sábado, 24 de junho de 2017

Conheça a misteriosa Dinastia Zero do Egito Descobertas podem mudar reescrever a história!

Descobertas podem mudar reescrever a história! 

Vídeo relacionado: A história oficial do Egito começa por volta do ano de 3100 a.C., quando Narmer, ou Menés, tornou-se o primeiro rei unificador. Mas, aparentemente, houve outros governantes poderosos antes dele: a chamada Dinastia Zero. 

Uma escavação realizada em Abidos, templo dedicado a Osíris, revelou a presença de vários túmulos de reis anteriores a Narmer, os quais possuíam todas as características correspondentes a faraós (como a famosa barba cerimonial, o báculo do pastor e o fuste). 

Um dos túmulos descobertos pertencia a um rei chamado Escorpião II, que, em 3200 a.C., controlava todo o vale do Nilo, embora, possivelmente, não o Delta, como seu sucessor Narmer, ou Menés. Esse governante aparece nas tabuinhas cerimoniais com a coroa branca que identifica os soberanos do Alto Egito e do Vale do Nilo. Porém, o fato mais surpreendente dessa descoberta foi a presença de tabuinhas contendo o que parecem ser hieróglifos primitivos. 

Se confirmado, isso indicaria que a escrita egípcia teria se desenvolvido de forma independente e sem ligações com a escrita cuneiforme da Mesopotâmia, como se pensava até o momento. Os pesquisadores acreditam que é possível que o rei Escorpião II tenha ordenado a criação de uma linguagem escrita para facilitar o comércio com outras civilizações. A chamada Dinastia Zero abre as portas para um Egito antigo, anterior ao Egito clássico, e poderá ser o verdadeiro berço da civilização. 

Fonte: La Region
Imagem: Shutterstock


Nenhum comentário:

Postar um comentário