sábado, 15 de outubro de 2016

A verdadeira história da Lista de Schindler

A “Lista de Schindler” é um famoso filme, dirigido por Steven Spielberg,
 que conta a história de um industrial alemão que salva as vidas de




 milhares de judeus. Conta-se que Schindler era dono de uma fábrica
 de armamentos, na qual trabalhavam muitos judeus. Paradoxalmente 
Schindler era filiado ao Partido Nazista. A origem de seus empregados
 remete ao gueto de Cracóvia e muitos moradores desse gueto foram 
parar no campo de concentração de Plaszow. É daí que Schindler tirou
 a mão de obra de sua indústria.
Os operários de Schindler trabalhavam o dia inteiro e ao anoitecer voltavam para o campo de
 concentração. Quando os oficiais de Plaszow receberam ordens de desativar o campo de
 concentração (e isso significava mandar os prisioneiros para outro lugar, onde seriam mortos), 
em decorrência do avanço das tropas russas, Schindler, através do suborno desses oficiais,
 conseguiu convencê-los de que necessitava daqueles funcionários “especializados”, e criou a
 famigerada “lista de Schindler”. Os nomes que aí constavam foram transferidos para uma

 fábrica na cidade natal do industrial.


Quando a guerra terminou, 1200 mulheres, crianças e homens foram 
salvos graças aos esforços desse homem. O governo de Israel lhe con
cedeu
 uma pensão vitalícia pelas vidas dos judeus salvos, e pelo seu
 humanismo.
 Enquanto a guerra durou se tornou próspero, porém gastou todo 
seu dinheiro 
ajudando judeus a fugir da Alemanha e com empreendimentos que 
não deram
 certo. Seu nome está inscrito junto a uma árvore plantada por ele,
 localizada
 numa avenida de Israel, ao lado de outras personalidades não judias
, mas
 que pelas atividade humanitárias em favor das vidas de milhares de
 judeus, 
se tornaram verdadeiros heróis.
Em 1974, morreu pobre num hospital de Hildesheim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário