quarta-feira, 11 de novembro de 2015

PRINCÍPIOS ESPIRITUAIS DA VIDA



Vejamos alguns dos mais importantes princípios espirituais da vida:

O primeiro princípio espiritual da vida nos revela que tudo o que existe faz parte de Deus, está dentro de Deus, vive com Deus e principalmente é Deus. Todas as coisas possuem uma natureza divina que reside latente dentro de si mesmas. Do ser mais inferior ao mais superior, da bactéria ao sol, da m
olécula ao anjo, dentro de toda a escada da evolução universal, tudo faz parte da perfeição divina. Estamos ainda inconscientes dessa divindade que carregamos nos recônditos mais profundos de nós mesmos, mas essa essência existe, ela está lá, esperando a hora de se manifestar em toda a sua pureza e plenitude. Saber que a perfeição reside latente em nosso ser é um alento que devemos levar para sempre.

O segundo princípio nos informa que tudo faz parte de tudo. Temos o todo dentro de nós mesmos, somos formados pelo mesmo material cósmico das estrelas, das galáxias, dos universos visíveis e invisíveis. Toda a composição universal está presente em nós. Somos um todo em miniatura. Somos uma partícula de todo o universo e temos todo o universo dentro de nós. O espírito que somos é infinito e eterno.

O terceiro princípio espiritual da vida nos mostra que todas as coisas tem um propósito, uma finalidade, um ideal mais profundo a ser alcançado que nem sempre percebemos em nossa limitada visão. Qualquer sofrimento, qualquer situação difícil, dores, provações, tudo isso tem um sentido mais profundo que ainda somos incapazes de compreender mais profundamente. Despertar a consciência de que tudo na vida tem um sentido, um significado divino, um propósito superior nos assegura uma vida de fé, de confiança total nos planos de Deus. Uma criança não entende porque faz certas coisas, como se alimentar, se vestir, tomar remédios, etc. Mas quando crescer e se tornar adulta, entenderá tudo o que seus pais fizeram com ela. Assim também são os planos de Deus para seus filhos humanos, onde tudo sempre tem um sentido, e nada ocorre por acaso.

O quarto princípio da vida nos faz compreender que tudo está interligado. Não estamos separados uns dos outros. Há um fio da vida, um tecido cósmico que une todos os seres do universo, formando uma unidade inquebrantável. É como se todos os seres do universo fossem como pedras preciosas num infinito colar divino. Todas as pedras do colar, que é o espírito de cada ser, está ligado a todas as outras pedras preciosas por um fio inconsútil. Esse fio passa pelo centro eterno e espiritual de cada um de nós e nos conecta a tudo e todos igualmente. Não há um só ser ou coisa em todo o cosmos que esteja separado de tudo e não esteja ligado a todos por esse colar divino. Esse princípio nos leva a uma consideração muito verdadeira. Se eu não estou separado de você, não posso te agredir, pois estarei agredindo a mim mesmo; não posso te ofender, pois estarei ofendendo a todos; não posso te matar, pois estarei matando a mim mesmo e também um plano maior da Criação. Vivemos numa infinita multiplicidade cujo elo é uma unidade essencial.

O quinto princípio fala da verdade das transformações do cosmos. Tudo no universo muda, se transforma, se move e vibra. Nada está parado, estagnado ou preso. Tudo corre, tudo flui, todas as coisas existem numa torrente de vibrações que nunca se esgota. Por esse motivo, ninguém deve paralisar ou imobilizar sua vida, pois a corrente sempre nos leva querendo ou não. Devemos sempre acompanhar o eterno fluir da existência e seguir em frente, mesmo diante do maior sofrimento. Quem para, perece. Quem flui com a corrente cósmica, vive e renasce.

O sexto princípio nos fala da consciência de que tudo está em seu devido lugar; tudo é sagrado e em tudo existe uma ordem, mesmo na aparente desordem. Os gregos chamavam esse princípio de “cosmos”, a harmonia universal, a ordem da vida. Não há coisa alguma que esteja fora do seu lugar. Todos os seres e coisas estão exata e matematicamente onde deveriam estar. Havendo outro lugar melhor para você em todo o universo, a inteligência divina trata de retira-lo de onde você estiver e colocado-lo em outro local. Você vive a vida que tem que viver; você faz o que tem que fazer; o que te acontece é exatamente o que você precisa e merece dentro de tudo o que você criou ao longo da eternidade. Portanto, não acredite que as coisas estão erradas para você, pois tudo está exatamente como deveria estar. Não existem erros, tudo está absolutamente correto e perfeito.

O sétimo princípio fala sobre as aparências que revestem as essências. Cada ser e coisa que existe no cosmos possui uma aparência que esconde a sua essência real, aquilo que ela é de verdade. As aparências encobrem o mundo real, a verdade que reside em tudo. Nossos sentidos nos enganam. Eles criam formas, imagens, sonhos, quimeras e dissimulações. A mente nos ludibria criando exterioridades e expressões diversas. O ser humano vê a aparência e acredita que ela seja a realidade, mas não é. É preciso ver além das aparências, e buscar a essência mais profunda de todas as coisas. Somente indo além do véu, da túnica, do manto ilusório da existência é que poderemos ver as coisas como realmente são. Não somos uma aparência humana num mundo de aparências, somos uma essência infinita que reside no seio do infinito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário