sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Os 7 maiores Conquistadores da História

Os conquistadores Gêngis Khan, Alexandre, o Grande, Tamerlão, Ciro, o Grande, Átila, o Huno, Adolf Hitler e Napoleão Bonaparte contribuíram decisivamente para moldar o mundo como nós o conhecemos hoje. Montagem: autoria nas imagens em separado.
Os conquistadores Gêngis Khan, Alexandre, o Grande, Tamerlão, Ciro, o Grande, Átila, o Huno, Adolf Hitler e Napoleão Bonaparte contribuíram decisivamente para moldar o mundo como nós o conhecemos hoje. Montagem: autoria nas imagens em separado.

Motivados por ideais distintos, os mais competentes conquistadores da História de uma forma ou de outra se portaram como implacáveis em seu tempo, sendo praticamente invencíveis quando confrontados individualmente. Tribos, nações e até inimigos ferrenhos uniram esforços — quase sempre em vão — para detê-los.

As conquistas aqui mostradas não encontram paralelos na História. Foram expedições longas, modificadoras e brutais, tendo sido, para uns, incrivelmente gloriosas, para outros (os derrotados), um verdadeiro inferno dantesco. Foram guerras que agarraram o mundo pelo pescoço e o sacudiram com tremenda força…
…Guerras estas que fariam o próprio Deus Marte, deus da guerra na mitologia romana, orgulhar-se de sua mais brilhante e devastadora criação: os Conquistadores!
Um mundo de terras e mares a serem conquistados pela vastidão da “eternidade”. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Um mundo de terras e mares a serem conquistados pela vastidão da “eternidade”. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Compete esclarecer introdutoriamente que o alicerce para esta matéria reside unicamente sobre o quesito território conquistado, pois, a depender do espaço e tempo, alguns conquistadores encontraram inimigos mais poderosos e aguerridos que outros, como Napoleão que, embora se encontre na sétima posição, realizou feitos incríveis em um tempo em que a Revolução Francesa iluminava a França e que, enfraquecida, vulnerável e sem liderança central minimamente capacitada, era fortemente oprimida por seus poderosos vizinhos para que as ideias revolucionárias não fossem propagadas em detrimento das monarquias seculares.
7º CONQUISTADOR: NAPOLEÃO BONAPARTE (1760-1821)
De espírito brilhante e ambicioso, Napoleão Bonaparte logo cedo mostrou seu gênio militar, sendo um dos mais brilhantes chefes militares que o mundo já testemunhou. Dono de proezas quase inacreditáveis, de dezenas de batalhas vitoriosas e de derrotas que se contam nos dedos de uma só mão, Bonaparte simplesmente tomou seu assento entre os grandes conquistadores da História.
Napoleão Bonaparte. Imagem: Paul Delaroche.
Napoleão Bonaparte. Imagem: Paul Delaroche.
O poder é minha amante — Napoleão Bonaparte.
De berço humilde, o jovem corso, por mérito próprio, tornou-se General aos 24 anos de idade e lutou contra os mais poderosos impérios de seu tempo, mostrando-se impossível de se aplacar individualmente por qualquer outra nação, o que inclui a Rússia, que tantas vezes foi derrotada miseravelmente. Individualmente, em terra, Napoleão representou o que de melhor existiu à época.
Entretanto, com seu ambicioso sonho de unificar a Europa sob seu comando, acabou desencadeando efeito contrário ao unir o Velho Continente quase inteiramente contra si. As batalhas da Era Napoleônica ficaram marcadas pelo gigantesco emprego de recursos materiais e humanos. Era comum se ter grandes exércitos alinhados em rota de colisão para rápida e sangrenta resolução da pauta de guerra.
Território conquistado pela La Grande Armée de Napoleão Bonaparte. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Território conquistado pela La Grande Armée de Napoleão Bonaparte. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
6º CONQUISTADOR: ADOLF HITLER (1899-1945)
Desta lista, Adolf Hitler é o único que não comandou diretamente seus exércitos nas diversas frentes de combate, contudo, seu implacável empenho na construção da armada nazista acabou por subsidiar uma série de importantes conquistas territoriais, de modo, inclusive, bem similar às de Bonaparte.
O Führer Adolf Hitler, Chefe do Estado Alemão. Imagem: © Bettmann/CORBIS, Adolf Hitler saudando, ca. 1933-1945, ID.: BE002442.
O Führer Adolf Hitler, Chefe do Estado Alemão. Imagem: © Bettmann/CORBIS, Adolf Hitler saudando, ca. 1933-1945, ID.: BE002442.
Não há nada na história que tenha sido conquistado sem o derramamento de sangue! — Adolf Hitler.
Contando a excelente tradição germânica de forjar comandantes capazes e, por vezes, geniais, Hitler teve o privilégio de dar ordens a marechais-de-campo como Rundstedt, Guderian, Manstein e o mais famoso e respeitado comandante da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), Rommel, a Raposa do Deserto.
Todavia, as sucessivas ingerências de Hitler nos planos cuidadosamente traçados pelo Estado-Maior Alemão são apontadas, por vezes, como “desastrosas”, pois o Führer sempre os modificava deixando seus idealizadores confusos, quando não assustados por temerem a morte pelo que se chamava educadamente de “alta traição”.
Território conquistado pela Alemanha Nazista de Adolf Hitler. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Território conquistado pela Alemanha Nazista de Adolf Hitler. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
5º CONQUISTADOR: ÁTILA, O HUNO (406-453)
Notório por sua ferocidade em conquistas, Átila, o rei dos hunos, lançou-se furiosamente sobre a Europa em uma campanha expansionista que lhe rendeu a alcunha de o Flagelo de Deus. Dono de vastas planícies entre a Europa e a Ásia, principalmente na atual Hungria, os hunos foram capazes de montar um poderoso exército montado que geralmente arrasava adversários nos mais diversos campos de batalha do Ocidente e Oriente.
Átila, o Huno. Imagem: Museu do Louvre, Paris, França. ID.: AO-2432.
Átila, o Huno. Imagem: Museu do Louvre, Paris, França. ID.: AO-2432.
Onde eu passar, a grama não crescerá novamente — Átila, o Huno.
Sob a liderança de Átila, os hunos pilharam e extorquiram os impérios Romano do Oriente e Parta, da Pérsia, aterrorizaram as planícies europeias, escravizaram outros povos bárbaros e deram sua contribuição à queda do decadente Império Romano do Ocidente.
Ainda, embora breve tenha sido seu reinado, atribui-se à figura de Átila, o Huno, o título de maior líder bárbaro da era conhecida como Invasões Bárbaras.
Expansão máxima do território de Átila, o Huno. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Expansão máxima do território de Átila, o Huno. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
4º CONQUISTADOR: CIRO, O GRANDE (600-529 a.c.)
Ciro II, popularmente conhecido como Ciro, o Grande, consagrou-se como o grande criador do Império da Pérsia, sendo diretamente responsável por grandes conquistas territoriais. Ficou conhecido como um homem íntegro, generoso e até amado.
Ciro, o Grande. Imagem: autoria desconhecida.
Ciro, o Grande. Imagem: autoria desconhecida.
Seu império é considerado um dos mais importantes da história e se estendia das montanhas do Hindu Kush, no atual Afeganistão, até o Rio Indo, no Mediterrâneo. Dentre suas grandes conquistas, encontram-se a Lídia, Suméria, Babilônia e tantas outras possessões gregas. Estas últimas deram origem às guerras entre gregos e persas, as quais abarcam as famosíssimas batalhas de Maratona e dasTermópilas.
Acerca da Babilônia, Ciro, o Grande, é o responsável pela soltura dos judeus que nela se encontravam cativos, também devolvendo generosamente o antigo território dos filhos de Israel. Este evento, inclusive, encontra-se narrado na Bíblia. De acordo com o comumente noticiado, Ciro teria tido um sonho em que deveria libertar o povo hebreu.
Território conquistado por Ciro, o Grande. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Território conquistado por Ciro, o Grande. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
3º CONQUISTADOR: TAMERLÃO (1336-1405)
Tamerlão, também conhecido como Timur, o Coxo, restaurou parte da antiga grandeza do império mongol criado por Gêngis Kahn. Desde cedo suas habilidades táticas e competência de comando o fizeram se destacar. Para se tornar Khan, diz-se que teria simulado seu parentesco com Gêngis Khan para viabilizar sua posse. É conhecido como um dos últimos grandes conquistadores da Ásia.
Estátua de Tamerlão, o Coxo. Imagem: autor desconhecido.
Estátua de Tamerlão, o Coxo. Imagem: autor desconhecido.
Como só há um Deus no Céu, tem que haver apenas um governante na Terra — Tamerlão.
Tamerlão conseguiu restaurar considerável parte do império mongol, contudo, ficou mais conhecido por sua crueldade sem-fim. Suas conquistas foram incrivelmente violentas ao ponto de mostrarem como verdadeiros massacres insanos. Em determinada ocasião, na Índia, logo após a Batalha de Panipat, em 17 de dezembro de 1398, Tamerlão ordenou a execução de aproximadamente 100 mil soldados indianos, massacrou os habitantes da cidade de Déli e saqueou tudo que era possível ser transportado, incluindo 90 ou 100 elefantes de guerra, sendo todo o restante destruído.
Território conquistado por Tamerlão. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Território conquistado por Tamerlão. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
2º CONQUISTADOR: ALEXANDRE, O GRANDE (356-323 a.c.)
Alexandre, o Grande, nasceu na Macedônia, tornou-se rei aos 20 anos de idade e morreu antes de completar os 33. Deixou a vida como o maior conquistador do mundo, sendo, atualmente, considerado o maioral da Antiguidade e um dos principais capitães da História.
Mosaico de Alexandre, o Grande. Imagem: Museu Arqueológico Nacional de Nápoles, Itália.
Mosaico de Alexandre, o Grande. Imagem: Museu Arqueológico Nacional de Nápoles, Itália.
Uma tumba agora basta àquele para quem cujo mundo não era o bastante — Alexandre em seu leito de morte.
Seu império se estendeu dos Balcãs, na Europa, até a longínqua Índia, na Ásia, somando-se os territórios do Egito e Afeganistão. Sob o comando do pupilo do filósofo Aristóteles, as mortíferas falanges macedônias nunca lamentaram derrota em batalha, mesmo encarando impérios seculares e experientes com forças numericamente superiores e diversificadas.
Território conquistado por Alexandre, o Grande. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
Território conquistado por Alexandre, o Grande. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
O MAIOR CONQUISTADOR: GÊNGIS KHAN (1162-1227)
Nascido como Temujim, teve seu pai assassinado e uma infância extremamente dura, sendo escravizado e por vezes alvo de assassinos. Sem desistir de lutar, o histórico líder mongol resistiu com bravura incomum para vencer seus inimigos, unificar seu povo e lançar a mais extraordinária expansão militar que se tem registro. Orgulhava-se de se vestir e viver como seus guerreiros.
Gêngis Khan. Imagem: Bitrix Studio.
Gêngis Khan. Imagem: Bitrix Studio.
Eu sou um castigo de Deus. E se você não cometeu grandes pecados, Deus não teria enviado um castigo como eu — Gêngis Khan.
A horda mongol, guiada pela flecha incansável de Gêngis Khan, arrebatou seus cavaleiros nômades da longínqua e esquecida Mongólia à Europa e ao Oriente Médio. “Com os galopes mais rápidos e implacáveis das Idades Antiga e Média, as hordas das estepes asiáticas lideradas por Gêngis Khan forjaram, ao longo do século XIII, tanto o maior território contínuo quanto a segunda maior extensão territorial total de um império da História – conquistando em 25 anos o que civilizações inteiras, como a Pérsia e a república e o império romano, juntos, não conseguiram em quase 1.000 anos.” (BEZERRA, 2016, s/p)
Nunca ouve outro tão grandioso Conquistador como Gêngis Khan.
A imensidão do território conquistado por Gêngis Khan é impressionante. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
A imensidão do território conquistado por Gêngis Khan é impressionante. Imagem: Daniel Apolinário: http://2016.mezclador.com.br/daniel-apolinario/.
A título de curiosidade, o mais vasto domínio já criado pertenceu à Inglaterra, no século XIX, sendo ligeiramente maior que o mongol de Gêngis Khan. Contudo, diferentemente dos seus “concorrentes” elencados acima, o império britânico foi uma construção secular, quase milenar, e não fruto do espírito engajado e obstinado de um único indivíduo durante seu curto período de vida na Terra.

REFERÊNCIAS:
AGUIAR, LÍVIA. 10 maiores conquistadores de terras. Acesso em: 18. Fev. 2016.
BEZERRA, Eudes. As irresistíveis hordas mongóis de Gêngis Khan. Acesso em: 21 fev. 2016.
CAWTHORNE, Nigel. Os 100 Maiores Líderes Militares da História. trad. Pedro Libânio. Rio de Janeiro: DIFEL, 2010.
CUMMINS, Joseph. As Maiores Guerras da História. trad. Vania Cury. Rio de Janeiro: Ediouro, 2012.
GILBERT, Adrian. Enciclopédia das Guerras: Conflitos Mundiais Através do Tempo. trad. Roger dos Santos. São Paulo: M. Books, 2005.
GIORDANI, Mário Curtis. História da Antiguidade Oriental. 13 ed. Petrópolis: Vozes, 1969.
VILAR, Leandro. Tamerlão, o “homem de ferro”. Acesso em: 21 fev. 2016.
IMAGEM(NS):
A equipe do Museu de Imagens buscou informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário