A indiferença está no meio das pessoas que fingem que não veem o que se passa a sua volta, quando anda pelas ruas, em que pedintes estendem a mão, para lhe pedir uma esmola, mas em tom de voz austero e sem mesmo olhar, diz: não tenho. Tudo isto se faz presente na sociedade em que vivemos, em que maltrapilhos dormem embaixo de marquises e pontes, sempre com a humildade estampada em seus rostos, sabem que são inferiores, sabem que são excluídos, ninguém os vê, ninguém preocupa com eles. O Estado que deveria ser o responsável e até penalizado por estes fatos, por serem omissos com o lidar com os pobres, os excluídos, com os pedintes. Para o Estado são os lixos da vida e para sociedade que vê tudo e nada faz, fingindo que nada vê, são reacionários e indiferentes no convívio social.
Toda sociedade humana existem as leis e regras mesmo que estas leis, muitas vezes não são corretas, elas existem. Feitas por representantes, que muita vezes não representa a vontade popular de fato, mas são eleitos para isto. Às vezes estas leis não são éticas, mas devem ser seguidas por ser a moral de uma determinada sociedade, regras que devem ser seguidas por todos de uma sociedade.
Em nossa Constituição:
Construir uma sociedade livre, justa e solidária.
Erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais.
Promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
Parece que nada que esta na Constituição é obedecida pelo Estado, que se diz ser democrata, mas isto não é democracia, em que muitos cidadãos são excluídos, são abandonados a própria sorte, sem que o Estado os protejam, dando lhes o mínimo necessário para que possa sobreviver, para que possa ter uma abrigo descente e não marquises de prédios, mas sim uma casa, para viver com dignidade. Esta indiferença que existe hoje, faz com que a criminalidade aumenta cada dia que passa, e o valor da vida humana passa ser desprezível, matando por um telefone celular, a vida perde o verdadeiro sentido, pela a omissão do Estado, das pessoas esclarecidas que tiveram oportunidades de estudar, de saber discernir o certo do errado, mas fecham os olhos e vivem hoje enclausuradas em suas casas, fingindo que esta tudo bem.
A indiferença faz surgir nas sociedades, os revoltados que não tiveram oportunidades de frequentar uma escola, de não ter tido na vida nenhuma escolha, a não ser entrar para o crime, onde são acolhidos pelos traficantes e respeitados dentro do crime, mesmo sabendo que a vida dele vai ser curta, logo estarão mortos, mas este pouco em que vivem teve o verdadeiro respeito dos companheiros, e isto se deve as mentiras dos governantes de uma sociedade omissa.
A ética tem que existir sempre, por ser o pilar mais forte de uma sociedade, respeitando sempre os princípios morais da sociedade, mas quando esta moral é deixada de lado, em que a justiça passa ser omissa, não sendo para todos, como deveria ser. Trata o rico de maneira diferente, por ter bons advogados e os pobres às vezes fica na cadeia anos de sua vida, por ter furtado um alimento para saciar a fome do filho, dele próprio, mas ele não tem advogado, são a escoria, então podem apodrecer nas cadeias superlotadas, pela incompetência dos governantes, que omitem, que querem apenas o poder para manipular e enganar o povo que não tiveram oportunidades de sair do estado de pobreza financeira e intelectual, por não terem oportunidades de frequentar uma escola.
Quantas vezes você percebe ao parar em um semáforo, os vidros dos carros ficarem fechados, e os que estão abertos fecham, para não escutar ao pedinte que lhes estendem a mão, pedindo algum trocado para saciar a fome. Esta indiferença da angustia, da uma sensação de impotência, mas como resolver tudo isto. Não podemos levar todos para dentro de nossas casas, não temos dinheiro suficiente para saciar a fome de todos, mas temos algo que poucos têm… Sabedoria, educação e um pouco de dinheiro. Tivemos mais oportunidades em ter alcançado um patamar melhor que muitos. Sejamos radicais em nossas vidas em participar mais da vida política do País, não elegendo mentirosos, ladrões, os que querem perpetuar no poder, para ficar mais rico.
É dever de todos os cidadãos de bem, que quer ter um futuro melhor para os filhos, em um mundo equilitario, com liberdade de ir e vir, de segurança, de paz interior e amor ao próximo, lutar para que o Estado brasileiro seja menos mentiroso, e faça mais pela população brasileira, principalmente para os menos favorecidos, com educação, com respeito e que a justiça seja igual para todos e não haja discriminação de status social.

(Amyn Daher Jr., escritor)