domingo, 13 de novembro de 2016

Você colhe o que é semeado

Leis Espirituais da Colheita










 

 
Todos desejamos viver uma vida significativa. Todos desejamos ser bem-sucedidos na profissão, no casamento, na família, no ministério. Mas muitas vezes levamos uma vida passiva, torcendo para que as coisas deem certo e, assim, sermos realizados. Mas a Bíblia nos ensina algo bem diferente disso. Ela revela a nossa responsabilidade com os resultados de tudo na nossa vida:
Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente. Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boTa obra. 2 Coríntios 9.6-8
Quando sonhamos com coisas grandes, queremos vê-las prontas. Este texto, no entanto, nos fala de sementes, algo tão pequeno, mas com um enorme potencial para gerar coisas enormes. Para ocorrer um milagre na sua vida, é necessário que uma semente seja plantada hoje. O que você vai colher até o final deste ano virá das sementes que você plantou ao longo da sua vida.
A Palavra de Deus nos fala de Leis Espirituais da Colheita. Vamos dar uma olhada nelas.
1ª Lei – A colheita é proporcional à semeadura
Aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente, 2 Coríntios 9.6.
E podemos completar: aquele que não semeia nada, nada colherá. Quem é que planta duas sementes de milho em um vaso na varanda de casa e espera colher uma safra recorde? Se eu planto em um vaso, é claro que tenho uma noção do retorno que aquilo me dará. É uma questão de bom senso. Mas na nossa vida, parece que perdemos esse bom senso. Temos sido muito parcimoniosos em nossos plantios, mas muito exagerados nas nossas expectativas de colheita. Muita frustração profissional, em casamentos e namoros, em liderança de Células, na paternidade, muitas vezes, é em função disso. Não houve investimento, não se dedicou o quanto deveria e agora fica triste, pois esperava um resultado muito melhor. Parece brincadeira, não é? Um agricultor sábio planta a quantidade de sementes que espera ou necessita colher. Nós deveríamos fazer o mesmo.
2ª Lei – A colheita é da mesma espécie da semeadura
Pois o que o homem semear, isso também colherá.  Gálatas 6.7
Nos nossos relacionamentos queremos colher paz, alegria, harmonia. E o que estamos plantando hoje? Gritaria, conflitos, desrespeito, negociações sem fim… Após algum tempo, o que iremos colher? É dolorosamente óbvio que a nossa colheita é em função do que semeamos. Jamais vamos colher paz se não semearmos sementes de paz. Jamais vamos colher atitudes de generosidade se não semearmos sementes de generosidade. Um casal que planta sementes de fidelidade, companheirismo, respeito em pequenas coisas, vai colher exatamente isso. Na continuação da passagem de Gálatas citado acima, vemos que, se plantarmos para o Espírito, colheremos vida, mas se plantarmos para a nossa natureza humana, dela colheremos morte. Um agricultor planta sementes daquilo que ele deseja colher. Nós deveríamos fazer o mesmo.
3ª Lei – A colheita só vem após a semeadura
O Reino de Deus é semelhante a um homem que lança a semente… Logo que o grão fica maduro, o homem lhe passa a foice, porque chegou a colheita.  Marcos 4.26-29
Mais uma lei que quase nos ofende de tão óbvia. Como colher se não plantar? O problema é que não queremos plantar nem esperar o tempo da colheita. Queremos apenas colher – agora! Sonhamos com algo e pronto. Agora, queremos usufruir aquilo que sonhamos, simples assim. O sucesso das loterias é a promessa de se colher aquilo que não se plantou. As pessoas ficam alucinadas com essa ideia. E milhões e milhões gastam aquilo que efetivamente colheram com muito trabalho para se arriscar a ganhar o que não tiveram de plantar. Os cônjuges querem colher no seu casamento aquilo que não plantaram e quando não colhem, ficam decepcionados com isso… É um contrassenso. Um agricultor que deseja colher algo, primeiro planta e depois aguarda pacientemente o tempo da colheita. Nós deveríamos fazer o mesmo.
4ª Lei – A colheita é sempre maior do que a semeadura
Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão. Aquele que sai chorando enquanto lança a semente, voltará com cantos de alegria, trazendo os seus feixes.     Salmo 126.5-6
Repare que o texto diz que a pessoa lança “a semente”, mas volta trazendo “os seus feixes”. É claro que a expectativa da colheita é de ser muito maior do que o que se plantou. Mais uma coisa extremamente óbvia. Imagine uma pessoa que preparasse a terra, plantasse a semente, cultivasse a plantação durante meses e depois realizasse todo o trabalho da colheita. E ao contabilizar a safra colhida, concluísse que obteve a mesma quantidade que plantou. Plantou um saco de milho e, depois de todo o trabalho, colheu um saco de milho… Quem, em sã consciência, plantaria uma única semente? Ninguém! Mas não é isso o que acontece. Alguém fez um estudo em que duas sementes de milho podem gerar até 3200 sementes. Uau! Aí sim, vale a pena plantar. E eu não preciso plantar 3200 sementes. Preciso plantar duas. A multiplicação é por conta de Deus. Um agricultor planta sementes, pois sabe que a colheita será muito maior do que aquilo que ele plantou. Nós deveríamos fazer o mesmo.
E as sementes para plantar?
Alguém pode alegar: “Mas eu não tenho sementes para plantar…”
Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e aumentará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça. Vocês serão enriquecidos de todas as formas, para que possam ser generosos em qualquer ocasião e, por nosso intermédio, a sua generosidade resulte em ação de graças a Deus.    2 Coríntios 9.10-11
Vamos dizer que você precisa perdoar alguém, mas não sabe como. Peça a Deus uma semente de perdão. Algo pequeno, quase insignificante. Pegue e plante essa semente de perdão. Um pequeno gesto. Assim a sua vida vai sendo transformada e, em algum tempo, o perdão fará parte do seu dia a dia. E que tal um gesto de humildade, ou de carinho, ou de amor? Imagine o que isso pode gerar. Lembre-se: 2 para 3200. É Deus quem vai dar tudo que precisamos. É Deus quem vai dar a semente. É Deus quem vai multiplicar o que plantamos. 
Precisamos de fé para plantar. Sem fé não plantamos nada. Precisamos enxergar pela fé o que vamos colher. Um agricultor planta suas sementes crendo que, após o tempo adequado, ele colherá uma grande safra. Nós também deveríamos fazer o mesmo.
Quais sementes você vai plantar neste ano?

Nenhum comentário:

Postar um comentário