terça-feira, 23 de maio de 2017

Carl Jung acusou a Força Aérea norte-americana de acobertar informações sobre UFOs


dnot_10051

Carl Jung, uma das primeiras pessoas com credibilidade e reputação a denunciar o acobertamento de informações sobre UFOs

Conhecido psicanalista analisou a questão ufológica do ponto de vista psicológico, e órgãos de Inteligência temiam seu envolvimento e de outras personalidades com o assunto

Os documentos liberados recentemente pela Agência Central de Inteligência (CIA) continuam a repercutir fortemente, com mais revelações surpreendentes vindo à tona de tempos em tempos. Os papéis permitem traçar um panorama de como o governo norte-americano lidou com o Fenômeno UFO e as pessoas nele interessadas. Um exemplo é o famoso caso ocorrido sobre Washington em 1952, que obrigou o próprio presidente na ocasião, Harry Truman, a responder aos questionamentos da imprensa. Em seguida o assunto dos UFOs foi envolvido em uma cortina de segredos ainda mais espessa do que antes.
Documentos mais recentes mostram como a questão ufológica foi classificada dentro dos chamados Programas de Acesso Especial, tão sensíveis que não precisavam passar por supervisão do Congresso. Roscoe Hilenkoetter, antigo chefe da CIA, chegou a afirmar: “Nos bastidores, oficiais de alta patente da Força Aérea (USAF) estão muito preocupados com os UFOs. Mas por meio do segredo oficial e os programas para ridicularizar o assunto, muitos cidadãos estão sendo levados a acreditar que os discos voadores são uma bobagem”. E, mesmo diante da maior abertura de hoje e a farta utilização da Lei de Liberdade de Informações, há fartas evidências que o governo ainda oculta a maior parte do que sabe da população.
Um novo documento comprova ainda o temor dos organismos de Inteligência quanto a figuras públicas e de elevada reputação se interessarem pelos UFOs. Um desses papéis é de autoria de certo Fred A. Kirsch. Ele destaca o interesse do famoso psiquiatra e psicanalista Dr. Carl Gustav Jung pelos discos voadores, além de suas acusações de que a USAF acobertava evidências a respeito. Kirsch aponta que Jung não foi a primeira pessoa de elevada integridade e reputação a fazer tais acusações, mas na época era meramente a mais recente. O documento prossegue: “Essas acusações foram feitas também pelo almirante Demar Fahrney, ex-diretor do programa de pesquisa naval de mísseis guiados, e por Roscoe Hilenkoeter, ex-chefe da CIA. Se fosse apenas Jung que fizesse as acusações poderíamos tratar como mera bobagem. Mas quando um grande número de pilotos, operadores de radar e outros observadores treinados afirmam que os UFOs são reais, precisamos fazer uma séria reavaliação da situação”.
ANALISANDO A QUESTÃO PSICOLÓGICA DOS UFOS


CRÉDITO: ARQUIVO
Flying Saucers: A Modern Myth of Things Seen in the Sky, livro de Carl Jung
Flying Saucers: A Modern Myth of Things Seen in the Sky, livro de Carl Jung

 O documento comprova a preocupação da CIA com o envolvimento de pessoas altamente capacitadas e de elevada reputação e credibilidade com a questão ufológica. O Dr. Carl Jung sem dúvida levava em conta a possibilidade de que boa parte dos UFOs fossem naves extraterrestres em visita a nosso planeta, e especulou a respeito em seu livro Flying Saucers: A Modern Myth of Things Seen in the Sky. Jung estudou os UFOs por mais de uma década, e disse: “Não posso afirmar se eles existem ou não, e sei que estou arriscando minha reputação duramente conquistada, além de minha confiabilidade e capacidade de julgamento científico”.
Ele também disse que analisou um número considerável de casos, incluindo duas testemunhas que conhecia pessoalmente. Carl Jung chegou à conclusão de que não era um rumor, e sim que algo estava acontecendo, e disse: “O que me espanta é que a Força Aérea norte-americana, apesar de toda informação que possui e alegando seu temor em criar pânico, trabalha sistematicamente nessa direção, como se fosse a Guerra dos Mundos de Orson Welles em 1938. Eles nunca publicaram um relatório dos fatos autêntico e honesto, e somente de forma ocasional permitiram que alguma informação fosse obtida por jornalistas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário