domingo, 28 de dezembro de 2014

Quem são os Irmão Grimm?

Os Irmãos Grimm_Atrás de cada conto de fada há uma história obscura.


Os Irmãos Grimm, Jacob (4 de fevereiro de 1786_20 de setembro de 1863) e Wilhelm (24 de fevereiro de 1786_16 dezembro de 1859), foram dois alemães que se dedicaram ao registro de várias fábulas infantis, ganhado assim grande notoriedade. Também deram grandes contribuições à língua alemã com um dicionário e estudos de linguística e folclore. Seus livros são caracterizados pelo Romantismo, Medievalismo, Historicismo folclórico e um pouco de Goticismo, mas implícito. Os contos coletados por eles eram originalmente somente para adultos, mas eles adaptaram para as crianças também, e ainda assim não haviam "finais felizes" e nem os esteriótipos que a Disney acrescentou aos Contos de Grimm.
Contos mais famosos:
*Branca de Neve
*A Bela Adormecida
*Cinderela
*Rapunzel
*Chapeuzinho Vemelho
*Hansel e Gretel (João e Maria)
*O Flautista de Hamelin
*O Ganso de Ouro
*O Príncipe Sapo
*Os Músico de Bremen
*O Alfaiate Valente
*Os Sete Corvos
*A Protegida de Maria
*As aventuras do Irmão Folgazão
*O Lobo e as Sete Cabras
*Os Três Fios de Ouro de Cabelo do Diabo
*Rumpelstiltskin
Fonte: Wikipedia
Vejam alguns contos de Grimm sendo contado como eram originalmente:
Os Verdadeiros Contos de Fada:
Análise simbólica do Filme "Irmãos Grimm"
Jacob Grimm (Heath Ledger) e Wilhelm Grimm (Matt Damon)
Vamos fazer uma analise simbólica do filme baseado antes na semiótica. A Semiótica Peirceana, ou Semiótica Geral é o estudo de todas as formas de expressões e interpretações de Signos. Signos são formas de comunicações que produzem linguagem e sentido. A Semiótica estuda todas as formas de expressões, de signos, que está em todas as ciências, nos contatos entre as pessoas, e demais seres vivos.
Por exemplo, o filme, pode ser analisado pela Sociologia contando um pouco da época que é retratada, pela Antropologia por mostrar os costumes e crenças de uma população de uma determinada época, ou pode simplesmente ser visto pelo olhar da História por retratar roupas, lugares, construções e aspectos épicos. E é claro, é riquíssimo para os olhares e interpretações da Semiótica, que estuda todas as representações em todas as ciências e ambientes.
Para muitos esse filme é apenas uma forma de diversão; para técnicos em diversas áreas é um filme que nos deixa as mais diversas interpretações; mas para nós, anti-conspiracionistas, que iremos fazer uma analise ao olhar semiótico da Simbologia, filmes como esse exercem influencias muito grande sobre a sociedade, além de retratar as sociedades anteriores ao nosso período.
Estou falando de Semiologia linguística, ou Semiótica, porque no filme há mais de um tipo de representações simbólica e significantes(signos). Pois ao mesmo tempo que há as clássicas subliminares, esse filme tem analogias especiais ao contos de fada dos Grimm, afinal o filme é sobre eles.
Wilhelm Grimm (Matt Damon)
O filme começa com o clássico "Era uma vez..." e inicia-se a cena na casa da Família Grimm, em meados de 1786, passando por dificuldades, Jacob vende a vaquinha da família em troca de feijões (assim como em ''João e o Pé de Feijão''), Wihelm fica bravo com Jacob. Esta parte é importante, porque ao longo de todo o filme isso representará o Misticismo de Jacob.
Os Grimm, quando adultos, lutam contra monstro e seres fantásticos, criados por eles mesmo (ou seria evocado por eles mesmo?) e também presentes em suas fabulas.
Isso já deveria ser o suficiente para as pessoas perceberem o Satanismo presente nesse filme.
Eles fazem todo esse ritual para "evocar" uma 'Bruxa', o que ninguém sabe é que Wilhelm Grimm e Jacob Grimm são uma grande  farsa. Eles na verdade criam cenas de batalhas falsas com a ajuda de seus amigos e aproveitam das crendices do povo, de massa ignorante (que acreditam em qualquer coisa e caem facilmente nas farsas conspiracionistas), para poderem lucrarem com isso.
A 'Bruxa', que simbolicamente tem um olho só, é na verdade ''amiga''(o) dos Grimm.

Como os conspiradores, os Grimm criam farsas, mas até onde isso vai dá?
Essa parte é simbólica porque a "Bruxa" virá cobras, embora tudo não passe de uma farsa isso se trata de um RITUAL.
Até então os Grimm estavam se dando muito bem, ganhado dinheiro para matar "monstros" (enquanto Jacob anotava as fabulas e crendices do povo), Wilhelm Grimm era muito "para frente", como se fala no 'dizer popular'; enquanto Jacob era fiel as suas fabulas (representando o seu miticismo). Wilhelm sempre implicava com Jacob e seu misticismo (enquanto Wilhelm era cético) com relação as fabulas do povo, sempre lembrando dos "feijões mágicos" que ele levou para casa. Aqui temos um Antagonismo entre o Misticismo de Jacob e o Ceticismo de Wilhelm.
Mas a farra dos Grimm durou por pouco tempo, pois "mentira tem perna curta",como dizem por ai (e é por isso que os conspiradores usam do ocultismo para encobrir suas mentiras), e logo o governo Francês, que havia conquistado certas áreas da Alemanha, descobriu as mentiras de Grimm e queriam punir eles (será que a Elite conspiracionista não gosta de ver pessoas farsante e influentes, como eles, ultrapassando seu poder?).
Mas pelo fato do Governo acreditar que havia outras pessoas tão influentes como os Grimm usando dos mesmos golpes e truques em regiões da Alemanha, onde eles temiam perder a influencia por causa das ''crendices'', o governo Francês os mada para resolverem o desaparecimento de meninas e jovens em uma floresta supostamente mal-assombrada.
Como comentado anteriormente, há alusões aos contos de fada coletado pelos Grimm
Já na cidade que é aterrorizada por monstros da floresta, os irmãos Grimm conhecem Ângela (ou Angelica, não lembro), que os ajudará a vencer as forças que estão controlando a floresta. Eles chegam em um local que havia sido atacado por pragas no séc. XIV, e uma rainha havia se escondido em uma torre fechada, essa rainha era uma feiticeira e era ela que controlava toda a floresta e estava raptando as jovens meninas.
 
Angelica (Lena Haedey)
A Rainha faz alusão a dois contos de Grimm, "Rapunzel" e "Branca de Neve". É como se a Rapunzel fosse a bruxa-madrasta de a "Branca de Neve" (lembrando que os contos originais de Grimm é bem diferentes dos contos contado pela Disney, isso é uma possibilidade). Mas, o mais intrigante é o fato dela ser a "Rainha dos Espelhos". O Bruxo, ou Feiticeiro, de verdade tem suas forças no mundo espiritual, por meio dos demônios, e os espelhos, como vimos em outros posts, são usados para aprisionar esses demônios (e usado no controle mental). Os contos de Grimm revelam subliminarmente como funciona o mundo do Ocultismo.
A Rainha antes de envelhecer, no séc. XIV
A ''Rainha dos Espelhos'', no séc.XIX, no tempo dos Grimm.
Jacob Grimm vê o espelho da rainha-bruxa
Jacob sob o poder de influência do espelho da rainha (Seria mais uma história de controle mental?)
Na cidade, uma menina chamada Sasha esta tirando água do poço, e havia sido atacado por um corvo (que é tido como sinal de mal agouro) e que a fez ficar sem os seus órgãos de sentido:
A menina ficou cega-muda.
Seria uma alusão aos poderes de Alienação da Mídia e dos ocultistas Illuminati?
Ela é raptada por um monstro mandado pela bruxa-rainha, que possivelmente seja um golem:Parece uma criatura simpática, mas é um ser demoníaco.
Depois de raptar a jovem Sasha, ele se transforma em um "Boneco de Pão de Ló" feito de barro, fazendo mais uma alusão aos contos de Grimm.
As crianças raptadas são para um ritual bem simbólico, que no filme rejuvenesce a "Rainha dos Espelhos", mas que na vida real representa os rituais ocultistas feito pelos Illuminati.
Os Grimm, que buscavam respostas com relação ao sumiço das garotas acabaram por achar algo bem significante:
Alusão ao disco solar de Amon-Rá (lúcifer):
A Rainha precisava de 12 jovens e/ou meninas para o sacrifício, como os Grimm conseguiram salvar a Sasha, a 'formula' pro ritual não estava completa. Era necessário que cada menina fosse presa viva em um túmulo, antes que o eclipse acontecesse.
Como ainda faltava uma jovem, a Rainha mandou um lobisomem atrás de Angelica, amiga dos Grimm, esse lobo é o pai dela sob o poder da Rainha, então o lobo vai capturar Angelica, os Grimm tentam salva-la, mas perdem ela em um lago congelado. Ela fica presa no gelo (como se estivesse presa em um espelho).
Os Grimm vão atrás da Rainha, tentar salvar Angelica e todas as jovens crianças. Wilhelm não estava preparado para os poderes mentais do espelho que eles teriam que enfrentar, então caiu nos encantos da Rainha facilmente.
Jacob tenta livrar Wilhelm do poder da Rainha-bruxa, embora aparentemente ele tenha conseguido destruir o poder da bruxa, creio que ele não fez isso da maneira certa:
Jacob Grimm destrói o espelho-mágico da Rainha-bruxa e ela perde seus poderes
A Rainha começa a rachar
Ela se estilhaça toda, ficando em pedacinhos. Seria esse o fim da Rainha-Bruxa?
Bem, a Rainha dos Espelhos estava estilhaçada, o eclipse tinha acabado. Para salvar as meninas que estavam no túmulo, Jacob teve de fazer mais uma coisa, beijar a sua "Bela Adormecida", Angela. Mais uma alusão semiótica que qualquer um pode reparar, pelo fato de ser algo simples e banal, afinal desde crianças estamos cansados de ouvir esse contos e fabulas.
Alguns dizem que "Bela Adormecida" e até mesmo "Branca de Neve" é uma alusão Gótica à necrofilia.
Depois do beijo de Jacob, que ressuscitou Angelica, Wilhelm também recebe um beijo de Angelica...Resumindo, ambos estavam com a mesma garota. É a alusão do filme à poligamia e poliandria que é presente desde o inicio, quando Wilhelm deita com duas garotas. Acredito que esses costumes, poligâmicos, não eram presentes no inicio séc. XIX, até porque os costumes antigamente eram mais tradicionais, seria a imposição da Mídia que esse sistema poligâmico fosse presente na sociedade atual? Bem, não duvido.
Depois da aventura que os Irmão Grimm tiveram, o livro que é demonstrado Jacob Grimm escrevendo o tempo todo nele (e em alguns casos Wilhelm ditando) é completo. E Wilhelm Grimm vence o Ceticismo e se integra no Misticismo de Jacob. Será que esse misticismo todo não virou Ocultismo? Bem, não sei, porque as características dos personagens Grimm da ficção são bem diferentes dos Grimm da vida real. Talvez os Irmão Grimm da vida real estiveram realmente envolvidos com ocultismo, ou talvez não.
Enfim, terminando o filme no "Felizes para sempre..." Aparece uma cena muito simbólica:
Olho da Rainha ou Olho de Lúcifer?
Será Programação Monarca?
Como eu disse, não era uma boa ideia quebrar o espelho-mágico, afinal se for realmente um Programa Monarca (e eu tenho quase certeza que é), ele estaria quebrando a própria personalidade em mil pedaços. A questão é, se for um Programa de Controle Metal Monarca, quem é especificadamente a vítima? Programação Monarca à dois? Os dois Grimm eram as vítima? Ou seria os próprios contos de Grimm naturalmente feitos para Programação Monarca? Não sei...Mas uma coisa tenho certeza, as simbologias neste filme são muito forte e bem visíveis para quem quiser ver. Não é atoa que precisa de muita Semiótica para interpretar essas subliminares, afinal eles colocaram mensagens nesse filme à vários níveis diferentes.
A Série Grimm
Se prepare para a onda de simbolismos que em vem na nova série da Record: Grimm!!!
Originalmente Grimm é uma série norte-americana de drama fantástico, que vai ao ar na NBC nos Estados Unidos, no Syfy em Portugal, e no Universal Channel na Tv à cabo brasileira e irá ao ar na Rede Record no dia 4 de fevereiro.
São fundamentados nos contos de Grimm e conta a história de Nick Burkhardt, um detetive de homicídios que tem sua vida transformada ao descobrir que é descendente de uma SOCIEDADE SECRETA, conhecida como GRIMM (Isso me faz questionar seriamente qual a importância dos Irmãos Grimm para os ocultistas). A missão de Nick, assim como era a dos antepassados, é manter o equilíbrio entre a vida real e a mitologia (de certa forma igual ao filme Irmãos Grimm). Essa ligação com o mundo das fábulas oferece alguns perigos ao detetive e seus entes mais próximos, em especial sua noiva Juliette Silverton e seu parceiro de trabalho Hank Griffin. Porém, quanto mais Burkhardt tenta se afastar, mais se aproxima de suas raízes e inimigos do passado.
Com a ajuda de Monroe, em Blutbad renovado e seu confidente, ele terá de lutar contra estranhas criaturas, conhecidas como Wesen, que o perseguem e fazem mal às pessoas do mundo real. Depois de alguns episódios, além de Monroe, Nick também conta com a ajuda de Rosalee, uma Fuchsbau especialista em elementos do mundo Wesen.
Será que essa série vem agora para substituir a onda de "Vampirismo", 'Misticismo bruxo' e "Miticismo" Zumbi, que estão atona?Bem, geralmente isso acontece em sagas, como CrepúsculoHarry Poter e Resident Evil. Provavelmente está série será tão cheia de simbolismos, assim como no filme, se não mais, e trará, infelizmente, mais Alienação. Vamos ter que vê no que isso vai dá... Para quem não tem muito conhecimento sobre o MkUltra e as técnicas de Controle Mental veja os liks a seguir: MkUltra(Controle Mental)_O Projeto Monarca MkUltra Parte II "O Labirinto_A Magia do Tempo " MkUltra Parte III "O Mágico de Oz"_Ocultismo e o C... MkUltra Parte IV "Alice no País das Maravilhas"_Su... Ver também:Mídia Illuminati Fonte sobre os Grimm: Wikipedia: Filme/Série Fonte sobre a Semiótica: http://imigracaoalemanosuldobrasil.blogspot.com.br/2009/05/resumo-do-filme-os-irmaos-grimm.html

SIMBOLISMO GÓSTCO EM PINÓQUIO

Gnosticismo maçônico presente na história de Pinóquio

Simbolismo Gnóstico em Pinóquio
P1

Lançado em 1940, Pinóquio é um clássico da Disney que continua a ser apreciado por crianças e adultos em todo o mundo. No entanto, a história dessa marionete de madeira esconde uma alegoria espiritual baseada nos ensinamentos esotéricos, que raramente é discutida. Iremos olhar as origens desta aventura animada e o seu significado subjacente.

Quantas pessoas já não viram esse filme? Por outro lado, quantas pessoas estão cientes do verdadeiro significado subliminar de Pinóquio? Por trás da história de uma marionete tentando se tornar um bom menino, ela é uma história profundamente espiritual que tem suas raízes nas escolas misteriosas do ocultismo. Através dos olhos de um iniciado, a história das crianças sobre o "serem bons", cheio de lições sobre "não mentir", torna-se uma busca do homem para a sabedoria e iluminação espiritual.

Os comentários brutalmente honestos e sociais de Pinóquio mostram uma visão sombria do nosso mundo moderno e prescreve, talvez, uma maneira de escapar de suas armadilhas. Através de uma viagem à fundo no autor e às referências literárias, pode-se compreender o significado oculto e gnóstico do Pinóquio.

As Origens de Pinóquio
P2Carlo Lorenzini ou Carlo Collodi

Pinóquio foi originalmente escrito por Carlo Lorenzini (conhecido por seu pseudônimo, Carlo Collodi) entre 1881 e 1883 na Itália. Lorenzini começou sua carreira escrevendo nos jornais (Il Lampione e IlFanfulla), onde muitas vezes usou a sátira para expressar suas opiniões políticas. Em 1875, ele entrou no mundo da literatura infantil e usou essa saída para transmitir suas convicções políticas. A série Giannettino, por exemplo, muitas vezes referiu-se à unificação da Itália.

"Lorenzini ficou fascinado com a idéia de usar um amável personagem malandro como um meio de expressar suas próprias convicções através da alegoria. Em 1880 ele começou a escrever Storia di un burattino ( "A história de uma marionete"), também chamado Le avventure di Pinocchio, que foi publicado semanalmente no Il Giornale dei Bambini (o primeiro jornal italiano para crianças). "

“Le avventure di Pinocchio”, um conto de fadas que descreve as aventuras de um boneco de madeira obstinado em sua busca para se tornar um menino de verdade, foi publicado em 1883:
P3

O trabalho de Lorenzini não foi apenas político. Seus escritos, especialmente “Le avventure di Pinocchio”, continham uma grande quantidade de aspectos metafísicos, que são frequentemente ignorados pelos leitores modernos. Um fato importante necessário para compreender completamente a profundidade do trabalho Lorenzini é que ele era um maçom ativo. O maçom italiano Giovanni Malevolti descreve o contexto maçônico de Lorenzini:

"Carlo Collodi teve  iniciação na Maçonaria, o mesmo se não pode ser encontrado em todos os registros oficiais, ele é universalmente reconhecido e muitas vezes referido. Aldo Mola, um não-maçom, que é geralmente definido como um historiador oficial da Maçonaria, expressou com certeza, o grande início do escritor na família maçônica. Acontecimentos na vida de Collodi parecem confirmar esta tese: a criação em 1848 de um documento chamado "Il Lampione" (The Beacon), que, como afirma Lorenzini, "iluminado todos os que estavam oscilando na escuridão", ele também se considerava discípulo de um "apaixonado de Mazzini" (um proeminente maçom italiano e revolucionário). "

Collodi também podem ser encontrado neste documento publicado pela Grande Loja de toda a Inglaterra, com anúncio de maçons famosos. Malevolti continua:

"Há duas maneiras de ler "As Aventuras de Pinóquio". O primeiro é o que eu chamaria de "profana", onde o leitor, muito provavelmente, uma criança aprende sobre os percalços do boneco de madeira. A segunda é uma leitura a partir de um ponto de vista maçônico, onde os simbolismos pesados serão completos, sem substituir, a narração simples e literária de eventos ".

Lorenzini escreveu Pinóquio após a longa tradução de textos místicos: uma história narrativa simples que pode ser apreciado pelas massas, com um sentido oculto reservado aos "sábios".

Análise do Filme
P4

Existem muitas diferenças entre o livro Collodi e o filme da Disney. O enredo foi simplificado e Pinóquio se tornou um inocente personagem e não é o desajustado, teimoso e ingrato, do livro original. Todos os elementos são fundamentais no entanto, ainda presentes na adaptação do filme, e a mensagem subjacente permanece intocada.

A Criação
P5

O filme começa com Gepeto, um escultor italiano, transformando um pedaço de madeira em um boneco. Ele dá o boneco caracteristicas de homem, mas continua a ser um boneco sem vida. Gepeto é, de certa forma, o Demiurgo de Platão e dos gnósticos. A palavra "Demiurgo" é traduzida literalmente do grego para o "fabricante, artesão ou artífice". Em termos filosóficos, o Demiurgo é o "deus menor" do mundo físico, a entidade que cria seres imperfeitos que são mandados para as armadilhas da vida material. A casa Gepeto está cheia de relógios do seu ofício, que, como você deve saber, são usados para medir o tempo, uma das grandes limitações do plano físico.

"Fora do pleroma foi individualizado o Demiurgo, o mortal imortal, a quem nós somos responsáveis por nossa existência física e ao sofrimento que devemos percorrer em conexão com ela" Manly P. Hall, ensinos secretos de todas as eras

Gepeto cria uma ótima aparência para a marionete, mas ele percebe que precisa da ajuda do "Grande Deus" para dar Pinóquio a centelha divina necessária para se tornar um menino "real" ou, em termos esotéricos, umhomem iluminado. Então, o que ele faz? Ele "deseja a uma estrela". Ele pede ao Grande Deus (Grande Arquiteto dos maçons) para infundir Pinóquio com algo da sua essência divina.
P6Poderia ser a estrela Sirius, a estrela flamejante da Maçonaria?

A "Fada Azul", representante do Grande Deus, em seguida, desce à terra para dar Pinóquio uma fagulha da Mente Universal, o nous "dos gnósticos''.

"Foi afirmado pelos cristãos gnósticos, que a redenção da humanidade foi assegurada através da descida do Nous (Mente Universal), que foi um grande ser espiritual superior ao Demiurgo e que, entrando na constituição do homem, conferiu a imortalidade consciente sobre as fabricações de Demiurgo ".
P7

A fada confere a Pinóquio o dom da vida e o livre-arbítrio. Embora ele esteja vivo, porém, ele não é ainda um “menino de verdade". Nas escolas de mistério é ensinado que a vida real só se inicia após a iluminação. Antes de tudo isto não é nada, mas lenta decadência. Quando Pinóquio pergunta: "Eu sou um menino de verdade?", A resposta da Fada é: "Não Pinóquio. Prove-se corajoso, verdadeiro e altruísta e um dia você será um menino de verdade".

Este tema de auto-confiança e do auto-aperfeiçoamento, é de forte inspiração gnóstica. Os ensinamentos maçônicos dizem: a salvação espiritual é algo que tem de ser merecida através da auto-disciplina, auto-conhecimento e força de vontade intensa. Maçons simbolizam este processo com a alegoria do Rough e do Ashlar Perfeito.

"Na Maçonaria especulativa, uma pedra bruta é uma alegoria para o maçom não iniciados antes da sua iluminação descobrindo. Ashlar A Perfect é uma alegoria de um maçom que, através da educação maçônica, trabalha para conseguir uma vida decentes e diligentemente se esforça para obter a iluminação. No Grau Companheiro, vemos o uso do Rough e silhares Perfeito. A lição a ser aprendida é que, por meio da educação e da aquisição de conhecimentos, um homem melhora o estado de seu ser espiritual e moral. Como o homem, cada pedra bruta começa como uma pedra imperfeita. Com a educação, a cultura eo amor fraternal, o homem é moldado em um ser que tenha sido julgado pelo quadrado da virtude e circundadas pelo compasso de seus limites, dado a nós por nosso Criador". - Masonic Lodge of Education

Da mesma forma que os maçons representam o processo de iluminação pela transformação de uma pedra bruta em uma suave, Pinóquio começa sua jornada como um pedaço de madeira bruta e procurará suavizar suas bordas para finalmente se tornar um menino de verdade. Nada, no entanto, foi entregue a ele. Um processo alquímico interior precisa acontecer para que ele fosse digno de iluminação. Ele tem que atravessar a vida, a sua luta contra as tentações, e usando a sua consciência (encarnado pelo Grilo Falante), ele tem de encontrar o caminho certo. O primeiro passo é ir para a escola (simbolizando o conhecimento). Depois disso, as tentações da vida rapidamente cruzam o caminho de Pinóquio.

A Tentação da Fama e Fortuna
P8

Em seu caminho para a escola, Pinóquio é interrompido por Foulfellow, a raposa (não um nome muito confiável) e Gideão, o gato que irá atraí-lo para o caminho fácil "para o sucesso": O show business. Apesar das advertências de sua consciência, a marionete segue os personagens obscuros e é vendido a Stromboli, o promotor beligerante do show de marionetes. Durante sua performance, Pinóquio familiarizasse com os lados do caminho "fácil": fama, fortuna e até bonecos de mulheres ''quentes'', sensuais.

Pinóquio, porém, aprende rapidamente os grandes custos deste aparente sucesso: ele não pode voltar a ver seu pai (o Criador), o dinheiro que ele gera só é usado para enriquecer o Stromboli, seu “treinador", e ele vê o destino que o espera quando ele envelhece.
P9

É uma descrição triste do show business, não é? Ele é basicamente nada mais do que um fantoche. Depois de ver a verdadeira natureza do caminho "fácil", Pinóquio descobre o triste estado em que ele está, ele é enjaulado como um animal e esta à mercê de um titereio cruel. Ele foi enganado em vender sua alma.
P10

Pinóquio então ganha de volta sua consciência (Grilo Falante) e tenta escapar. Toda a consciência do bem no mundo não pode no entanto salvá-lo, o grilo não pode abrir a fechadura. Nada menos do que uma intervenção divina é necessária para salvá-lo, mas não antes que ele seja verdadeiro para a Fada (mensageiro divino) eo mais importante, para si mesmo.
P11

As Tentações
P12

De volta no caminho certo, Pinóquio é interrompido novamente por Foulfellow, a Raposa, que vai atrai-lo para ir ao "Pleasure Island", um lugar sem escola (conhecimento) e as leis (moral). As crianças podem comer, beber, fumar, combater e destruir a vontade, tudo sob o olhar atento do cocheiro.

Pleasure Island é uma metáfora para a vida do "profano", que caracteriza-se por ignorância do conhecimento maçônico, a busca da gratificação imediata, e a satisfação de baixos impulsos. O cocheiro incentiva esse comportamento, sabendo que é um método perfeito para criar escravos. Os rapazes que se entregam o suficiente, se transformar em burros, então explorados pelo cocheiro para trabalhar em uma mina. Outra representação bastante negativa, desta vez das massas ignorantes.
P13

Pinóquio começa a se transformar em um burro. Em termos esotéricos, ele está mais perto do seu “eu material”, personificado por este animal teimoso, que é “seu eu espiritual”. Esta parte da história é uma referência literária para Apuleio, a "Metamorfoses ou Asno de Ouro'', um trabalho clássico estudado em escolas místicas, como a Maçonaria .
P14As Metamorfoses” descreve as aventuras de Lúcio, que é tentado pelas maravilhas da magia, por causa de sua loucura, transforma-se em um burro. Isto leva a uma longa e árdua jornada onde ele finalmente é salvo por Ísis e junta-se o seu culto místico. A história das metamorfoses tem muitas semelhanças com o Pinóquio por sua linha de história, a sua alegoria espiritual e seu tema de iniciação ocultista.

Pinóquio, uma vez que recuperou a consciência, escapou da prisão da vida profana e fugiu de Pleasure Island.

A Iniciação
P15

Pinóquio volta para casa para se unir ao seu pai, mas a casa está vazia. Ele descobre que Gepeto foi engolido por uma baleia gigante. O boneco, em seguida, salta na água e é também, engolido pela baleia, a fim de encontrar o seu Criador. Esta é a sua iniciação final, onde ele tem que fugir da escuridão da ignorância da vida (simbolizada pelo ventre da baleia gigante) e o ganho de luz espiritual.

Mais uma vez, Carlo Collodi foi fortemente inspirado por uma história clássica de iniciação espiritual: o Livro de Jonas. Encontrado no Cristianismo, Islamismo e Judaísmo, Jonas e a Baleia também são lidos nas escolas místicas.

"Jonas é também o personagem central no livro de Jonas. Ordenado por Deus para ir para a cidade de Nínive profetizar contra ela "pois a sua maldade subiu até mim", Jonas procura em vez disso, fugir "da presença do Senhor", indo para Jaffa e numa vela, navegou para Társis. Uma enorme tempestade se levanta e os marinheiros, percebendo esta não ser uma tempestade comum, jogam sortes e aprendem que Jonas é o culpado. Jonas admite isso e afirma que, se ele é jogado ao mar, a tempestade vai cessar. Os marinheiros tentam levar o navio para a costa, mas acabam jogando-o ao mar. Jonas é milagrosamente salvo ao ser engolido por um peixe grande, especialmente preparado por Deus, onde passou três dias e três noites (Jonas 1:17). No capítulo dois, dentro do grande peixe, Jonas reza a Deus na sua aflição e se compromete a ação de graças e de pagar o que ele prometeu. Deus ordena o peixe que vomite Jonas para fora. " Wikipédia
P16Jonas depois de sua ''iniciação'' espiritual

Manly P. Hall, explica o significado oculto do Jonas e a Baleia para os místicos:

"Quando usado como um símbolo do mal, o peixe representava a Terra (homem inferior da natureza) e da tumba (túmulo dos mistérios). Assim foi Jonas três dias no ventre do peixe "grande", como Cristo foi de três dias no túmulo. Vários pais da igreja primitiva acreditavam que a “baleia", que engoliu Jonas era o símbolo de Deus Pai, que, quando o profeta infeliz foi lançado ao mar, aceito Jonas em sua própria natureza, até um lugar de segurança foi alcançado. A história de Jonas é realmente uma lenda da iniciação nos mistérios, e os peixes "grandes" representa a escuridão da ignorância que engolfa o homem quando ele é jogado para o lado do navio (nasce) no mar (vida)." Manly P. Hall, The Secret Teachings of All Ages
P17Jonas emerge de dentro da baleia com a palavra de Deus

Pinóquio atravessou as dificuldades da iniciação e saiu da escuridão da ignorância. Ele emerge da tumba, “ressuscitado”, como Jesus Cristo. Ele agora é um menino "real", um homem iluminado, que rompeu os grilhões da vida material para abraçar o seu “eu superior”. O Grilo Falante recebe um crachá de ouro maciço da fada, o que representa o sucesso do processo alquímico de transformação da consciência de Pinóquio, de um metal bruto em ouro. O "Grande Trabalho" foi realizado. O que resta fazer? Um grupo de acordeões loucos, é claro!
P18

Conclusão

Visto através dos olhos de um iniciado, a história de Pinóquio, em vez de ser uma série de aventuras aleatórias infantis, na verdade, torna-se uma alegoria espiritual profundamente simbólica. Detalhes no filme, que são aparentemente insignificantes, de repente revelam uma "verdade esotérica, ou pelo menos um comentário brutalmente honesto e social. Inspirado em clássicos da metafísica, como “As Metamorfoses” e “Jonas e a Baleia”, autor da história, Carlo Collodi, escreveu um conto moderno de iniciação mística, que é o aspecto mais importante da vida maçônica.

Embora a fidelidade de Walt Disney à Maçonaria sempre fora controvertida, a escolha desta história como o segundo filme de animação já criados pelo estúdio é muito reveladora. Muitos detalhes simbólicos acrescentados para o filme, manifestam um grande entendimento do significado oculto subjacente do livro de Collodi. Considerando as inúmeras re-edições de Pinóquio e seu mundo, um sucesso mundial, pode-se dizer que o mundo inteiro foi testemunha de seu caminho para a iluminação, mas muito poucos plenamente compreenderam a verdade por detrás da história.

Quando colocado em comparação com outros outros artigos deste Blog, que revelam significados bastante sinistros, a história de Pinóquio é um exemplo do lado mais nobre dos ensinamentos ocultistas. Esforçam por atingir um nível mais elevado de espiritualidade através do auto-aperfeiçoamento, que é um tema universal, encontrado na maioria das religiões. Pinóquio continua a ser tipicamente maçônico e revela o fundo filosófico dos que estão no controle dos meios de comunicação de massa.
Fonte Original: A Mídia Illuminati:Simbolismo Oculto em Pinóquio