinge algum desses estados?
Nenhum. Não confunda efeito paranormal com estado de consciência. O que pode ocorrer são odores agradáveis e com eflúvios de ondas energéticas amorosas no ambiente, conforme a consciência que o experimentou. Bem, de qualquer forma não deixa de ser um efeito físico sutil.
9. Como é vista a “caçada” aos vampiros astrais e obsessores conscientes do mal que provocam em suas vítimas? Se o corpo astral desses espíritos inferiores for destruído, eles deixam de existir definitivamente?
Todo obsessor ou assediador, como queira, é um vampiro, e toda noite e durante o dia inteiro estão em nossas casas, locais de trabalho, templos, igrejas e institutos, tentando sugar todos que puderem. No entanto, todo assédio é um auto-assédio, pois por nossos assédios somente nós somos responsáveis, e o assediador se vale de nossos defeitos e pontos fracos e eles sabem bem quais são, eles nos estudam e são patrocinados por assediadores maiores, que promovem cursos trevosos no Astral, a fim de ensinar a assediar, a vampirizar e a acessar a ficha cármica, que não passa de leitura energética da vítima ou psicometria.
Como tudo está previsto na lei de causa e efeito, eles têm livre acesso na crosta do planeta, pois é aí que habitam mesmo, embora sejam absolutamente todos monitorados pelos mestres e amparadores maiores que a tudo coordenam. Se você deixar, eles lhe destroem literalmente, e se puderem ainda lhe desencarnam, algo muito raro, mas não impossível de acontecer (eles podem assediar um motorista em trânsito e causar um acidente fatal), mas se acontecer é porque suas tendências cármicas permitiram.
10. Geralmente, quanto tempo se passa, no plano físico, entre uma encarnação e outra? É possível encarnar em qualquer época ou somente em épocas posteriores?
Só é possível reencarnar desde o agora para frente, não existe reencarnação no passado, senão seria uma zona louca. O tempo médio de estadia numa colônia extrafísica para a média das pessoas é aproximadamente igual ao tempo de vida na carne.
Geralmente existem diversos fatores que influenciam este processo, mas também em geral quanto mais evoluída a consciência, mais tempo passa no Astral planejando detalhes da próxima vida. Os mais densos sofrem o processo chamado reencarnação compulsória, não têm qualquer direito de escolher nada, vêm aqui e acabou, mas todas as encarnações são escolhidas de forma que melhor promovam a evolução das consciências.
Alguns têm que esperar uma determinada época para poder adentrar numa certa família, outros, algum processo social e político, e assim vai ao infinito.
11. Todos os seres humanos possuem um obsessor interno, representado pelo lado auto-destrutivo da psique (alma) e pelos apegos ao mundo físico? Há comunicação inconsciente entre este e os obsessores externos?
Todos nós temos nosso lado negativo, chame-o de ego, diabo interno, maionese-ego, mas não importa! Somos nós mesmos e somos responsáveis por ele. Não complique, tudo é questão de semântica.
12. Há criaturas irracionais no plano astral? É possível estabelecer comunicação com elas através de linguagem não verbal?
Existem mamíferos, mas como irracionais no físico, também o são no plano espiritual, e por lógica não há relacionamento em nível intelectual, pois eles não possuem esta condição, mas a comunicação energética é maior e eles podem ser controlados por energia. Não confundir com os processos de licantropia extrafísica, onde consciências super negativas ficam disformes devido a uma confusão mental estabelecida neles.
13. Qual a relação entre os amparadores e o eu-superior? É possível que um suposto amparador seja, na verdade, uma faceta do eu-superior de seu amparado?
Não existe eu superior e nem inferior, existe seu corpo que é um veículo efêmero, outros corpos sutis, e sua consciência imortal. Já o seu amparador é uma consciência de nível compatível com você mesmo, nem muito melhor e nem muito pior, mas leva a vantagem de observar você de “cima” para “baixo”. Ele é outra consciência também em evolução e ajuda e sofre junto com você por seus erros e teimosias.
14. É verdade que a comunicação nos planos etérico e astral inferior se dão através de linguagem verbal, enquanto no astral superior ocorre por meio de linguagem não-verbal?
Digamos que sim. Ainda faço distinção entre telepatia e diálogo transmental onde as idéias são passadas em bloco e não em telepatia linear. Quando mais evoluído o plano, mais em bloco são tratadas as idéias; quanto mais embaixo, mais verbal, seqüencial, linear e lento.
15. Qual a diferença entre visão remota e “clarividência viajadora”?
Sei que a clarividência viajora emite pseudópodos (tentáculos) energéticos a partir do chacra frontal a fim de enxergar a distâncias físicas consideráveis, e a visão remota é intuitiva, meramente mental e se apresenta de forma variada, conforme omédium ou o sensitivo que a experimenta.
16. É possível escolher não encarnar, quitando débitos (carma) através de assistência astral, proteção ou administração de colônias extrafísicas?
Não! Enquanto tiver pendências na Terra, você tem que resolvê-las aqui mesmo, e somente um espírito reconhecidamente superior pode habitar os planos astrais sem necessitar de reencarnar, mas este ainda tem muito a galgar nos ciclos evolutivos, pois a evolução é eterna e infinita, caminhando sempre para Deus. A assistência astral também é realizada por nós como aprendizado, aperfeiçoamento e quitação cármica, enquanto lá residimos entre uma vida e outra, no chamado período intermissivo (período intermissões ou entre-vidas).
A assistência astral é feita por nós, projetores, sejamos conscientes (lúcidos) ou inconscientes (sonambúlicos) e por espíritos que habitam o plano extrafísico, antes de reencarnar.
17. Morrer cumprindo o dever (dharmaprogramação existencial, missão de vida, projeto cármico) ou em razão dele, traz algum tipo de benefício?
Melhor que morrer para cumprir um dharma (6), é completá-lo. O dharma é a melhor forma de se quitar o carma. Se morrer trabalhando no dharma, é porque estava previsto no mesmo, ou então estava fora dele, atraindo acidentes de percurso, chamados acidentes parapsíquicos, devido a assediadores e até a fenômenos de efeitos físicos.
18. O suicídio ritualístico (o hara-kiri, por exemplo) ou o suicídio por desprezo ao corpo físico ou por extrema falta de afinidade com a vida no plano físico levam, necessariamente, o espírito para o umbral extrafísico?
Em qualquer evento pesam os atenuantes e os agravantes, mas qualquer forma de suicídio é altamente dolorosa a quem o pratica.
19. O que são rituais e magia?
Existem rituais que evocam forças a fim de manipular todo o tipo de energia, desde as mais densas, até as mais sutis, com finalidades construtivas (magia branca) ou destrutivas (magia trevosa). Mesmo que nós não entendamos, elas existem.
Qualquer forma que utilize a energia para fins negativos ou de obtenção de algum tipo de poder ou manipulação, desequilibra o aparelho gerador e causa prejuízos sérios.
Existem muitas formas e exercícios de captar mais energia, utilizando muito mais o poder da mente e da vontade, mas existem rituais específicos para cada coisa.
20. O cordão de prata, em uma pessoa saudável, pode ser rompido por vontade própria? Esse rompimento causa a morte imediata ou o corpo entra em coma?
O cordão de prata só pode ser rompido por pessoas que tenham alto domínio bioenergético e causa a morte imediata, e em alguns casos (associados a efeitos kundalínicos) queima todo o corpo por combustão espontânea. Este tipo de pessoa só o romperá no momento certo, o momento exato do desencarne. A saída definitiva do corpo ou projeção final, por aquele que domina completamente as bioenergias, pelo chacra coronário, de forma lúcida, faz com que as energias mais densas permaneçam no corpo protegendo-o por mais tempo. É o caso de grandes santos e mestres como o Yogue Paramahansa Yogananda. Alguns deles, no ato da saída, para evitarem qualquer repercussão energética no corpo que ficaria, estouram todos os chacras, de baixo para cima, numa seqüência perfeita, ministrando força máxima da kundalini e queimando todo corpo espontaneamente.
21. O que acontece se o corpo astral for destruído durante uma projeção?
Isso não é possível, pois o corpo astral ou psicossoma é indestrutível.
22. Alguém já ouviu falar ou viajou até alguma colônia extrafísica, além de “Nosso Lar” (7)?
Fato extremamente comum na vida astral de projetores mais lúcidos, e mesmo dos semi-conscientes.
23. O que é a Grande Fraternidade Branca? O que eles fazem? Que negócio é este de chama violeta e sétimo raio?
São espíritos ou grandes amparadores elevados na hierarquia sideral, que trabalham pela humanidade a partir do plano astral. Quanto a esse negócio de chama violeta, há muito exagero em cima disso, e é uma grande bobagem dizer que conheço tal espírito da Fraternidade Branca ou que Saint Germain é meu padrinho; é tudo viagem psíquica. Eles existem, trabalham e são fato!
Mas as pessoas mal conhecem seus amparadores ou guias pessoais, mal fazem caridade para quitarem carma, e ficam dizendo que Saint Germain as visitou por que elas se concentram na chama violeta e estão queimando carma e ajudando o planeta! É muita viagem para pouco cérebro!
Tente perceber seu amparador, depois tente perceber o amparador de seu amparador, e quando você for muito bom e tiver muito serviço pronto pelas costas e bastante projeção consciente e ajudar muita gente mesmo, você poderá começar a pensar mais alto, sem viajar na maionese psíquica. Cuide primeiro da cozinha, depois vá para o
Quintal, para depois dominar a lua.
24. Qual tarefa assistencial é mais importante na Conscienciologia, a tacon – tarefa da consolação, ou a tares –tarefa do esclarecimento?
Ambas são importantes e devem ser combinadas. A tares quase não é possível sem a tacon. A não ser que você trabalhe exclusivamente como professor oficial de algum instituto por aí. Mas na prática, na vida e no dia-a-dia, que é onde o bicho pega, e onde você tem que mostrar que é firme mesmo, sem guarita de instituto e de mais ninguém, que eu quero ver você ficar fazendo tares na esquina!
Quando aparece uma oportunidade, você deve fazer uma assistência, seja ela qual for, uma, outra ou as duas combinadas. É difícil ensinar discernimento para gente teórica que não trabalha fora das linhas e dos livros. O fato é que se você é esperto e quer evoluir
rápido e quitar muito carma no atacado, faça a tares que puder, e se não puder fazê-la o tempo todo, faça as duas, ou mesmo a tacon.
25. Numa projeção para fora do corpo algum mago trevoso pode romper meu cordão de prata?
Não! Se nem os amparadores podem desafiar a lei, muito menos os obsessores. Você só desencarna quando for a hora, designada por seu carma pessoal. Quando chega a hora de alguém desencarnar não adianta médicos, santos ou amparadores.
26. Mas posso desencarnar antes da hora devido à minha conduta negativa?
Sim! O seu livre arbítrio permite que você se suicide de diversas formas: cigarro, bebidas, esportes radicais, drogas ilícitas, más companhias e outros. Neste caso, você parte antes da hora e vai ficar passeando no umbral até vencer o prazo que fora calculado para uma vida normal e saudável, mas irá ficar ralando nos níveis astrais densos.
27. Qual a diferença entre sonho e projeção ou experiência fora do corpo?
Sonho – O sonho contém imagens oníricas criadas pelas descargas elétricas dos neurônios, e sobre estes o projetor não tem qualquer controle ou domínio da situação. Eles também se caracterizam pela incoerência e desorganização dos eventos, todos muito loucos. No sonho somos meros espectadores onde não conseguimos interferir por nossa
vontade. O sonho possui uma rememoração mais fácil.
Projeção da consciência – Ao se encontrar realmente projetado (ou fora do corpo) podemos possuir vários estágios ou graus de lucidez. Essa lucidez colabora para que tenhamos mais ou menos controle sobre os eventos a partir de nossa vontade. Supondo-se um bom nível de lucidez extrafísica, temos controle sobre os eventos que se passam durante a projeção.
A projeção é um fato, sendo assim, possui lógica, coerência, seqüência organizada, onde os fatos se ajustam um após o outro sob o domínio tranqüilo do projetor. A projeção tem rememoração mais difícil, pois os eventos ocorrem em outros planos, mas as percepções são muito mais ampliadas.
– Dalton Roque e Andréa –
– Notas:
1. Psicometria (do grego: “Psique”: “Alma”; “Metron”: “Medida”): É a capacidade parapsíquica em que a consciência percebe as imagens gravadas energeticamente nas psicosferas (auras) dos objetos, pessoas e ambientes com os quais entra em contato. Ou seja, o sensitivo lê as imagens gravadas psiquicamente em épocas passadas na aura das coisas. No jargão esotérico, ele lê os registros acásicos (do sânscrito: “Akasha”, a energia primordial onde tudo se plasma indelevelmente) das auras e seus eventos passados contidos ali.
2. Carma (do sânscrito “Karma”): é a Lei de Causa e Efeito Universal.
3. Umbral (Espiritismo): na terminologia espírita é o plano astral atrasado, denso, inferior.
4. Akasha (do sânscrito): é a energia primordial plasmadora de todas as formas, que registra tudo no tecido vivo da natureza, física e extrafísica, em todos os tempos e condições.
5. Cosmoética: Código de Ética Extrafísico, superior à ética dos homens da Terra; Paraética.
6. Dharma (do sânscrito): Programação existencial, Mérito, Missão, Dever, Trabalho, Virtude, Ação virtuosa, Reta ação.
7. Nosso Lar: cidade extrafísica descrita pelo espírito André Luiz nas obras psicografadas por Francisco Cândido Xavier.
Se você acha que este texto pode auxiliar alguém espiritualmente compartilhe e divulgue, obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário