domingo, 7 de fevereiro de 2016

Conheça o Estuprador


Imagem - Conheça o estuprador
Os estudos acerca da personalidade do estuprador têm mostra­do aspectos de interesse para o entendimento de sua conduta sob o ângulo da psiquiatria. O estuprador geralmente é diagnosticado como tendo um Transtorno da Personalidade Antissocial (irresponsabilida­de social, busca de risco, explorador, propensão ao uso de álcool e drogas, etc.). A sua bioquímica cerebral mostra, entre outros, um déficit no neurotransmissor serotonina. Os estudos mostram que uma diminuição dessa substância no cérebro tem sido associada com atos impulsivos, impensados, agressivos, suicidas, etc. O cérebro do estu­prador parece ser internamente pouco ativado, levando-o a procurar mais estímulos externos para se sentir bem.
Os estupradores, em grande parte, mostram-se agitados, inquie­tos e explosivos. Tem sido relatado que a inteligência do estuprador é mais baixa que a média da população. Essa deficiência mental tem sido atribuída a fatores genéticos ou a lesões cerebrais sofridas du­rante a vida pré ou pós-natal. Eles têm, principalmente, menor com­preensão verbal e social. Com frequência, fazem uso de álcool e de drogas, agravando a sua já reduzida capacidade de lutar contra seus impulsos.
Ainda cedo, os estupradores podem apresentar condutas desa­daptadas como a crueldade com os animais, o uso de armas e má adaptação escolar. Na história de vida deles é frequente a enurese noturna (urinar na cama), incêndios e alcoolismo dos pais. Alguns es­tupradores podem fazer 150 vítimas durante sua vida, caso não sejam presos ou mortos. Cerca de 70% deles já praticaram outros crimes como assaltos, roubos e homicídios. Diversos estudos mostram que o padrão criminoso incorporado na infância desses indivíduos não será extinto com punições carcerárias. Como se sabe, todo e qualquer cas­tigo usado comumente não pune o padrão aprendido, pune somente o indivíduo que praticou o crime.
O estuprador, muitas vezes, ataca sua vítima com armas. Pes­quisas mostram que certas pessoas tornam-se mais agressivas ao lidar ou mesmo visualizar armas. A maioria dos estupradores é formada de jovens. Cerca de 61% deles têm menos de 21 anos. Sabe-se que os jovens, principalmente do sexo masculino, praticam mais atos antis­sociais. Um outro fator de importância é a maior taxa de testostero­na nessa idade, e esta parece atuar diminuindo a taxa de serotonina cerebral e, consequentemente, aumentando a impulsividade. Muitos deles, durante o ato criminoso, têm, ao mesmo tempo, raiva e medo. Daí sua conduta confusa, na qual se misturam agressões e investida sexual. Durante o ataque, o estuprador normalmente ameaça a vida ou a integridade da vítima ou dos familiares. Além disso, não é raro ele ejacular, defecar ou urinar na face ou corpo da vítima. Às vezes, introduz objetos no ânus ou na vagina desta.
As vítimas dos estupradores vão, segundo os dados, desde os 15 meses até os 82 anos, sendo que a maioria delas encontram-se entre 10 a 29 anos. A estatura da vítima é geralmente menor que a do estu­prador. Apenas cerca de 4% das vítimas facilitaram o estupro, o que é uma taxa baixa quando comparada com as pessoas assassinadas. Nestas, a percentagem chega a 22%. Apenas uma em cada quatro ví­timas dos estupradores dá queixa à polícia. Para outros autores, uma em dez. Para terminar, a maior parte dos estupros ocorre dentro da própria casa da vítima e cerca de 7% dos estupradores são parentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário