domingo, 25 de agosto de 2013

ALGUNS PRINCÍPIOS DE TEOSOFIA




SABEDORIA ANTIGA – profundo e vasto conhecimento sobre nós próprios, nosso propósito na vida, a natureza, o universo, os mais altos princípios divinos e a longa pré-história do homem nesta terra. A Teosofia é a porção do conhecimento antigo trazido a nós por H.P. Blavatsky no fim do século XIX, como foi a ela ensinado pelos seus Instrutores no Tibet.

Alguns de seus princípios são:

* Tudo no universo origina-se de uma fonte ilimitada, eterna, incognoscível. Depois de um período de existência manifestada, o universo retorna a essa fonte.

* O universo em si é um todo orgânico, vivo, inteligente, consciente e divino.

* As leis da natureza são o resultado de forças inteligentes.

* A lei do carma preside todo o universo. Ela opera em todos os níveis, assegurando justiça, harmonia e equilíbrio.

* Nós reencarnamos em vidas sucessivas. Quando chegamos ao nível humano, não retrocedemos às formas animais.

* A lei do carma age sobre nossas vidas sucessivas para garantir a justiça. (Não podemos nos livrar dessa lei). Nós somos a causa de cada alegria e dor de nossa própria vida.

* Uma lei de ciclos fornece uma estrutura fundamental em todos os níveis. Dois exemplos são: nosso padrão de reencarnação e as contínuas "vidas" do universo quando ele aparece e, então, retorna à sua origem.

* A analogia e a correspondência fornecem uma estrutura fundamental ao universo. Esta é uma afirmação ampla do axioma: "Assim em cima, como embaixo".

* A evolução se aplica, em grande escala, a toda a vida.

* A alma é envolvida neste mundo de matéria. Ela tem experiências e aprende. A alma, então, empreende seu caminho de volta, numa longa peregrinação à sua fonte primal. Isto também segue um padrão cíclico.

* Esta evolução ganha experiência, autoconsciência e uma perfeição sempre crescente. A evolução ocorre nos planos físico, mental e espiritual.

*A "sobrevivência do mais forte" junto com a acumulação gradual de pequenas mudanças vantajosas não explica a "origem das espécies". A origem das espécies deve-se a um plano inteligente.

*A humanidade passou por uma evolução significativa em longos períodos nos continentes (não ilhas) da Atlântida e da Lemúria.

*Há uma constituição setenária do homem, desde o plano físico até o puramente espiritual.

* Os pensamentos são objetos tangíveis nos planos mais altos. Cada pensamento e ação exerce um efeito sobre nós e nosso entorno e tem consequência cármicas.

* Os três planos mais altos dessa constituição formam o "Eu Superior" e é este que reencarna de vida em vida e acumula experiência, lições e virtudes. Os planos mais baixos formam o "eu inferior" e são o veículo usado pelo eu superior enquanto este vive neste nível ativo e de testes da vida encarnada.

* No momento da morte, temos uma revisão da nossa vida passada – enquanto nos despimos desta moldura física. Após um curto período, que varia muito entre os indivíduos, jogamos fora os outros aspectos inferiores de nossa constituição e o eu reencarnante começa um longo período de descanso merecido, cheio de misericórdia, antes do próximo nascimento.

* Freqüentemente, durante esta vida, nossa natureza espiritual é obscurecida por nossa vida diária autocentrada, quando alimentamos nossas necessidades e desejos imediatos. Mas o eu espiritual está sempre lá para nos guiar se o buscarmos com nosso forte e honesto desejo.

PRINCÍPIOS DA TEOSOFIA - JINARAJADASA- WWW.EDITORATEOSOFICA.COM.BR

terça-feira, 20 de agosto de 2013

VIVER SONHANDO!!!





Nas mais diversificadas artes de viver, sem dúvida, alocarmos uma direção em nosso viver, bem como, anteciparmos a realização de um projeto que insere tempo determinado para acontecer requer muita ENERGIA e muitos SONHOS. E não ficamos somente nisso, correto?!!! Há, também, que nos completarmos diàriamente com a energia da esperança e de pensamentos positivos. No transcorrer de meu dia a dia, quer no consultório, no laser, ou, em outra atividade social qualquer, percebo que algumas pessoas acima dos cinqüenta anos dizem que não têm mais direito aos sonhos e que estão envelhecidos para recomeçar a vida. Será? Envelhecer faz parte da vida e o recomeçar pode acontecer em qualquer momento. Necessitamos isto sim, aprender a lidar com os novos limites que a idade avançada nos outorga. Se assim procedermos a vida se nos apresentará plena de conquistas e realizações de nossos sonhos. Sabemos que a aposentadoria nos coloca de algum modo, em crise de identidade. Normalmente reduz nosso padrão de vida o que sempre gera incômodos e preocupações e , as vezes, processos depressivos pois já não nos sentimos mais muito importante para o outro e esse sentimento de frustração nos faz ficar negativista, com alergias no corpo, apatia geral, mal estar e cansaço permanentes. Pode até mesmo nos afastar das atividades sociais e familiares " latu sensu ". Perdemos o equilíbrio emocional e passamos a conviver com processos de baixa-estima. Quando assim nos sentimos, devemos redobrar nossa atenção para conosco. Nos lançarmos na vida. Gerar novos sonhos. Acreditar que podemos realizá-los. Promovermos qualquer atividade que nos dê prazer, manter-se em movimento sempre para nos sentirmos cada dia mais auto- valorizados. Retomar a auto-estima o bem-estar e a qualidade de vida. Esqueça o que fez no passado, também no que deixou de fazer e liberte o seu potencial para fazer novas coisas no presente. Sonhe e realize novos projetos que o levem a caminhar de mãos dadas com uma vida plena de felicidade e de acontecimentos que fazem rejuvenecer nossa mente e corpo, com todos os limites que a idade avançada nos outorga. EXPERIMENTE!!! No meu caso, dentre muitos sonhos e atividades, o MOTOCICLÍSMO DE VIAGEM muito têm ajudado. Pode crêr!!!!
                                                          MARCOS    FIORAVANTI
                                                                   06/FEV/2013

REGISTRO PARA A HISTÓRIA FUTURA





LULA VOCÊ É UM CANALHA:
Não há neste artigo uma só frase mentirosa. Pelo contrário, todas elas são verdades incontestáveis. Parabéns Caio Lucas, seja lá você quem for.
Você conseguiu traduzir toda a repudia que sinto por essa figura maligna.

PUBLICO >

O homem que esteve à frente desta nação e não teve coragem, nem competência, nem vontade para implantar reforma alguma neste país, pois as reformas tributárias e trabalhistas nunca saíram do papel, e a educação, a saúde e a segurança ficaram piores do que nunca.

O homem que mais teve amigos safados e aliados envolvidos, da cueca ao pescoço, em corrupção e roubalheira, gastando com os cartões corporativos e dentro de todos os tipos de esquemas.

O homem que conseguiu inchar o Estado brasileiro e as empresas estatais com tantos e tantos funcionários, tão vagabundos quanto ele, e ainda assim fazê-lo funcionar pior do que antes.

O homem que tem uma mulher medíocre, inútil, vulgar e gastadeira, que usava, indevidamente e desbragadamente, um cartão corporativo, ao qual ela não tinha direito constitucional, que ia de avião presidencial para São Paulo "fazer escova" no cabelo e retornar a Brasília.

O homem que ajudou seu filho a enriquecer, tornando-o milionário do dia para a noite, sem esforço próprio algum, só à custa de conchavos com empresas interessadas em mamar nas “tetas” do governo. E depois ainda disse para a nação que “esse garoto é um fenômeno”, e lhe concedeu um passaporte diplomático.

O homem que mais viajou inutilmente, quando presidente deste país, comprando um avião caríssimo só para viajar pelo mundo e hospedar-se à custa da nação brasileira nos mais caros hotéis, tão futilmente e às custas dos impostos que extorquiu do povo.

O homem que aceitou passivamente todas as ações e humilhações contra o Brasil e contra os brasileiros diante da Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai.

O homem que, perdulária e irresponsavelmente, e debochando da nossa inteligência, perdoou dívidas de países também corruptos, cujos mandatários são “esquerdistas”, e enviou dinheiro a título de doação para eles, esquecendo-se que no Brasil também temos miseráveis, carentes de bons hospitais, de escolas decentes e de um lugar digno para viver.

O homem que, por tudo isso e mais um elenco de coisas imorais e absurdas, transformou este país num chiqueiro libertino e sem futuro para quem não está no seu "grande esquema".

O homem que transformou o Brasil em abrigo de marginais internacionais, FARC'anos etc., negando-se, por exemplo, a extraditar um criminoso vaga-bundo, para um país democrático que o julgou e condenou democraticamente. Esse homem representa o que mais nos envergonha pelo Mundo afora!!

O homem que transformou corruptos e bandidos do passado em aliados de primeira linha.

O homem que transformou o Brasil num país de parasitas e vagabundos, com o Bolsa-Família, com o repasse sem limite de recursos ao MST, o maior latifúndio improdutivo do mundo e abrigo de bandidos e vagabundos e que manipulam alguns ingênuos e verdadeiros colonos.

Para se justificar a estes novos vagabundos, o homem lhes afirma ser desnecessário ESTUDAR e que, para se "dar bem" neste País, basta ser vagabundo, safado, esquerdista e esperto. Aliás, neste caso, o homem fez inverter uma das mais importantes Leis da Física, que é a Lei da Atração e repulsão; significa que força de idênticos sinais se repelem e as de sinais contrários se atraem. Mas esse homem inventou que forças do mesmo sinal se atraem. Por exemplo: ele (o homem) atrai, para sua base, políticos como JOSÉ SARNEY, COLLOR, RENAN... Que ficaram amiguinhos de seus comparsas JOSÉ DIRCEU, GENOÍNO, GUSCHIQUEN, e ainda agregaram o apoio de juristas como LEWANDOVSKI, TOFOLI, etc. ...

É, homem... Você é o cara... É o cara-de-pau mais descarado que o Brasil já conheceu.

Você é o homem que deveria apanhar na cara, porque envergonha todo brasileiro honesto e trabalhador.

É, homem, você é o cara... É o cara que não tem um pingo de vergonha na cara, não tem escrúpulos, é "o cara" mais nocivo que tivemos a infelicidade de ter como presidente do Brasil!

Mas...como diz o velho ditado popular:
NÃO HÁ MAL QUE SEMPRE DURE...

IMPÉRIO ÁRABE



introdução 
O Império Árabe teve sua formação a partir da origem do islamismo, religião fundada pelo profeta Maomé. Antes disso, a Arábia era composta por povos semitas que, até o século VII, viviam em diferentes tribos. Apesar de falarem a mesma língua, estes povos possuíam diferentes estilos de vida e de crenças. 
Arabia pré-islâmica 
Os beduínos eram nômades e levavam uma vida difícil no deserto, utilizando como meio de sobrevivência o camelo, animal do qual retiravam seu alimento (leite e carne) e vestimentas (feitas com o pêlo). Com suas caravanas, praticavam o comércio de vários produtos pelas cidades da região. Já as tribos coraixitas, habitavam a região litorânea e viviam do comércio fixo.
Expansão do islamismo e a formação do império 
Foi após a morte do profeta, em 632, que a Arábia foi unificada. A partir desta união, impulsionada pela doutrina religiosa islamita, foi iniciada a expansão do império árabe.  Os árabes foram liderados por um califa, espécie de chefe político, militar e religioso.
Os seguidores do alcorão, livro sagrado,  acreditavam que deveriam converter todos ao islamismo através da Guerra Santa. Firmes nesta crença, eles expandiram sua religião ao Iêmen, Pérsia, Síria, Omã, Egito e Palestina. Em 711, dominaram grande parte da península ibérica, espalhando sua cultura pela região da Espanha e Portugal. Em 732, foram vencidos pelos francos, que barraram a expansão deste povo pelo norte da Europa. Aos poucos, novas dinastias foram surgindo e o império foi perdendo grande parte de seu poder e força. 
Expansão da cultura árabe 
Durante o período de conquistas, ampliaram seu conhecimento através da absorção das culturas de outros povos, levando-as adiante a cada nova conquista. Foram eles que espalharam pela Europa grandes nomes como o de Aristóteles e também outros nomes da antiguidade grega. Eles fizeram ainda importantes avanços e descobertas médicas e cientificas que contribuíram com o desenvolvimento do mundo ocidental. 
No campo cultural, artístico e literário deixaram grandes contribuições. A cultura árabe caracterizou-se pela construção de maravilhosos palácios e mesquitas. Destacam-se, nestas construções, os arabescos para ilustração e decoração. A literatura também teve um grande valor, com obras até hoje conhecidas no Ocidente, tais como: As mil e uma noites, As minas do rei Salomão e Ali Babá e os quarenta ladrões.

História do Islamismo


Maomé , História da religião islâmica, doutrinas , Alcorão, Expansão do Império Islâmico, preceitos religiosos,
Festas e lugares sagrados , Divisões do Islamismo
, império árabe.

Caaba na cidade de Meca: local sagrado dos muçulmanos
Introdução
A religião muçulmana tem crescido nos últimos anos (atualmente é a segunda maior do mundo) e está presente em todos os continentes. Porém, a maior parte de seguidores do islamismo encontra-se nos países árabes do Oriente Médio e do norte da África. Assim como as religiões cristãs, a religião muçulmana é monoteísta, ou seja, crê na existência de apenas um deus, Alá ou Allah (palavra para designar Deus em árabe).
Criada pelo profeta Maomé, a doutrina muçulmana encontra-se no livro sagrado, o Alcorão ou Corão. Foi fundada na região da atual Arábia Saudita.
Vida do profeta Maomé
Muhammad (Maomé) era da tribo de coraich e nasceu na cidade de Meca no ano de 570. Filho de uma família de comerciantes, passou parte da juventude viajando com os pais e conhecendo diferentes culturas e religiões. Aos 40 anos de idade, de acordo com a tradição, recebeu a visita do anjo Gabriel que lhe transmitiu a existência de um único Deus. A partir deste momento, começa sua fase de pregação da doutrina monoteísta, porém encontra grande resistência e oposição. As tribos árabes seguiam até então uma religião politeísta, com a existência de vários deuses tribais.
Maomé começou a ser perseguido e teve que emigrar para a cidade de Medina no ano de 622. Este acontecimento é conhecido como Hégira e marca o início do calendário muçulmano.
Em Medina, Maomé é bem acolhido e reconhecido como líder religioso. Consegue unificar e estabelecer a paz entre as tribos árabes e implanta a religião monoteísta. Ao retornar para Meca, consegue implantar a religião muçulmana que passa a ser aceita e começa a se expandir pela península Arábica.
Reconhecido como líder religioso e profeta, faleceu no ano de 632. Porém, a religião continuou crescendo após sua morte.

Livros Sagrados e doutrinas religiosas
O Alcorão ou Corão é um livro sagrado que reúne as revelações que o profeta Maomé recebeu do anjo Gabriel. Este livro é dividido em 114 capítulos (suras). Entre tantos ensinamentos contidos, destacam-se: onipotência de Deus (Alá), importância de praticar a bondade, generosidade e justiça no relacionamento social. O Alcorão também registra tradições religiosas, passagens do Antigo Testamento judaico e cristão.
Os muçulmanos acreditam na vida após a morte e no Juízo Final, com a ressurreição de todos os mortos.
A outra fonte religiosa dos muçulmanos é a Suna que reúne os dizeres e feitos do profeta Maomé.

Preceitos religiosos
A Sharia define as práticas de vida dos muçulmanos, com relação ao comportamento, atitudes e alimentação. De acordo com a Sharia, todo muçulmano deve seguir cinco princípios:
- Aceitar Deus como único e Muhammad (Maomé) como seu profeta;
- Dar esmola (Zakat) de no mínimo 2,5% de seus rendimentos para os necessitados;
- Fazer a peregrinação à cidade de Meca pelo menos uma vez na vida, desde que para isso possua recursos;
- Realização diária das orações;
- Jejuar no mês de Ramadã com objetivo de desenvolver a paciência e a reflexão.
Locais sagrados
Para os muçulmanos, existem três locais sagrados: A cidade de Meca, onde fica a pedra negra, também conhecida como Caaba. A cidade de Medina, local onde Maomé construiu a primeira Mesquita (templo religioso dos muçulmanos). A cidade de Jerusalém, cidade onde o profeta subiu ao céu e foi ao paraíso para encontrar com Moises e Jesus.

Divisões do Islamismo
Os seguidores da religião muçulmana se dividem em dois grupos principais : sunitas e xiitas. Aproximadamente 85% dos muçulmanos do mundo fazem parte do grupo sunita. De acordo com os sunitas, a autoridade espiritual pertence a toda comunidade. Os xiitas também possuem sua própria interpretação da Sharia.

HINDUÍSMO




A VERDADE ETERNA
SÉRIE DE ESTUDOS SOBRE AS MATRIZES RELIGIOSAS
O nome Hinduísmo foi dado no século XIX ao conjunto de religiões existentes na índia. A palavra provém do persa hindu, em sânscrito, shindhu, significa rio, e refere-se às pessoas que viviam no vale do Indo. Também significa Indiano. Segundo a visão que tem de si, o hinduísmo não possui origem: É o caminho eterno que segue as regras e exigências básicas da ordem cósmicas à medida que passa por ciclos infinitos.
A casta social onde o indivíduo nasce é, portanto, indicação de seu status espiritual. Almeja-se a libertação do ciclo de reencarnações em várias formas, animais e humanas. Sua posição é determinada pelo Karma.O ascetismo e a disciplina da ioga são praticados com o intuito de atingir essa libertação.
Não existe um cânone definido de livros sagrados. Os quatro Vedas, são os mais antigos textos literários sânscritos conhecidos do período bramânico, são 1.200 hinos e magias sacrificiais compilados de uma antiga tradição oral e dirigidos a várias divindades, como as do fogo e do vento.
Para o homem comum, o hinduísmo significa também a observação cuidadosa de regras quanto ao casamento, alimentação, peregrinação a rios e lugares sagrados, participação e adoração nos templos sagrados em cada aldeia.
Em muitos séculos o Hinduísmo produziu várias reformas que produziram outros movimentos como é o caso do Budismo. As modernas condições sociais e culturais trouxeram mudanças no sistema de castas e ainda no status social das mulheres.
O mais velho deles, O Rig Veda, remonta 1.200 a.C.; O quarto livro, o Atharva Veda, data de 900 a.C. e consiste principalmente em fórmulas e encantamentos; os Brahmanas, associados aos Vedas, são instruções rituais. Em outro momento deu-se origem a trabalhos filosóficos como os Aranyakas, ou livros da floresta e mais tarde, os Upanixades. Entre esses existe um poema famoso que é o mahabharata, um relato das guerras da casa de Bharata. Nele há uma seção chamada Bhagavad Gita, “ A canção do Senhor”, poema famoso pelo diálogo de Krishna, um dos avatares de Vishnu, e seu auriga, Arjuna.
1 – Deuses e Castas
A sociedade foi dividida em quatro grandes grupos, denominados varnas (castas), com direitos, deveres, previlégios e práticas religiosas diferenciados. De acordo com o hinduísmo os Varnas passaram existir na criação do mundo.
BRAHMA
É o primeiro deus da trindade Hindu.
Para os Hindus, o universo vive sendo destruído para ser reconstruído novamente por Brahma, eternamente.
Sem ele nada existiria. É o primeiro deus da Trindade Hindu: Brahma, Vishnu e Shiva.
SHIVA – O destruidor
Shiva é o terceiro deus da trindade Hindu; ou trimirti, junto com Vishnu e Brahma. Ele é tudo, logo, aparece de muitas formas diferentes. Tem mais de mil nomes, como (Maheshvara) Senhor do conhecimento, (Mahakala) Senhor do Tempo. Ele é o criador e é o destruidor e preservador, e normalmente é retratado em três faces: Duas opostas, como machoe fêmea, grande iogue e chefe de família diligente, ou Bhairava, o destruidor, e a terceira, serena e pacífica, as reconcilia.
MAHADEVI – A deusa mãe
Manifesta-se tanto como consorte das principais divindaes masculinas hindus como de uma forma genérica, várias deuses e mulheres, que podem ser benignas e frutuosas, como Laskshmi ou Parvati, ou poderosas e destrutivas, como kali e Durga. Por toda a India a muitos templos erguidos a essas deusas.
VISHNU – O preservador
“Aquele que toma muitas formas”, não era proeminente nos Vedas, mas tornou-se uma importante divindade e um membro da trindade Hindu. Ele preserva o universo.
Além das divindades principais, Shiva, Brahma e as deusas, há numerosas outras que ocupam importantes posições no panteão hindu.
Surya (o deus do sol), Agni (o deus do fogo), Indra (o deus da guerra), Vayu (o deus do vento), Duas reencarnações do deus Vishnu (Narasinha, o leão, e Varaha, o javali, provavelmente remontam sua origem aos cultos locais de animais. Três dos deuses importantes: Hanuman (o deus macaco) e os dois filhos de Shiva e Parvati: Ganeshi (o deus da cabeça de elefante e o jovial Kartkeyya.
GANESH
Filho de Shiva, Com cabeça de elefante, É talvez o Deus mais popular. É sábio, ponderado e bem versado nas escrituras. É invocado pelos crentes antes de qualquer empreendimento para assegurar o seu êxito.
Matsia: O Peixe de Chifres que representa a intercessão de Vishnu no tempo do Dilúvio Universal. O peixe avisou Manu (que é o Noé Hindu) e salvou-o com o barco preso aos seus chifres.
Curma: A tartaruga. È o segundo avatar de Vishnu que apareceu na Terra depois doDilúvio para recuperar os tesouros.
Varaa: O Javali. Originalmente o Porco Sagrado de um culto primitivo, tornou-se num avatar de Vishnu depois de um segundo Dilúvio. Cavando sob a água com as presas, ele fez subir a terra e reestabeleceu a terra firme.
Narasima: O Leão-Homem que foi um avatar de Vishnu. Brahma tinha dado invulnerabilidade a um Demônio durante o dia e durante a noite. O avatar matou o demônio até ao crespúsculo.
Vamana: O Anão, É outro avatar que se tornou num gigante para frustrar um Demônio que procurava controlar o Universo. Tendo permissão para conservar tudo o que pudesse cobrir com três passos, Vamana abrangeu o céu, a terra e o ar intermediário.
Parasurama: Foi Vishnu como filho de um Brâmane roubado pelo rei Kshatryia. Parasurama matou o rei, cujos os filhos por sua vez mataram o Brâmane. Então Parasurama matou todos os Kshatryias masculinos durante 21 gerações.
Rama: O Herói da epopéia literário-religiosa “O Ramaiana”, Foi um outro avatar de Vishnu que venceu Ravana, o mais terrível Demônio do Mundo. Rama representa o Hindu ideal: um marido gentil, um rei bondoso e um chefe corajoso contra a opressão.
Krishna: O avatar mais importante de Vishnu, Foi um Deus-Herói amado pelos seus aspectos: como um menino travesso, como um adolescente amoroso, como um herói adulto que proferiu as grandes lições do “Bagavad Gita”. Esses aspectos de Krishna tiveram origens diferentes: árias, dravídicas e talvez cristãs.
Lacshimi: Mulher de Vishnu. Muitas vezes aparece sentada numa flor de Lótus e empunhando outra, Representa a Boa Sorte. Os seus companheiros são dois elefantes. Sendo por si mesma uma importante Deusa.
Sita: Mulher de Rama que é um avatar de Vishnu. Ela é uma encarnação de Lacshimi. Representa a esposa Hindu ideal. Foi rapatada pelo Demônio Ravana e levada para a morada deste, mas permaneceu devotada ao marido.
Hanuman: O Rei dos Macacos que emprestou a sua agilidade, a sua velocidade e a sua força a Rama para ajudar a salvar Sita de Ravana. Pediu em troca que pudesse viver enquanto os homens se lembrassem de Rama. Assim Hanuman tornou-se imortal.
Garuda: Vishnu aparece montado em Garuda, É uma ave mítica de cara branca, de cabeça e asas de águia e corpo e membros de homem. Transporta o Deus no seu cintilante dorso dourado. Muitas vezes era confudida com o Deus do fogo, Ágni.
OS QUATRO ESTÁGIOS DA VIDA:
Segundo a tradição hindu,a vida do homem está dividida em quatro estágios, denominados Ashramas.
Bramacarya: É o estágio da juventude.
Gnhastha: Fase adulta, em que assume o papel de chefe de família.
Vanaprastha: É o estágio do homem idoso
Samnyasin: nesta fase, indivíduo deve renunciar ao mundo.
Esses, são aspectos importantes na doutrina Hindu. Evidentemente, ainda há tantos outros aspectos doutrinários filosóficos. Dentro do Hinduísmo surgem muitas outras religiões como o Jainismo, é importante uma pesquisa sobre esse aspecto para que as informações não fiquem superficiais.
DERIVAÇÕES DO HINDUÍSMO
MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL: Fundada na índia, em 1958, por Maharishi Meheresh Yogi, conta hoje com uns 3 milhões de adeptos no mundo. É uma técnica de relaxamento que visa a eliminar o stress e a tensão atingindo-se o chamado estado de consciência pura. Repetindo mentalmente um mantra (fórmula ritual). O mediante esvazia a mente de forma a atingir o nível mais abstrato da atividade mental.
HARE KRISHNA: Fundada na ìndia em 1986 por Caitanya Mahapraphu e trazida para o Ocidente em 1966 por Bhaktivedanta Suami Prabhupada, considerada Krishina como deus único, criador universal e última morada do espírito, propondo técnicas de Bhakti-ioga (ioga da devoção) como o caminho que permitirá ao fiel integrar-se em sua verdade absoluta.
Teosofia: Fundada em 1875, em Nova Iorque, por Madame Helena Petrovna Blavatsky e Henry Steel Olcott e levada adiante por Besant – Propõe um tipo de meditação que faz a síntese de ensinamentos hinduístas e budistas, em 1913, a seção alemã da Sociedade Teósofica, dirigida por Rudolf Steiner, rompeu com Besant, por não concordar com a atribuição de um papel fundamental a Jesus Cristo na evolução espiritual da humanidade, e criou a Sociedade Antroposófica.